quinta-feira, 29 de maio de 2014

Um pingo de esperança

Paul George monstruoso garante a vitória e uma
sobrevida aos Pacers
   Com atuação monstruosa de Paul George no último quarto, Pacers vencem os campões Heat e seguem acreditando na conquista do titulo no lado leste. Lebron foi outro destaque, jogando muito mal, anotando apenas 7 pontos, acertando 2 em 10 dos arremessos tentados.
   O jogo começou com um Pacers agressivo, buscando o ataque e a vitória a todo custo. Trabalhou bem a bola e soube levar os ataques do Heat, enquanto Lebron era bem marcado quem dava trabalho era Ray Allen que terminou a partida com 15 pontos e Bosh que finalizou o jogo com 20 pontos e 10 rebotes. Com 10 minutos jogados, e no começo do segundo período, Lebron foi para o banco com três faltas, o que mudaria o curso do jogo. Ao retornar para a partida e ainda no começo do terceiro período, Lebron chegou a sua quinta falta em uma disputa de bola com Stephenson, mesmo assim voltou no último período.
Lebron joga mal, faz muitas faltas e complica o Heat
   Aliás, o melhor período da série, onde Paul George acertou 8 dos 10 arremessos que tentou e marcou 21 de seus 37 pontos. Dando a vitória e o suspiro para os Pacers, agora ainda resta uma esperança de reverter o mando do Heat e vencer o jogo 7 em casa e com o apoio da torcida. Os destaques do jogo foram Paul George com 37 pontos, 6 roubos de bola e 6 rebotes, West com 19 pontos e 9 rebotes, e Roy Hibbert com 10 pontos e 13 rebotes. As chances dos Pacers foram renovadas, mas ainda assim, o Heat é favorito e tem mais chances de levarem essa série de Playoffs, isso se Lebron voltar a jogar bem.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Festa no garrafão

   Primeiro jogo entre Spurs e Thunder foi ontem, e melhor para quem tem o mando de quadra, sem Ibaka, Thunder sofrem com o garrafão "aberto" e sucumbem a força ofensiva dos Spurs.
Parker fez a festa com suas infiltrações
   Ontem a noite na primeira partida das finais do lado oeste, o que se viu foi uma equipe com uma variabilidade imensa no seu ataque e muita inteligência (Spurs) e do outro lado uma equipe aguerrida que perdeu um jogador importante e que sentiu muito essa ausência (Thunder), não que isso justifique a derrota mas explica muito a situação da partida. O jogo começou com um Spurs arrasador, abrindo vantagem rápido e atacando por todos os lados da quadra, mas aproveitando muito o garrafão "vazio" do Thunder, que sem Ibaka perdeu força nesse setor, onde os Spurs marcaram 22 de seus 37 pontos do segundo período. A equipe do Texas obteve um aproveitamento de 57,5% de seus arremessos, com destaque para Tin Duncan com 27 pontos e 7 rebotes e Tony Parker com 14 pontos e 12 assistências, o brasileiro Tiago Splitter jogou bem e contribuiu com 6 pontos e 8 rebotes, sendo o reboteiro dos Spurs.
Nem mesmo o MVP salvou o Thunder
   Do outro lado da quadra estavam Durant e o Thunder, infelizmente a franquia sucumbiu ao ataque dos Spurs que anotou mais de 60 pontos no garrafão e não foi realmente ameaçado durante a partida. Pelo Thunder o destaque foi o MVP, Kevin Durant que anotou 24 pontos e 9 rebotes, seguido por Westbrook com 25 pontos e 7 assistências e pelo veterano Derek Fisher com 16 pontos e 2 roubos de bola. O problema do OKC foi a sua defesa que ficou muita fraca, permitiu muitas infiltrações dos Spurs e o ataque não conseguiu buscar a diferença que foi aumentando a cada período, chegando 23 pontos.
   Para o próximo jogo o Thunder tem que reoorganizar a sua defesa, pensar em uma forma de dificultar as infiltrações dos Spurs e achar uma forma mais constante de atacar. Os Spurs se conseguirem repetir a última atuação saem de casa com um 2-0, e vão a Oklahoma tentar a sorte de fechar o confronto. 

domingo, 18 de maio de 2014

Grande começo

   Com grande começo, os líderes da Conferência Leste, Indiana Pacers faz valer o mando de quadra e vence o Miami Heat com soberania. Destaque para Paul George e Roy Hibbert que contribuíram muito com a equipe, mas o foco ficou no trabalho coletivo.
Boa atuação do pivô ajudou na construção da primeira vitória
   O primeiro jogo da tão aguardada final da Conferência Leste foi hoje a tarde, e mostrou que o Heat não vai ter vida fácil. Em um jogo onde Lebron começou "nervoso", errando passes e forçando jogadas desnecessárias, os Pacers foram pra cima com tudo, com um bom trabalho ofensivo que dificultava a defesa do Heat e com um aproveitamento absurdo de bolas de três (chegou a certo ponto a marca de 86%), os donos da casa abriram vantagem e não perderam o domínio do placar desde o primeiro minuto, chegando a abrir 19 pontos de diferença no terceiro período.
Nem mesmo o King salvou o Heat
   Não pode-se dizer que foi fácil, em alguns momentos a diferença baixou até 5 pontos, mas mesmo assim não era dia do Heat, enquanto Lebron anotava 25 pontos, 10 rebotes e 5 assistências e Wade contribuia com 27 pontos e 4 assistências, o ala Chris Bosh jogava mal, anotando apenas 9 pontos em toda partida, sendo que 4 desses foram no primeiro tempo de jogo. E os números não mentem, quando um dos craques do Big-Three de Miami joga mal normalmente a equipe é derrotada.
   Do outro lado da quadra, quem não estava nem aí pra história era Paul George que anotou 24 pontos e 7 assistências, George Hill que teve o seu melhor primeiro período de toda a temporada com 15 pontos, além de Hibbert e West que anotaram 19 pontos e 9 rebotes, e 19 pontos e 7 rebotes, respectivamente. Juntamente com os 17 pontos e 8 assistências de Lance Stephenson, e esses números mostram como a distribuição de jogo dos Pacers fez a diferença. Em muitas jogadas os jogadores estavam de frente para cesta, mas preferiam um passe a mais para um colega totalmente desmarcado e o jogo com o pivô foi muito bem executado, em quase todas as bolas de três convertidas a jogada iniciou-se com um passe no garrafão e logo foi aberta para alguém matar do perímetro.
   O jogo mostrou que os Pacers vem com força para tentar chegar as finais, fato que não ocorre desde 2000, e que serão um adversário mais duro para a equipe do Heat do que foram Bobcats e Nets. O favorito, em minha opinião, ainda é o Heat, mas terão de fazer por merecer e provar que são mesmos os favoritos.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

O Brasil no draft

   Dois jovens brasileiros irão tentar a sorte no Draft da NBA, Bruno Caboclo e Lucas Mariano se inscreveram para esse que pode ser uma das mais espetaculares loterias da liga.Em um ano com grandes nomes inscritos como Jabari Parker, Andrew Wiggings, Aaron Gordon, Marcus Smart, Julius Randle, entre outros, os dois jovens brasileiros buscam seguir os passos de Nenê, Lucas Bebê e Raulzinho, selecionados para liga pelo Draft. 
Pivô que já treina com a Seleção 
   Pois bem, vamos então falar dos nossos atletas, o jovem pivô de Franca, Lucas Mariano que completa 21 anos em setembro, joga a três no NBB e vem travado batalhas com atletas experientes e com grande técnica e força física. O jovem tem mostrado seu valor, parecendo não se intimidar com seus adversários e apresentando boas qualidades como seu arremesso de média e longa distância, defende muito bem e possuí um bom porte físico e atleticismo para seus 2,06m. Na atual temporada, atuou em 38 jogos e possuí médias de 52,2 % de aproveitamento, 13,2 pontos e 3,9 rebotes por partida.
A jovem sensação do basquete nacional
   O outro brasileiro da lista, Bruno Caboclo, tem apenas 18 anos (fará 19 em setembro), é um ala alto com 2,06m, muito atlético e que lembro o porte físico do MVP Kevin Durant. O jovem começou a chamar a atenção depois de jogar e ser o MVP do Torneio Basquete sem Fronteiras, organizado pela NBA em julho do ano passado na Argentina, e desde então a liga o monitora de perto. Na LDB, terminou com médias de 14,8 pontos, 6,8 rebotes e 2,4 tocos, mas o jovem chamou ainda mais atenção em seu primeiro jogo internacional adulto, na Liga das Américas quando fez 24 pontos e pegou 5 rebotes, mas se machucou na fase seguinte e acabou não jogando mais. Não se tem certeza de como será a fase de treinamentos, se o atleta vai ficar no Brasil, vai pro Estados Unidos ou se juntará a vários atletas em Treviso (como fizeram Bebê e Raulzinho).
   Temos de ser realistas, é pouco provável que eles sejam selecionados (Caboclo tem mais chances), mas não por serem ruins, ambos são bons, o problema é que essa classe possuí uma gama de jovens que parecem estar prontos para a NBA e que vem brilhando desde o High School, mas fica aqui a minha torcida por esses dois jovens talentosos.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Que série de Playoffs

  
Agora sim, falta pouco para sabermos quem manda na NBA

   A primeira rodada dos Playoffs dessa temporada foi espetacular, por mais que podessemos esperar por jogos sensacionais, nunca passou pela minha cabeça que tantas séries seriam decididas no sétimo jogo. 
 Quando fiz essa publicação: http://maisbasquete.blogspot.com.br/2014/04/ah-os-playoffs.html
não esperava que os jogos fossem tão pegados, tanto que coloquei apenas o Heat classificando de forma "fácil". Infelizmente meus amados Bulls caíram, de forma vexaminosa e sem impor nem um pouco de pressão aos Wizzards, meu palpite sobre os Rockets foi errado, acreditava que esse ano Harden e Howard iam superar seus adversários, mas foram dominados por Lillard e Aldridge (que jogou muito e se for as finais é forte candidato a MVP). Apostei errado contra os Nets, duvidei dos velhinhos bons de bola e agora quem sente medo é o Heat, óbvio que tem mais time e que é o favorito, mas eles não sabem o que é superar os Nets nessa temporada.
   Para os próximos confrontos acredito ainda mais nos jogos 7, provavelmente todos os jogos podem chegar a esse ponto, são excelentes equipes e que sabem se adaptar aos tropeços passados (fase anterior) e se reorientar. Mas, ainda assim, alguns fatores pesam, entre Clippers e Thunder, acho que dá Thunder, com KD (MVP) muito motivado e encontrando seu bom basquete, ao lado de um armador que não tem medo de nada e que sabe decidir jogos. Entre Spurs e Blazzers, aposto nos Spurs, os velhinhos jogam melhor a cada ano que passa, sabem se encontrar na quadra e sabem os atalhos para vencer uma partida, se o físico suportar eles passam. No lado leste podem acontecer surpresas, até a rodada passada eu achava que os Pacers iam com tudo para as finais, mas com a forma que sofreram para passar os Hawks e enfrentando os Wizzards embalados, acho que pode acontecer uma reviravolta. E para os atuais campeões, fica aobrigação de fazer valer o favoritismo, mas enfrentando um adversário "imbatível" nesse ano, com o retrospecto de 0-4, o Heat precisa muito fazer valer o seu elenco e chegar novamente as finais.
   Sabe o que é melhor com isso tudo? Quanto mais jogos, mais NBA para nós fãs e a muitos anos não via séries de Playoffs tão equilibradas. Espero que vença quem for mais merecedor, nem sempre é o "melhor" quem leva a taça.