terça-feira, 19 de junho de 2018

Jay-Z e Puma juntos

Jay-Z presidente da Puma Basketball


   Como parte de seu compromisso ofensivo de relançar sua categoria de tênis de basquete, pela primeira em 20 anos, a Puma anunciou hoje que o rapper e empresário Jay-Z foi nomeado presidente da Puma Basketball.
Vince Carter e seus Pumas do fim dos anos 90
   Antes do Draft que acontece nessa semana, a Puma á assinou contratos com DeAndre Ayton, Marvin Bagley III e Zhaire Smith para serem patrocinados por alguns anos nas vestimentas e tênis. Esse trio representa os primeiros contratos de patrocínio para a marca em 20 anos, a última vez que um atleta tinha assinado um contrato foi em 1998, quando Vince Carter na época concordou com um acordo de 10 anos, embora tenha sido curto e durado apenas dois.
   O fã de basquete e magnata da música, Jay-Z, cujo nome é Shawn Carter, deve ser o líder da direção criativa para campanhas de marketing, terá voz no produto e também ajudará a identificar os próximos atletas e astros da NBA que podem ser mais adequados para um contrato.









Walt Frazier o primeiro atleta da Puma
  Antes de lançar seus novos tênis de basquete nessa semana, a Puma assinou com Walt "Clyde" Frazier, seu primeiro atleta, um contrato vitalício em uma elaborada cerimônia ocorrida em New York. Espera-se que a nova silhueta da marca seja uma atualização do icônico Clyde Original de 1973, feito em malha e com a tecnologia atual.
   DeAndre Ayton firmou um contrato por quatro anos com a marca, para roupas e tênis, anunciado hoje pela empresa. "Estamos fazendo uma declaração séria de que estamos entrando nessa categoria (basquete), que queremos ser uma marca de desempenho, mas também focada culturalmente". - disse Adam Petrick, diretor global e de marketing da empresa.
   Enquanto o papel na presidência é um grande relançamento para a Puma no basquete, Jay-Z já está em sintonia com a marca há mais de ano. Ele foi vestido pela empresa durante sua turnê de 2017 para lançar o álbum 4:44. Além disso, sua agência de esportes a Roc Nation Sports têm uma série recente de acordos com a Puma, vários clientes da agência da NFL, MLB, NBA e WNBA firmaram acordos com a marca. Rihanna que é cliente da Roc Nation desde 2010, têm tido uma coleção bem sucedida de tênis e roupas com a Puma desde que tornou-se diretora criativa da marca em 2014.
   Com o rapper liderando o caminho a marca tentará conseguir novos acordos com novatos nesse Draft de 2018, além de atletas que terão contratos de patrocínio vigorando em outubro. 
   "Está claro que estamos olhando para o basquete através das lentes da cultura e pensando sobre a moda do basquete, a música do basquete, todos os aspectos da cultura do basquete. Todos os aspectos da cultura ao redor do basquete será muito maior que a presença que teremos em quadra". - disse Petrick. 
   Temos mais uma "nova" marca chegando ao mercado do basquete, mais um fornecedor de material esportivo á conhecido e consagrado que volta para o basquete. Contando com Jay-Z no comando certamente essa parceria da Puma com o basquete renderá muitos bons frutos!

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Heróis do passado: Kevin Johnson

Passagem memorável pela NCAA
   Chegando mais um texto quentinha da nossa série, hoje relembramos a brilhante carreira de Kevin Johnson ídolo do Phoenix Suns, atleta dos anos 90 que tinha um incrível potencial. Foi um atleta que teve sucesso por onde passou e quase jogou beisebol, mas optou pelo basquete e acertou na escolha. Não conhece o craque? Chega mais.
   Kevin Johnson começou  a jogar basquete em Sacramento High School, onde também era atleta de beisebol. Em seu último ano, foi o cestinha da Califórnia com 32.5 pontos de média e eleito o jogador do ano do norte da Califórnia. Com um sucesso tão grande nos esportes conseguiu uma bolsa para estudar na Universidade da Califórnia, ele foi um dos grandes nomes da história da universidade. 
Uma temporada no Cavs apenas
   Johnson atuou por quatro anos e teve médias de 14 pontos, 4.4 assistências e 3.6 rebotes, foi duas vezes eleito para o Primeiro Time da Conferência Pac-10, levou a equipe a duas aparições seguidas no NIT (1986 e 1987) e foi o primeiro atleta da conferência a anotar um triplo-duplo. Quando deixou a equipe para ingressar na NBA, era o líder de todos os tempos assistências, roubos de bola e pontuação e em 1992 tornou-se o primeiro jogador a ter seu número aposentado (#11).
   Ele jogava beisebol junto com o basquete, em 1986 foi selecionado pelo Oakland Athletics na 23° posição do Draft. Depois de jogar algumas partidas com a equipe da Minor League de Modesto, desistiu do beisebol e dedicou-se ao basquete, pois achava o caminho para a profissionalização mais fácil com a bola laranja. 
   No ano seguinte, 1987, foi selecionado na 7° posição do Draft da NBA pelo Cleveland Cavaliers. Ao ser selecionado a ideia inicial era que fosse disputar posição com Mark Price, mas não aconteceu e ele acabou sendo reserva por quase toda temporada. Em seu primeiro ano foi titular em 28 jogos e teve médias de 9.2 pontos, 5.5 assistências e 2.4 rebotes em 24 minutos de jogo. Na metade da temporada seguinte foi negociado com o Phoenix Suns, sendo enviado juntamente com Mark West, Tyrone Corbin e uma escolha do Draft, em troca de Larry Nance, Myke Sanders e uma escolha do Draft.
   A mudança de cenário foi o salto que faltava para alavancar a sua carreira, Johnson tornou-se peça chave na equipe do Suns e em sua primeira temporada com a nova equipe teve médias de 20.4 pontos, 12.2 assistências e 4.2 rebotes e 50,5% de aproveitamento dos arremessos. Com esses números juntou-se a Magic Johnson e Isiah Thomas como únicos jogadores da história com médias de pelo menos 20 pontos e 12 assistências. 
Nova vida com o Suns
   Sua rápida evolução lhe rende o título de MIP da temporada 1988/89, sendo a primeira de três temporadas consecutivas de pelo menos 20 pontos e 10 assistências, colocando-o novamente em uma seleta lista com Oscar Robertson e Isiah Thomas. Ele foi a mudança da franquia, entre 1989 e 1995, o Suns foi a franquia que mais venceu partidas na temporada regular com 394 vitórias, uma média de 56 e nunca menos que 53, única franquia a vencer pelo menos 50 jogos nesse período. 
   Ele foi aos Playoffs em todas as temporadas da carreira com exceção da primeira, ele levou os Suns a um recorde de 62-20 e chegou as finais da NBA onde perdeu para o Bulls de Jordan. No jogo 3 estabeleceu o recorde da NBA em minutos jogados em uma final, com 62 minutos no jogo 3 em três prorrogações. 
Um dos grandes nomes dos anos 90
   Johnson teve duas hérnias não diagnosticadas, uma em 1992 e outra em 1995, só foram saber delas em 1996, quando as trataram. Após a temporada 1997/98 aposentou-se mas voltou na temporada 1999/00, para substituir Jason Kidd nos Playoffs, os Suns avançaram mas foram eliminados pelo Lakers na segunda rodada e Johnson deixou as quadras de vez.
   Kevin Johnson foi um dos grandes armadores dos anos 90, ele teve médias de 17.9 pontos, 9.1 assistências e 3.3 rebotes em 13 temporadas na NBA. Foi 3 x All-Star, 4 x All-NBA Segundo Time, MIP de 1989 e teve seu número (7) aposentado pelo Suns. Com toda certeza uma carreira respeitável. 


terça-feira, 24 de abril de 2018

Iverson acredita que Sixers pode ser campeão

The Answer acredita no processo

   A lenda dos Sixers, e provavelmente maior ídolo da história da franquia, Allen Iverson, disse hoje em entrevista que a equipe da Philadelphia "definitivamente" tem chances reais de serem campeões da NBA em 2018.
   Em entrevista  à Stephen A. Smith, no First Take da ESPN, AI disse que a equipe chegou longe o suficiente para acreditar que competir pelo título está ao seu alcance. "Acho que nossa hora é agora". Quando questionado se isso significava vencer o campeonato ele disse: 
   "Definitivamente. Por quê não? Por quê não nós? Acho que temos talento, temos o coaching staff e nós definitivamente, definitivamente temos o apoio dos torcedores".
   Concordo quase que plenamente com Iverson, os Sixers lideram por 3 a 1, a única série que está praticamente decidida pelo lado leste e jogando muito bem. Dominaram o Heat em Miami nas duas partidas passadas, e enquanto escrevia esse texto ia vencendo em casa e garantindo sua vaga nas semifinais. Na rodada seguinte encara o vencedor de Bucks x Celtics, e na minha opinião tem muitas chances de avançar as finais de conferência.
   Se analisarmos os adversários do lado leste, temos um Cavaliers super dependente de Lebron James, o Pacers que não é um time forte, Wizards e Raptors cheios de altos e baixos nessa primeira rodada, mostrando como a Conferência Leste está em aberto essa temporada. As chances de vencerem a NBA são pequenas se olharmos pro lado oeste, principalmente com as estrelas que têm Rockets e Warriors, mas de qualquer forma, concordo com AI quando ele fala que vê um futuro brilhante para os Sixers. 
   Imaginem se o Lebron realmente vai pra lá? Aí sim, teriam um time que poderia ser campeão.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Heróis do passado: Walter Davis

Sweet D
   Salve leitores, hoje chegamos para recordar a carreira de Walter Davis, um dos grandes nomes da história do Phoenix Suns. Um ala, ala-armador de grande sucesso na NBA e na NCAA, vem conferir.
   Davis começou a jogar basquete em Pineville, na Carolina do Norte, destacando-se cedo. Sua equipe do ensino médio, South Mecklenburg High School, de Charlotte, foi três vezes consecutiva campeã estadual perdendo apenas quatro jogos nesse período. Sua boa passagem no ensino médio lhe garantiram uma vaga em North Carolina, onde jogou por quatro temporadas em altíssimo nível, mantendo médias de 15.7 pontos, 5.6 rebotes e 3.4 assistências. Em seu último ano, foi selecionado para jogar na equipe olímpica de 1976 e conquistou o ouro olímpio. 
   Em North Carolina recebeu o apelido de Sweet D, por conta de seu estilo suave e fácil de jogar, e sua tenacidade na defesa. Sua carreira profissional começou em 1978, quando foi selecionado pelo Phoenix Suns na 5° do Draft. Davis chegou na NBA voando, com médias de 24.2 pontos e 6 rebotes, ambas marcas mais altas da carreira, lhe garantindo assim o título de Novato do Ano e uma posição no All-NBA Segundo Time.
Walter Davis foi um dos grandes nomes dos Tar Hells
   Sua carreira no Suns foi um casamento maravilhoso, em 11 temporadas com a equipe de Phoenix teve médias de 20.5 pontos, 4.4 assistências e 3.2 rebotes. Ele manteve a média de pelo menos 20 pontos em seis das onze temporadas, além de ter sido selecionado para o All-Star Game seis vezes, lhe garantindo assim o posto de maior cestinha da história dos Suns. Infelizmente, suas últimas temporadas com a equipe foram marcadas por problemas recorrentes nas costas e por um escândalo com uso de drogas. 
Maior cestinha da história do Suns
   Em 1987 foi chamado para testemunhar sobre o uso de drogas ilegais por outros jogadores do Suns, em troca de imunidade em processos. Ele havia entrado duas vezes em clínicas de reabilitação para tentar se livrar da cocaína. Seu declínio culminou com o da franquia, em 1988 quando seu contrato acabou os Suns nem fizeram força para tentar renová-lo, ofereceram um contrato de um ano pela metade de seu salário. 
   Davis então foi jogar no Denver Nuggets, assinando um contrato de duas temporadas por 1,35 milhões de dólares. Ele jogou dois anos com a equipe, depois foi trocado para os Blazers e retornou para Denver para encerrar sua carreira. Apenas em suas duas últimas temporadas na carreira que ele teve médias abaixo dos 13 pontos, teve na carreira médias de 18.9 pontos, 3.8 assistências e 3 rebotes, foi 6 x All-Star, 2 x All-NBA Segundo Time, é membro do Suns Ring of Honor, maior cestinha da história do Suns e teve o número 6 aposentado pela franquia.
   Ele foi um excelente atleta, teve uma carreira brilhante e merece nossa recordação. 

terça-feira, 17 de abril de 2018

Heróis do passado: Dick Van Arsdale

Dick e Tom nos tempos de Indiana
   Nossa série segue falando dos grandes nomes da liga, hoje relembramos a carreira de Dick Van Arsdale, atleta de boa passagem nos Knicks e com uma brilhante carreira no Suns. Não conhece a fera? Chega mais.
   Arsdale nasceu em Indianapolis, Indiana, onde começou a jogar basquete por Emmerich Manual High School, onde demonstrou suas boas habilidades e conseguiu uma vaga em Indiana. Ele teve três boas temporadas com os Hoosiers, sendo que a segunda foi a melhor com médias de 22.3 pontos e 12.4 rebotes, sua média universitária foi de 17.2 pontos e 10 rebotes carimbando sua presença na NBA.
   Sua carreira profissional começou em 1965, quando foi a 10° escolha da segunda rodada do Draft, pelo New York Knicks. Arsdale passou suas três primeiras temporadas em New York, onde teve médias de 12.8 pontos, 5.7 rebotes e 2.8 assistências, atuando como ala-armador foi selecionado para o All-Rookie Primeiro Time ao lado de seu irmão gêmeo Tom Van Arsdale. Ao sair dos Knicks para os Suns, onde sua carreira decolou, em suas três primeiras temporadas com a equipe foi selecionado para o All-Star Game.
Uma trajetória incrível com o Suns
   No Suns chegou pelo Draft de expansão da liga de 1968, conseguiu evoluir seu jogo, nas suas três primeiras temporadas teve médias de 21.4 pontos, 4.7 rebotes e 4.4 assistências. Ele teve uma carreira bem consistente, com médias de 16.4 pontos, 4.1 rebotes e 3.3 assistências, conhecido por ser muito bom nos lances-livres (79% média na carreira). Em 1977 deixou as quadras mas sua ligação com os Suns nunca acabou, ele foi gerente geral da equipe e atualmente é o vice-presidente sênior pessoal dos jogadores. Em 1987 chegou a ser treinador por um curto período de tempo, por tudo que fez e ainda faz pelos Suns, teve seu número (5) aposentado pela franquia e faz parte do Phoenix Suns Ring of Honor. Ele era conhecido como The Original Sun.


domingo, 15 de abril de 2018

Chances do Draft atualizadas



   Cinco equipes terminaram a temporada regular 2017/18 com o mesmo recorde, para resolver esse problema para determinar as chances de primeira escolha, foram realizados sorteios que acertaram os percentuais de cada franquia.
   Os sorteios foram conduzidos por Kiki VanDeWeghe, vice presidente de Operações do basquete da NBA, no Hotel St. Regis em Nova Iorque e transmitido ao vivo pela a NBA TV. O processo foi supervisionado por Darrington Hobson, representante da firma de contabilidade Ernst & Young.
   Os resultados dos sorteios foram:
   Dallas (24-58) venceu o desempate com Atlanta.
   Chicago (27-55) venceu o desempate com Sacramento.
   Miami (44-38) venceu o desempate com Milwaukee.
   San Antonio (47-35) venceu o desempate com Minnesota.
   Oklahoma City (48-34) venceu o desempate com Indiana, New Orleans e Utah. O segundo, terceiro e quarto lugar nesse sorteio foram Utah, New Orleans e Indiana respectivamente.
   O soretio do Draft patrocinado pela State Farm acontecerá na terça-feira, 15 de maio, em Chicago. O Draft será na quinta-feira, 21 de junho, no Barclays Center, no Brooklyn, NY. O sorteio do dia 15 determinará quem as três primeiras escolhas do Draft, da 4° a 14° escolha as posições são determinadas pela ordem inversa de seus recordes na temporada regular, abaixo trago as equipes e suas chances de pegar a pick 1:

EQUIPE              RECORDE      %VITÓRIAS      CHANCE NA LOTERIA
Phoenix               21-61              25,6                         250
Memphis             22-60              26,8                         199
Dallas                 24-58              29,3                         138
Atlanta               24-58              29,3                         137
Orlando              25-57              30,5                          88
Chicago              27-55              32,9                          53
Sacramento        27-55              32,9                          53
Brooklyn*           28-54              34,1                          28
New York            29-53              35,4                          17
Lakers**            35-47              42,7                          11
Charlotte            36-46              43,9                           8
Detroit***         39-43              47,6                           7
Clippers             42-40              51,2                           6
Denver              46-36              56,1                           5

*Brooklyn para Cavs via Boston
**Escolha pode ser enviada para Boston via Sixers via Suns ou para o Sixers via Suns.
***Escolha pode ser enviada para os Clippers.

   Essas são as chances de cada equipe na loteria para a primeira escolha, quem tem mais chances de conseguir a primeira escolha é o Suns, mas vai que no sorteio quem vence é o Nuggets. Depois do sorteio e determinada as 3 primeiras escolhas, no dia 21 de maio saberemos quem serão os novatos da liga.