Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2008

Rosa Branca diz: "Tony se candatará a presidente da CBB"

LEIA TAMBÉM EM HTTP://MAISBASQUETE.WORDPRESS.COM, POIS ESTOU FAZENDO A TRANSIÇÃO DESSE BLOG. Durante minhas leituras, encontrei a excelente entrevista do Rosa Branca, concedida ao Basket Brasil. Lá, de repente, ele dispara: "O Tony se candidatará a presidente da CBB e eu tenho certeza de que se ele for eleito o basquetebol brasileiro terá uma nova cara. Eu acho que está na hora de mudar, não sei o que está acontecendo com a CBB, está deixando as seleções muito de lado. O basquete precisa ser bem administrado e São Paulo sabe fazer isso" [grifo e destaque nosso]. Isso é muito importante, pois saímos do campo imaginário e partimos para o real; saímos das especulações e chegamos a um fato concreto, dito por uma das lendas do nosso basquete.: chakmati é/será candidato à presidência da CBB. Agora Grego tem um adversário qualificado e com experiência na condução adminsitrativa do nosso basquete - referência a competentíssima administração que possui o basquete paulista e a possib…

Chakmati: "A Federação Paulista exige respeito".

Leitores e amigos do basquete e do esporte brasileiro: dias atrás publiquei uma mensagem sobre a união entre Toni Chakmati e Carlos Nunes e me desmentiram, dizendo que os dois se odeiam. Eu continuo em dúvida, mas é o ônus do processo, depois de anos de manobras nada nobres por parte da CBB. Por outro lado, não conheço o Sr. toni Chakmati, apesar de chamá-lo asism, como se íntimo fôssemos. Creio que o Sr. Chakmati, para conquistar apoios, além da veroz carta que reproduzo com muita felicidade abaixo, deveria lançar sua candidatura à Presidência da CBB, pois ele representa o principal estado o basquete brasileiro e pode administrar o Brasil da mesma forma e ter melhores resultados que Grego e Cia Ltda. Não pode exigir respeito só em textos, mas na prática nào pode se juntar a gente do Cia Ltda que quer ficar alimentado-se da CBB sem nada produzir pelo basquete brasileiro. Fazendo isso, lançando-se candidato a CBB, deve divulgar seu vice-presidente também. Assim saberemos quem o acom…

Carlinhos, meu "amigo" de tantas jornadas...

Conheci Carlos Nunes nos jogos de basquete quando eu era guri e jogava contra a SOGIPA . Ele acompanhava a equipe por seu pai de um atleta. Sempre estava pela volta do time, mas eu o cumprimentava como um senhor. Pessoalmente, conheci o Carlinhos quando tentei encaixar meu irmão na SOGIPA no final de 1991. Conversei com ele e depois voltei a falar com ele na época que ele trouxe José Medalha apara ministrar um curso em Porto Alegre. Bateu na minha porta, com cartazes e promessas de repasse de percentual, além de livrar minha inscrição para participar. Mandei seis (06) pessoas e até hoje espero minha porcentagem pelo trabalho realizado. Depois disso ele me encontrou e falou da eleição para a FGB. Sempre viajei pelo interior como árbitro e falava com os árbitros. Nunca cheguei em um técnico ou dirigente para pedir voto para o Carlinhos ou para o Jairo, mas perguntava a posição deles sobre a eleição. Ele fez o lobby dele e a situação não acreditou que perderia, pela saída tumultuada que…

Quem deve ser o presidente da FGB?

Sem informações concretas sobre o processo eleitoral no basquete gaúcho, resolvi inovar e lançar uma enquete. Acima tu tens acesso a uma pergunta que confronta a atual administração da FGB (15 anos!!!!) e um jeito novo de mobilizar os clubes e o esporte. Não sei dizer se A e/ou B irão concorrer, mas é certo que ambos têm esse desejo. O primeiro quer mudar a situação do basquete gaúcho e o segundo é retrato da falência de nosso esporte no RS e, para quem não sabe, ele é Assessor do Grego na CBB e tem dito que está brigado com o chefe, em busca de apoio de alguma outra federação estadual para concorrer a CBB. Como a eleição lá é só em maio, é bem provável que concorra no RS em janeiro. Eu tenho meu ponto de vista claro, bem definido e, quiçá, pudesse votar no pleito da FGB.Então, como estamos em período eleitoral, vamos ver o que pensam as pessoas ligadas ao basquete gaúcho. Lancei dois nomes, mas de repente temos outros possíveis candidatos, mas que não sei a posição, nem ouvi dizer qu…

Reeleição no COB: Resposta da Ouvidoria do Ministério do Esporte

Já estava preparando um novo texto, onde citaria a Presidência da República, o Ministério Público Federal e o Ministério do Esporte por não terem respondidos ao pedido de intervenção nas eleições do COB. Disseram o óbvio, mas disseram algo e assumiram uma posição. Qual seja? Que todas as confederações podem receber recursos público, não gorjeta, não moedas, mas recursos abundantes e fazerem o que quiserem por que nossa constituição assim determina. Então, mudem a constituição!!! Fazem isso toda hora para tirarem nossos direitos, não custa preservar um pouco dos nossos recursos. Dizem que a conta de Pequim foi de R$ 1,2 bilhão. Leiam a integra da resposta do ME.Eu sou Carlos Alex Soares, brasileiro, casado, pai, professor de educação física, técnico de basquete e acreditaria em tudo, não fosse o Sr. Alberto Murray Neto, membro do COB, advogado dizer ao contrário: o COB é obrigado a licitar, a prestar contas dos recursos públicos recebidos e perde a condição de entidade esportiva de car…

Centro Esportivo Virtual

Tu conheces o Centro Esportivo Virtual? Se não conheces é hora de fazê-lo e se já conheces, uma visita mostrará a nova proposta visual e funcional montada pelo Alexandre Castelani e pelo Laércio Elias Pereira. O endereço é www.cev.org.br. Mas vou te falar um pouquinho do CEV e do Laércio, mesmo que tu possas ter acesso as informações essenciais em http://cev.org.br/sobre/ e http://cev.org.br/qq/laercio/, respectivamente. O CEV é a proposta de doutorado do professor Laércio que desde o início dos anos 80 vem procurando maneiras de interligar o pessoal da educação física – é um dos fundadores do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE). Passou pelo telememo e iniciou o CEV com as Listas de Discussão, unindo o Brasil do Oiapoque ao Chuí. Eu conheci o CEV no LEPE (Laboratório de Ensino e Pesquisa da ESEF-UFPel) e imediatamente me cadastrei na Lista de Discussão Educação Física e Esporte . Em seguida o Laércio, por intermédio do Giovani Pires da UFSC, me convidou para administrar a …

Anulação da Eleição do COB

De: Carlos Alex Soares [mailto:carlosalexsoares@gmail.com]
Enviada em: segunda-feira, 13 de outubro de 2008 01:34
Para: 'presidencia@presidencia.gov.br'; 'pfdc@pgr.mpf.gov.br'; '1ccr@pgr.mpf.gov.br'; 'esporte@esporte.gov.br'
Cc: 'jcruzz'; (akfouri@lancenet.com.br); 'blogdojuca@uol.com.br'
Assunto: Anulação da eleição do COB
Excelentíssimo Presidente, Sr Luís Inácio Lula da Silva; Digníssimo Ministro do Esporte, Sr. Orlando Silva; Senhores Procuradores do Ministério Público Federal; Senhores Jornalistas; e Senhores leitores do Mais Basquete:
Após os jogos olímpicos seria cordial congraçar-me com os destinatários dessa mensagem pelo desempenho do país em Pequim. Ainda que tarde, também seria a oportunidade de destacar o bom desempenho do Pan do Rio-2007. Infelizmente, esse não são os motivos do meu e-mail. Primeiro por que em nenhum dos eventos tivemos o desempenho  esperado, quando relacionado com os valores investidos pelo poder público brasilei…

jogada de Nuzman (poder eterno) não é novidade no basquete brasileiro

Pois é, que feio fez seu Carlos Arthur Nuzman, o “cara” que fez o voleibol crescer estratosfericamente até atingir o apogeu nos últimos anos, já sob o comando Ari Graça. Dizendo querer transformar o esporte brasileiro, foi para o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) – ou foi para o COB pelos interesses de aproveitar as mordomias que o olimpismo proporciona aos cartolas? Agora, depois dessa eleição, tudo o que fez ficará sob a sombra da dúvida, somado ao hiper-mega-superfaturamento do Comitê Organizador do Pan Rio 2007 e a eleição na ODEPA. Infelizmente o esporte nacional passa por esse momento de escândalos, talvez para que os verdadeiros desportistas resolvam assumir o trabalho árduo de comandar com suas experiências e contribuir com a educação dos brasileiros através e pelo esporte e, ao mesmo tempo, compreendendo e dando suporte ao esporte como um caminho alternativo de lazer, prazer e diversão que precisa ser gerenciado com responsabilidade, profissionalismo e ética.