sábado, 28 de novembro de 2009

Sem play-off semi-final no RS

Amanhã é o primeiro jogo dos play-offs finais do Campeonato Estadual Adulto Masculino de Basquete no RS. Há mais de 15 dias tento resolver a questão do play-off semi-final, causado pela desistência do Viva Basquete Santa Cruz e conforme determinado na nota oficial 055/2009 da FGB e nada... Não vou “as vias de fato”, mas estou incomodado com isso. Minha equipe, pela primeira vez no certame, foi alijada antes do que determinava a nota destacada acima. Poderia vir a fazer a final que inicia amanhã, pois poderíamos trazer reforços para essa fase da competição. Em nenhum momento concordei com  essa situação e nem recebi ofício circular (modalidade de correspondência atualmente utilizada pela FGB) ou nota oficial convocando para reunião que alterasse o sistema de disputa anteriormente determinado. 

SIMPÓSIO DE PREPARAÇÃO FÍSICA E MEDICINA ESPORTIVA DA CBB

A Confederação Brasileira de Basketball (CBB), com o apoio do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), irá realizar no dia 12 de dezembro, de 8 às 17 horas, o SIMPÓSIO DE PREPARAÇÃO FÍSICA, MEDICINA ESPORTIVA E PREVENÇÃO NO BASQUETE. O evento, no Hotel Golden Tulip Park Plaza, em São Paulo, terá a presença do presidente da CBB, Carlos Nunes; do vice-presidente Reginaldo Senna; do gerente de marketing da entidade, José Carlos Brunoro; do chefe médico das seleções, Carlos Andreolli; do médico Eduardo de Rose, chefe do controle de dopagem do Comitê Olímpico Brasileiro (COB); dos médicos, fisioterapeutas, preparadores físicos, e nutricionistas das seleções brasileiras femininas e masculinas.
As inscrições poderão ser feitas até o dia 9 de dezembro. Outras informações sobre o evento com Ana Olívia (11) 3287.1222.

sábado, 21 de novembro de 2009

Mais Basquete em Pelotas

No dia 18/11/2009 me passaram o artigo Além do futebol (http://www.diariopopular.com.br/site/content/blogs/detalhe-conteudo.php?post_id=1035). Trata-se do Blog Espaço da Redação do Diário Popular, principal jornal de Pelotas, onde a jornalista Mônica Jorge utilizou uma foto do jogo de Terra Nova/Pelotas x Java, realizado em 24/10/2009 para discorrer sobre as dificuldades que o esporte amador tem para ser desenvolvido em Pelotas e direciona, nas entrelinhas, as dificuldades que tivemos para participar do Campeonato Estadual Adulto de 2009. Ao concluir o artigo a jornalista diz: “alguns profissionais dão a cara a bater e tentam formar grupos de qualidade com o pouco ou nenhum recurso que têm em Pelotas. Porém, a história é sempre a mesma, não aparece patrocínio, não se tem incentivo e os atletas praticamente têm de pagar para poder disputar campeonatos de alto nível. Aí, quando os resultados são desastrosos, todo mundo ri e cobra sem saber do sacrifício diário e do esforço dos envolvidos para poderem, simplesmente, pôr em prática o caminho saudável que escolheram”.

domingo, 4 de outubro de 2009

Nacional Sub-20, sub-22 ou sub-23... A hora, é agora!

Essa semana fui surpreendido com uma informação muito importante e que me deixou feliz: a Liga Nacional de Basquete (LNB) teria se reunido com os clubes e sugerido a realização de um nacional Sub-20 e todos esperam pela CBB, já que o posicionamento da entidade máxima sobre a cobertura dos gastos com transportes com essa nova categoria. Pela resposta do Sr. Kouros no NewsFlash de Alcir Magalhães, não houve desmentido da intenção e de que tal negociação estava em andamento, apenas que seria um sonho e que quando tivesse algo de concreto, comunicaria a todos.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Splitter, sempre acreditei nos jogadores do Brasil

Hoje vi a entrevista pós-jogo do Tiago Splitter e senti mágoa em suas palavras, quando disse que “muita gente no Brasil não acreditava na gente”. Escrevo pra ele e para todos os jogadores, antecipando que o bi da Copa América exige a permanência do mesmo espírito competitivo, o grupo unido e objetivos por etapas, ou seja, primeiro passarmos de fase, fugindo da 17ª colocação de 2006 e com o cuidado de que na Turquia 2010 serão 24 seleções. Portanto, passar da primeira fase será significativo para mostrar a maturidade da nova fase da seleção brasileira.

sábado, 15 de agosto de 2009

Copa América 1

Não sei se todos os seres humanos gostam de dizer “eu avisei…”. Sei que a certeza inabalável de ser o senhor soberanos da verdade nos direciona para tão reprovável ato – sim, por que o momento que nos permite agirmos como profetas requer solidariedade com o fracasso do interlocutor e nós ali, agindo como ser supremo que previu o resultado ou ficou torcendo contra.
A seleção brasileira de basquete passa por isso: todos queremos impor nossa metodologia. Uns querem que sigamos os norte-americanos e outros os europeus. Há ainda os que querem impor a ginga brasileira e a malícia do streetball que só cresce por aqui (por quê?).
Mas o que todos queremos é VENCER. Estar entre as quatro melhores, obter vagas para mundial e olimpíada.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Informações sobre a clínica

Visite o blog do PBC (www.pbc2005.wordpress.com) e veja dados sobre a III Clínica do PBC: participantes, trabalho com o basquete, fotos, etc.

sábado, 11 de julho de 2009

III Clínica do PBC - Programação

PROGRAMAÇÃO

SÁBADO (01/08/2009)

8h:

Credenciamento

9h às 12h:

Preparação física nos esportes coletivos: o caso do basquetebol

Prof. Giancarlo Bruno

14h às 17h45min:

Preparação física nos esportes coletivos: o caso do basquetebol

Prof. Giancarlo Bruno

18h às 19h30min – Palestra:

Seleção Brasileira Master: uma pelotense jogando entre as melhores do Brasil

Profª. Luciana Peil

DOMINGO (02/08/2009)

9h às 12h30min:

Oficina de Basquete - Parte I

Prof. Mário Brauner

14h às 17h:

Oficina de Basquete - Parte II

Prof. Mário Brauner

17h30min as 19h – Palestras:

Trabalhando silenciosamente pelo basquete universitário gaúcho: o exemplo da UFRGS serve para a UFPel?

Prof. Mário Brauner

Pontos importantes da regra de basquetebol para técnicos

Prof. Oscar Bertolini

SEGUNDA-FEIRA (03/08/2009)

9h às 12h – Palestra:

A trajetória de Walter Roese no basketball: de Novo Hamburgo a técnico da NCAA

Coach Walter Roese

14h às 15h45min

Domínio de Bola

Coach Walter Roese

16h às 18h:

Fundamentos Ofensivos I

Coach Walter Roese

18h30min às 21h:

Planejamento em Basketball: como ocorre nos EUA

Coach Walter Roese

TERÇA-FEIRA (04/08/2009)

8h30min:

Fundamentos de Defesa I

Coach Walter Roese

10h30min às 12h:

Fundamentos Ofensivos II

Coach Walter Roese

14h às 18h:

Fundamentos de Defesa II

Coach Walter Roese

18h30min às 20h30min: Mesa Redonda:

O basquete gaúcho sob diferentes óticas: contribuições para o crescimento

Profª. Luciana Peil, Sr. Gilson Kroeff e Coach Walter Roese

20h30min:

Encerramento e Entrega Certificados

INSCRIÇÕES

R$ 30,00: Professores, Pós-Graduandos e Público em Geral

R$ 15,00: Alunos de Graduação e Professores da ESEF-UFPel

ORGANIZAÇÃO E APOIO

sexta-feira, 10 de julho de 2009

III Clínica do PBC: fortalecendo o basquete gaúcho

Participe de mais este evento do Pelotas Basketball Clube e venha respirar basquete por quatro dias. Clica na imagem e veja a programação ou salve a mesma clicando com o botão direito de seu mouse.

Basquete feminino e a mídia: distorções de entrevistas causam polêmica desnecessária

Impressionante. A distorção das matérias vinculadas pela mídia me deixaram envergonhado. Ontem, baseado em matéria divulgada pela globo.com, através da matéria Iziane é rejeitada pelas companheiras. Questionei os interesses envolvidos – de atletas, técnico, direção da CBB – e emiti meu posicionamento. Cobrei postura do técnico e a hierarquia na seleção, no sentido inverso das atletas até o presidente da CBB. Cobrei posicionamentos e ações imediatas. Enfim, critiquei a reportagem e o reforço da mesma que fazia entender que Paulo Bassul reforçava o posicionamento das atletas.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Tensões atrapalham a seleção feminina

Infelizmente a bagunça continua. Nem é culpa do Carlinhos. É a falta de hierarquia no comando das seleções. Isso, com certeza, será motivo de um bom “pé de orelha”. Onde já se viu atletas se posicionando contra outras? Na verdade elas estão se posicionando em prol dos interesses próprios: mais tempo em quadra, menor risco de corte, configuração tática diferente... Se queremos os melhores atletas brasileiros no masculino, é melhor termos as melhores atletas no feminino também. Ou não? Se queremos “esquecer o passado e trabalhar conjuntamente pelo futuro”, por que perseguir a Iziane? E eu nem fui favorável ao que ela fez em outrora, mas estamos em novo processo, onde se fala muito e se respeita muito pouco.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Arbitragem: no futebol ou no basquete é tudo sempre igual...

Sou gremista e estou muito triste com a atitude do Maxi Lopez, da diretoria do Grêmio e da torcida que apoiou uma atitude preconceituosa – espero que a justiça faça seu trabalho com competência. Mas hoje o tema é arbitragem: nas finais da NBA Phil Jackson foi multado duas vezes (creio que o total foi US$ 50,000.00 ou R$ 100.000,00). Depois Marcelinho criticou a arbitragem do quarto jogo da NBB, realizado em Brasília e que teria favorecido o time da casa que ou vencia ou veria o adversário comemorar o título na capital federal – aliás, para o marketing o jogo final ter sido no Rio foi muito melhor. Para o bolso dos clubes mandante.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Racismo, notícias...

O que a mídia tem dito sobre o Racismo no jogo entre Cruzeiro e Grêmio.

Aqui a discussão: http://migre.me/2Nqg;

Nesse link o fato, por zero hora: http://migre.me/2Nqu;

Nesse o áudio: http://migre.me/2NqH;

UOL Esportes: http://migre.me/2NrD

LanceNet: http://migre.me/2Ns0

E ainda surge uma desculpa para o fato e ela foi realizada pelo Sr. Duda Kroeff, presidente do Grêmio Football Porto Alegrense: "deve ter sido um mal-entendido, confusão de idiomas, pois o Maxi é uma das pessoas mais educadas que conheço".  Fazemos confusão com o Espanhol?

Espero muito mais do que esse simplismo do presidente do Imortal Tricolor. Estou com o Boris Casoy no meu ouvido: “É uma vergonha!!!”

Maxi Lopes, racismo é crime no Brasil

Inaceitável a atitude racista de Maxi Lopes no jogo de hoje (24/6) contra o Cruzeiro. O Brasil é um país multirracial, formado por portugueses, holandeses, alemães, russos, franceses, italianos em regiões específicas e o negro em todo o território nacional, sendo que no passado foi o escravo, o ser humano sem direitos, transformado em animal. Hoje somos, no mínimo, 50% da população desse país. Isso persiste em algumas mentes por aqui e os argentinos são sempre protagonistas de atitudes racistas nos jogos de futebol – ou já esquecemos o que aconteceu no Morumbi anos atrás. A disputa esportiva, a pressão do jogo não dá direito a nenhum dos protagonistas de ofender o companheiro de disputa, por que é o que são: o Cruzeiro não jogaria sem o Grêmio e vice-versa, logo são co-dependentes para que o jogo ocorresse.

sábado, 20 de junho de 2009

O fiasco da seleção sub-16 ainda é reflexo do Grego

Muitos blogueiros estão exprimindo o descontentamento com o resultado que a seleção Sub-16 masculina teve na Copa América/Pré Mundial que está em fase final – irá disputar de 5º a 8º lugares (a partir de hoje) e está fora do mundial de 2010. Eu também quero um basquete vencedor. Nisso concordamos. Mas o ponto, creio eu, não são as derrotas, já que para quem trabalha com o esporte elas seriam previsíveis e ainda de responsabilidade da gestão anterior que fez a preparação desse grupo nos últimos anos. Dificilmente haveria mudança de esquema de jogo com outros técnicos com 4 semanas de treinamento e tratando-se de seleção de base.

Eu penso que as reflexões do Sr. Carlos Nunes estão voltadas para o futuro e incluem o legado que a sua gestão irá deixar. Creio que, entre outras questões, ele tem refletido sobre:

  • como massificar os campeonatos de base nos estados?
  • como alavancar o basquete a partir dessa massificação de maneira que o crescimento quantitativo nos estados resulte em qualidade nas seleções?
  • paralelo ao que faremos para o futuro, como qualificar, imediatamente, o trabalho das comissões técnicas de base que nos leve, já a partir de 2010, revertermos as recentes derrotas no continente que não podem ocorrer (Uruguai, Venezuela...)?
  • quem deve comandar o trabalho de base das seleções?
  • quem seria capaz de conduzir uma reestruturação nas seleções de base capaz de redesenhar o treinamento, qualificar as ações em torno dos fundamentos e, progressivamente, rever e aplicar novos conceitos de ataque e defesa já que a filosofia atual tem sido derrotada constantemente?
  • como qualificar (enviar para estágios na Europa ou nos EUA?) os técnicos de base do Brasil – primeiro os das seleções e depois os das seleções dos estados e massificar/multiplicar isso pelo Brasil?

Portanto, há muitas perguntas sem respostas que devem estar fervilhando na cabeça do Sr. Carlos Nunes e, reconheço, certamente ele está elaborando um caminho que altere a situação atual. Não tem como em 60 dias a troca de um presidente mudar toda a estrutura do basquete brasileiro – lembrando que o projeto para a gestão esta em fase de elaboração e a partir dele esperamos ver diversos programas para revolucionar o basquete brasileiro, já que a consultoria (Brunoro Marketing Esportivo) é capacitado para desenvolver um grande projeto.

Entretanto, se o comando das seleções permanecerem com os mesmos técnicos, com as mesmas idéias e aplicações técnico-táticas, baseados na atual e derrotada filosofia de jogo, a gestão do Sr. Carlos Nunes fracassará certamente.

Como todos os blogueiros e basqueteiros do país eu espero que o Brasil passe a dominar o basquete na América do Sul e a participar de todos os mundiais das categorias de base, refletindo nas seleções adultas. Porém reconheço e aceito que isso seja feito em dois ou três anos e que só ocorrerá se visualizarmos mudanças significativas no comando e, principalmente, na filosofia de jogo das seleções. Nossos resultados nesse ano são reflexo do “belo trabalho” realizado pelo Grego em 12 anos (o segundo mandato mais longo na CBB entre os seis presidentes que a entidade teve), do qual o Sr. Carlos Nunes diz ter sido voz discordante, portanto, fará diferente e embasado em planejamento elaborado pela já citada Brunoro Marketing Esportivo.