quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Desencantou?

Destaques da partida,  Johnson e DeRozan
   Ontem a noite, os Nets encontraram novamente o caminho da vitória, jogando fora de casa venceram o Toronto Raptors por 102 a 100 com boas atuações dos ex-Celtics.
   Em um jogo onde dominou a partida na maior parte do tempo, os Nets conseguiram uma vitória suada ao final da partida após sofrerem um apagão no quarto período. Com uma diferença de 15 pontos (5:23, por jogar), os Nets pareciam ter o jogo ganho, mas os Raptors correram atrás e colocaram a diferença em 1 ponto a 23.7 segundos do final. Parecia a reação que os Maverciks tiveram semana passada contra os Rockets, mas infelizmente não conseguiram acertar o arremesso final que mataria o jogo.
   Pelo lado dos donos da casa os destaques foram DeRozan com 27 pontos, 3 assistências e 6 rebotes, e kyle Lowry com 24 pontos e 6 assistências. A próxima partida dos Raptors será sexta, quando receberão os atuais campeões Heat e suas superestrelas. 
Blatche jogou bem e ajudou na vitória com 24 pontos
   Os destaques da partida ficaram para o novato Plumlee, pivô que veio de Duke, que teve 4/5 dos arremessos de quadra e anotou 9 pontos, além de ter uma jogada no Top 10. Os veteranos vindos de Boston foram bem, Garnett anotou 12 pontos, pegou 6 rebotes e distribuiu 4 assistências e Paul Pierce com 16 pontos, 4 rebotes e 4 assistências. Porém os nomes do time na partida foram Joe Johnson com 21 pontos e 6 rebotes e Andray Blatche 24 pontos 5 rebotes. Aparentemente a equipe se encontrou em quadra, e sem contar com Brook Lopez e Deron Williams ambos com lesão.
   A esperança pode ter renascido para os torcedores dos Nets, agora a franquia chega a quarta vitória em 13 partidas e pode começar a engrenar na competição. Hoje a noite enfrenta os Lakers em casa tentando embalar.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Se meus joelhos não doessem mais

Mais um problema no joelho e assim as lesões vão marcando a carreira de um astro
   Infelizmente, alguns atletas sofrem com lesões que encurtam a sua carreira, um dos nomes que passa por um momento de incerteza sobre seu futuro é Derrick Rose. O armador de 25 anos, sofreu mais uma lesão no joelho, dessa vez no esquerdo.
   No último dia 22 durante a derrota para o Portland, em uma disputa de bola, aparentemente sozinho e sem aparentar um entorse, rompeu o menisco medial do joelho direito e necessita de cirurgia, ficando de fora entre 41 e 70 dias. Perto dos 18 meses que ficou fora, isso ainda coloca Rose de novo nessa temporada, o que acalma um pouco os torcedores dos Bulls. Não quero fazer sensacionalismo nem levantar falsas expectativas, mas quando veio ao Rio, Rose mancava ainda e nessa temporada em muitas partidas puxava a perna, poderia ser um prenúncio dessa lesão que o afetou?
41 a 70 dias fora por lesão no joelho direito
   Mas mesmo assim, para um atleta de 25 anos ter lesões nos dois joelhos é preocupante, o futuro do Bulls necessita do Rose e sem ele a franquia de Chicago será apenas mais um bom time, Rose é a estrela que leva a franquia e encanta com seu estilo de jogo. Espero que se recupere e não sofra mais com leões, isso pode manchar a carreira promissora dele, assim como aconteceram com outros atletas, Greg Odem era cotado como um grande pivô e devido a muitas lesões sumiu da liga. 
    Torço muito pelo Rose e pelos Bulls, espero realmente que ele se recupere e não sofra mais lesões, até porque essa lesão não é tão complexa, foi a mesma que Blake Griffin sofreu ainda na época de College Basketball e o cara está na ativa e bem recuperado. Fico na esperança de ver Rose recuperado totalmente, e que isso não afete a sua carreira com uma aposentadoria antecipada. 
    

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Rivalidade texana

Nowitzki um dos nomes do jogo com 35 pontos
   Em grande partida de Nowitzki e Ellis, Mavericks vira jogo em casa e batem os fortes Rockets de Howard e Harden. Quem acompanhou o início da partida de ontem podia prever uma vitória fácil dos Rockets, ainda mais após o término do primeiro período, com uma diferença de 11 pontos para os visitantes. 
   Essa diferença foi se mantendo, ao final do primeiro tempo de partida a equipe de Harden e Howard venciam porn 68 a 61 e dominavam o jogo por completo. A diferença chegou a 18 pontos no terceiro período, sendo a maior da partida. Mas a partir daí só deu Dallas, após um pedido de tempo a equipe veio com tudo e com uma motivação vinda da arquibancada, jogando como podia e atacando e defendendo muito. O esforço valeu a pena e a 47.7 segundos do final da partida a virada aconteceu, com um arremesso de três pontos de Shawn Marion. E ainda contaram com a sorte de que Harden, com 9 segundos para o final do jogo errou seu segundo lance livre e depois a 3.8 segundos errou um arremesso de 3 que empataria a partida, e ainda reclamou muito de falta de Marion, que para mim não foi nada, assim como viram os árbitros.
Fundamental na vitória, 37 pontos e
8 assistências
   


   A partida terminou com uma fantástica virada dos Mavericks, contando com duas atuações monstruosas, uma de Dirk com 35 pontos e 5 rebotes e outra de Ellis, que vem se sagrando como um dos nomes da franquia, com 37 pontos e 8 assistências. Pelo lado dos Rockets os destaques foram Chandler Parsons com 21 pontos e 11 assistências, Howard com 33 pontos e 11 rebotes e James Harden com 23 pontos e 8 assistências. Pela próxima rodada da liga os Rockets recebem os Wolves em casa, no sábado e os Mavericks encaram o Jazz em casa na sexta-feira 22.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

O que está acontecendo?

Coach Kidd, sofrendo com a inexperiência
   Nessa temporada da NBA, está acontecendo com os Nets o mesmo que ocorreu com os Lakers ano passado, uma seleção de grandes atletas e que davam quase como certa a facilidade na liga e talvez, a chance de ser a melhor equipe do leste. Porém, como ocorreu com os Lakers, uma série de derrotas e atuações pífias vem marcando a temporada dos Nets.
   Com grandes contratações, adquirindo um trio de peso dos Celtics (Pierce, Garnett e Terry), parecia que o ano seria só flores, que ninguém faria frente aos poderosos Nets, que contam ainda com Derron Williams e Brook Lopez, dois All-Stars. Além disso, contam com um técnico novato e ex-atleta de renome, Jason Kidd, que era cotado como um cara que faria sucesso na liga como Head Coach.
   Infelizmente, nada dos pontos positivos vem contando, os Nets possuem uma campanha medíocre perto do elenco que possuem, tendo 7 derrotas e 3 vitórias, perdendo inclusive para o Boston Celtics que se enfraqueceu demais nessa temporada. Os atletas principais das temporadas anteriores não tem rendido como esperado, Joe Johson tem médias de 12.8 pontos e Deron Williams de 10 pontos por jogo, exceção de Brook Lopez com médias de 20.5 pontos e 6.5 rebotes. Não dá para entender o que ocorre, mas é muito parecido com os Lakers do ano passado, ao contratar D12 se tornaram uma das melhores franquias, no papel, mas só no papel e após a saída do Superman, e nessa temporada a franquia, mesmo sem Kobe, está jogando bem e vai chegar aos Playoffs.
Garnett em sua nova casa, dificuldades de adaptação
   É complicado explicar o que acontece, mas talvez a junção de estrelas de outras franquias em uma equipe complica o trabalho, não por uma disputa de egos, mas por uma dificuldade em trabalhar em conjunto. Visto que os caras vinham acostumados a um estilo de jogo e agora adaptam-se a outro, talvez até formem um novo, um tempo será necessário para entrarem nos eixos, só espero que não demorem uma temporada, como os Lakers.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Irregularidade e vitória suada

Aproveitamento baixo de novo
   Ontem a noite em partida disputada em Atlanta, a equipe do New York Knicks sofreu para conseguir a vitória, com muita irregularidade de Carmelo Anthony, que sumiu no segundo e terceiro períodos.
   Os Knicks começaram o jogo dominando os donos da casa, que não conseguiam acertar nada, terminando o primeiro tempo com 1 bola de três convertida em 11 tentativas. Enquanto que Carmelo dominava, conseguindo 10 pontos no primeiro período e contanto com a ajuda de Bargnani com a mão quente, e de Tim Hardaway Jr. que veio do banco e colaborou muito. Mas a história mudou no segundo tempo de jogo, os Hawks reagiram e contaram com grande atuação de Jeff Teague (25 pontos e 8 assistências) e de All Horford (23 pontos e 5 rebotes), para passar no placar e abrir uma diferença de seis pontos a oito minutos do fim da partida, após estarem perdendo por dezessete pontos.
Excesso de minutos e forçar jogadas podem justificar
aproveitamento irregular
   Nesse momento eis que ressurge Carmelo Anthony, acertando arremessos importantes e uma bola de três que virou o jogo, os Knicks aceleraram o jogo e conquistaram uma vitória sofrida. Porém o que chamou a atenção no jogo foi a atuação de Carmelo Anthony, o ala acertou apenas 9 de 25 arremessos tentados, com melhor aproveitamento nas bolas de três (50% - 3/6). Durante a partida na transmissão da ESPN, comentava-se nos problemas físicos de Melo, de forma que seu jogo sempre decaí durante as partidas, e que seu aproveitamento é sempre irregular. Ontem Zé Boquinha dizia que, tal atuação deve-se ao fato de Melo ficar muito tempo em quadra, e que tem um desgaste físico muito elevado o que o prejudica em sua precisão, tanto que Melo foi o atleta que ficou por mais tempo em quadra ontem. Mas, deve-se considerar outro aspecto, durante todos jogos dos Knicks e dos Nuggets, Melo forçava arremessos desnecessários, as vezes com dupla marcação, bolas desequilibradas e sem uma boa posição de arremesso.
   Não estou criticando ele, até porque o admiro muito, e torço mais por ele que por Lebron desde o Draft de 2003, mas realmente jogar muito tempo e forçar bolas desnecessárias, são os motivos que o diferenciam de caras que já venceram campeonatos (Kobe, Wade, James). Mesmo assim, Melo foi o cestinha da temporada passada e vem crescendo a cada ano, realmente podendo ser a chance de acabar com um jejum de títulos que perdura por 40 anos.  

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Pequenos tropeços

Derrotas para times fracos podem ser a diferença depois
   Pra quem achava que ia ser fácil o "three-peat" do Heat, esta vendo que na NBA nada é fácil. Com alguns tropeços inimagináveis, as derrotas para Sixers e para os Celtics em casa, o Heat sente as dificuldades que o esperam nessa temporada.
   Com uma campanha de 4 vitórias e 3 derrotas, sendo duas extremamente surpreendentes, para adversários que lutam, teoricamente, para não serem os piores da liga (Celtics e Sixers) e a outra derrota para uma franquia forte e que vem para incomodar no leste, os Nets. As suas vitórias foram contra franquias fáceis, a exceção dos Clippers que nos últimos anos vem lutando por uma vaga nas finais pelo oeste. Mas o que poderia estar acontecendo com o Heat?
   Acredito que estejam sofrendo duas pressões diferentes, a primeira psicológica, o fato de vencerem dois campeonatos seguidos e sendo a melhor franquia durante toda a temporada, pode estar fazendo os seus jogadores acreditar que o jogo está ganho, que jogar contra algumas franquias é só cumprir tabela e que vão levar o caneco de novo. Outra pressão vem dos adversários, ninguém quer perder de novo pro Heat e menos ainda que consigam o three-peat, principalmente as franquias rivais (Bulls, Celtics e Nets). Não estou dizendo que eles estão fazendo corpo mole, ou algo assim, apenas estou levantando hipóteses, pra mim as franquias eu enfrentam o Heat nessa temporada estudaram os adversários e por alguns momentos estão conseguindo marcar os caras bem e equilibrar o jogo, o que leva a esse começo de temporada com um 4-3.
   Sinceramente como torcedor dos Bulls, quero realmente que o Heat perca, nada contra Lebron e cia limitada, mas não gostaria de ver alguém fazendo um three-peat e se igualar aos Bulls, Celtics e Lakers. Pela tradição na NBA o Heat não deveria conseguir, mas por uma boa gestão e um bom marketing (que gerou muitos torcedores, graças a Lebron) a franquia tem chances. Essa temporada promete ser muito disputada e com boas surpresas, vamos torcer e ver quem leva esse ano.
   

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Superação

Da grave lesão ao retorno as quadras, sete meses de batalha
  Na noite passada uma história de superação foi concretizada e com uma grande saudação do público presente. Kevin Ware, lembram dele? O jovem ala de Lousville que sofreu uma gravissíma lesão na perna direita, com uma fratura exposta de tíbia e fíbula.  
   Ware fez sua estréia na noite passada, em um jogo de exibição e na primeira oportunidade que teve anotou uma cesta de três pontos marcado, que levou o público ao delírio. O estádio veio a baixo e a emoção contagiou a todos, e pode-se notar a emoção de Ware.
   O jovem retornou as quadras após sete meses fora de ação, mesmo anotando apenas 6 pontos e 4 rebotes, o simples fato de estar jogando já mostra a superação que esse atleta possui e que, tomara, tenha uma carreira de sucesso e possa jogar na NBA. 

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Atleta da semana e novato sensação

Mitando na liga
   Quando foi draftado na primeira rodada, na 11° posição, os Sixers esperavam que o jovem fosse fazer uma diferença na equipe extremamente jovem e que pudesse vir a ser, com o passar dos anos, uma estrela da franquia assim como Iverson e Doctor J. O que não esperavam era que isso aconteceria agora.
   Em apenas uma semana, o jovem de 22 anos conseguiu igualar-se a Lebron e Shaquille O'neal. Na sua partida de estréia, a melhor de um novato desde Lebron James, anotou 22 pontos, pegou 7 rebotes, roubou 9 bolas e distribuiu 12 assistências, começando a temporada como o melhor novato. Mas o melhor ainda estava por vir, em uma semana espetacular, Carter-Williams ficou com médias de 20.7 pontos, 4.7 rebotes, 9.0 assistências e 4.3 roubos de bola por partida. Sendo assim nomeado o Jogador da Semana pelo lado Leste, igualando-se a Shaq (1992), e sendo apenas a segunda vez na história que um novato é eleito jogador da semana, feito que Jordan, Lebron, Kobe e tantos outros não puderam igualar.
   Com essa semana arrasadora, em muitos lugares o armador lidera votações e discussões como o favorito a ser o novato do ano, e se realmente mantiver essas médias, será o novato do ano, All-Star e talvez ganhe outros prêmios. Pode-se notar na forma que atua, que é um jogador pronto para a NBA, apesar de novato se mostra muito inteligente e com um incrível controle de bola e com muita facilidade em pontuar e em, encontrar ou deixar, colegas livres para pontuar.
   Para as próximas temporadas, os Sixers verão esse jovem armador se tornar um dos grandes da liga e levar a franquia longe.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Noite notável

   Na noite passada duas partidas foram disputadas, em ambas fatos importantes aconteceram e duas atuações brilhantes renderam as vitórias de Bulls e Clippers. Graças a seus armadores (Rose e Paul), as equipes obtiveram triunfos diante de suas torcidas.
O nome do jogo, sacramentando a vitória do Bulls
   No jogo entre Bulls e Kniks, que marcou o retorno de Rose a sua cidade em um jogo oficial, foi uma grande disputa, definida nos segundos finais e por Rose, voltando com tudo. A partida foi muito bem disputada, com o Chicago Bulls na maior parte do tempo a frente do placar e mantendo uma diferença de 10 pontos, as vezes mais ou menos. Porém, no último período o time de Thibodeau dormiu e os Kniks passaram a frente quando faltavam 5 minutos para o fim da partida. Daí pra frente foram uma série de erros para os dois lados, até que Noah fez falta em Chandler na disputa de rebote faltando 10.6 segundos para o fim do jogo. O pivô dos Kniks converteu um dos lances livres, e os Bulls armaram uma jogada, Rose bateu pra dentro contra dois defensores e converteu uma cesta a 5.7 segundos do final. Os Kniks tiveram mais uma chance com Melo, que em noite de baixo aproveitamento errou e a vitória dos Bulls foi decretada. Pelo lado de Chicago os destaques foram, Rose com 18 pontos e 3 assistências e Noah que ,defensivamente foi um monstro, conseguindo 15 rebotes e 6 pontos. Pelos Kniks o destaque foi Melo, que acertou apenas 8 de 24 arremessos e terminou o jogo com 24 pontos, 6 rebotes, 6 assistências e  6 roubos de bola. Os Bulls enfrentam os Sixers na Philadelphia no sábado, enquanto os Kniks recebem os Timberwolves no Madson Square Garden no domingo.
Noite notável, será Paul MVP esse ano?
   O outro jogo da noite teve muita emoção e algumas confusões. A primeira discussão acirrada foi entre o técnico Mark Jackson dos Warriors e Blake Griffin, que no fim das contas não se sabe porque começou ou sobre o que estavam discutindo.  Mais para o meio do jogo, durante uma jogada, DeAndre Jordan recebeu uma falta mais dura de Adrew Bogut e trocaram empurrões, rapidamente contidos por colegas de equipe e árbitros. Se as franquias se enfrentarem nos Playoffs prometem ter disputas bem acirradas, uma rivalidade nova pode estar surgindo. Fora isso, o jogo foi sensacional, em especial para Chris Paul que conseguiu números impressionantes, anotando 42 pontos (1 ponto de seu recorde), 15 assistências e 6 roubos de bola. Além do armador quem jogou bem foi Blake Griffin, a arma de enterrar anotou 23 pontos e pegou 10 rebotes, com 3 enterradas monstruosas em contra-ataques. Seu companheiro de voos  Jordan anotou 9 pontos e pegou 17 rebotes, mostrando a dominância do garrafão dos fortes Clippers. Pelo lado dos Warriors o atleta que mais pontuou foi Stephen Curry, com 38 pontos e 9 assistências, porém foi o atleta que mais errou em toda a partida. Juntamente com ele os destaques de sua equipe foram Lee com 22 pontos e Iugodala com 14 pontos e 11 assistências. Nessa sexta os Clippers vão a Sacramento enfrentar os Kings, enquanto os Warriors recebem os mesmos Kings no sábado.