Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2009

Qual seu maior medo filho?

A resposta a pergunta que Coach Carter repete várias vezes no filme homônimo vem com base no poema "Medo maior" de Marianne Williamson.A resposta do atleta, que começava a se envolver com drogas e a violência das ruas foi: “Nosso medo mais profundo não é sermos incapazes.Nosso medo mais profundo é termos poder demais.È nossa luz e não nossa escuridão que nos assusta.Não há nada de luminoso em se diminuir,Para que outras pessoas não se sintam inseguras a sua volta.Fomos todos feitos para brilhar como as crianças.Não está só em alguns de nós, está em todos.E ao deixarmos nossa própria luz brilhar,Inconscientemente permitimos que outros façam o mesmo.Já que nos livramos do nosso próprio medo.Nossa presença automaticamente libera outros.”(do filme Coach Carter) Agora, leia o poema...

Um brasileiro, menos Grego

O basquete brasileiro é nosso. Meu, de meus atletas, de meus filhos que esperam sua hora, dos atletas dos clubes gaúchos, dos paulistas, dos pernambucanos, dos mineiros, dos técnicos desse imenso país, não dos cartolas. Mas precisamos deles, pois eles administram nossa entidade máxima e as subdivisões regionalizadas. Se fizerem isso de maneira planejada, com estruturação adequada e que nos  permita voltarmos a ser o que o Brasil é (um país vencedor), ficaremos felizes. Enquanto muitas nações se digladiam e se matam, nós usamos fuzis dos anos 1960, tal a nossa vocação para a paz que nem precisamos de armas modernas e outros tais – eu sei que perdemos a guerra contra o tráfico de drogas nos morros do Rio de Janeiro, mas lá é conseqüência de más administrações. Há solução, mas para isso o governo precisa querer colocá-la em prática.

A formação de atletas no Brasil

Sempre que falamos em formação de atletas ou dos muitos minutos que estrelas do esporte concedem para a mídia como conseqüência de atitudes equivocadas, falamos do suporte familiar e da formação do homem que os clubes deveriam priorizar. Os exemplos públicos, no Brasil, são na grande maioria oriundos do futebol. E vocês sabem que meu meio é o basquete, mas tratar de formação de atletas é algo que me chama a atenção e me faz refletir cotidianamente nos caminhos que devemos seguir.