quarta-feira, 31 de julho de 2013

Playoffs à vista

A peça que faltava na reformulação do elenco
   Com uma boa série de contratações, a equipe do Detroit Pistons possui no momento o melhor plantel a disposição para competir na NBA desde o título da temporada 2003-2004. Após recontratar o veterano Chauncey Billups, o ala/pivô extremamente disputado, Josh Smith, agora contrata um dos bons armadores da liga, Brandon Jennings.
   Na noite passada o acerto foi confirmado, os Pistons pagarão para Jennings 24 milhões de dólares por três anos de contrato, além de terem enviado para Milwaukee Brandon Knight, que ficou famoso na liga após seu tompo em um crossover incrível de Kyre Irving no All Star Game e também pela "machadada" que tomou de DeAndre Jordan que foi eleita a jogada do ano e a enterrada do ano por canais esportivos americanos. Além dele, foram enviados também Khris Middleton e Viacheslav Krastov. 
   Para os Pistons, o melhor de todas as suas negociações foi o fato de não terem perdido seus atletas mais talentosos, os jovens pivôs, Greg Monroe e Andre Drummond. Brandon Jennings chega com boas médias, sendo elas de 17,5 pontos, 6,5 assistências e 1,6 roubos de bola por partida. O armador de 24 anos conseguiu levar os Bucks a duas séries de Playoffs, sendo varridos pelos campeões Miami Heat.
2004 o ano de ouro dos Pistons e o último de Playoffs
              
  
   No momento o que perdura na história recente dos Pistons, desde 2008, somente acumula campanhas com mais derrotas do que vitórias e um jejum de Playoffs desde 2004. Porém essa escrita muda esse ano, com o plantel que conseguiram montar até o momento e conseguindo realizar um bom trabalho os Playoffs são uma possibilidade alta. Com um bom quinteto ininicial, talvez um dos melhores da liga, a franquia de Detroit tem boas chances de retornar aos Playoffs e pelo menos almejar um título de divisão.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Complicou pro Bebê

Ayon, talvez tenha decretado a ida de Bebê para a Europa
por mais uma temporada
   Ontem as chances de Bebê continuar na NBA diminuíram, a sua franquia, o Atlanta Hawks, anunciou a contratação de mais um pivô, o mexicano Gustavo Ayon, que havia sido dispensado pelos Bucks. Após essa contratação, a equipe de Atlanta conta com 6 pivôs com contrato no seu plantel.
   Mesmo tendo jogado bem na Summer League e demonstrar querer jogar na NBA, deixando de lado a convocação da seleção e uma chance de disputar o Sul Americano, Bebê vê seu futuro ainda mais indefinido na liga. O brasileiro ainda possui contrato com os Estudiantes, equipe de Madrid, e precisa resolver a sua recisão antes de mudar-se em definitivo para os Estados Unidos, caso contrário passará mais um ano na Europa.
Futuro incerto 
   A alguns dias, a imprensa noticio que os Hawks estavam perto de negociar a recisão de contrato de Bebê, para isso, a equipe dos Estudiantes deveria aceitar diminuir o valor da multa recisoria que estimasse em quase um milhão de dólares. Aqui encontra-se o problema, a NBA possui um limite estipulado para as franquias arcarem com as multas recisórias, um teto de 500 mil dólares, o restante do montante ficaria por responsabilidade de Bebê e seu Staff bancarem. A equipe de Atlanta ainda não está satisfeita com o valor oferecido, continua em negociação para um valor menor, infelizmente deixando Bebê com futuro incerto.
   Após a contratação de Ayon, o futuro do brasileiro está tendendo para mais uma temporada na Euroliga, o que pode ser bom, um exemplo foi Tiago Splitter que após uma grande temporada volto a NBA e hoje é um dos grandes nomes da liga. Se tudo der certo, Bebê poderá voltar da Europa e tornar-se um dos grandes nomes, mas acredito que ele já está preparado para a NBA e provou isso na Summer League, quase quebrando o recorde de tocos do evento e pegando muitos rebotes, mesmo com seu tipo físico magro. No momento só podemos torcer para que Bebê tenha seu futuro definido e jogue logo na NBA.

domingo, 28 de julho de 2013

Where dreams happens

Craque nas quadras e nos gramados
   Muitos dos atletas que jogam na principal liga de basquete do mundo, NBA, tinham como sonho estarem nessa liga e jogando contra seus ídolos, exemplos disso são Carmelo, Lebron, Wade, Bosh, entre outros. Porém um atleta na noite de ontem ficou perto de realizar um sonho, o de jogar futebol com uma equipe profissional. Já sabem de quem falo?
   Ele mesmo, Steve Nash, o craque da bola laranja que já jogou futebol e mostrou muita habilidade com os pés em uma partida da temporada passada. Lembram do jogo contra os Celtics no TD Garden? Aqui vai o link do vídeo onde Nash demonstra sua habilidade com os pés. http://www.youtube.com/watch?v=Ufghsa6I2E4
   Mas voltando ao tal sonho, Nash participará de um treino juntamente com a equipe da Inter de Milão, a qual encontra-se nos Estados Unidos para pré-temporada.  O armador declarou que :
"É um sonho ter a oportunidade de treinar com eles. Estar em campo com os integrantes da Inter de Milão, um dos maiores times do esporte profissional, me faz sentir como uma criança. Vou ficar mais nervoso do que em um jogo de basquete."
   A relação de amor com o futebol vem do berço, Nash aprendeu com o pai a amar o "Soccer" e esse vínculo persiste até hoje, além de escolher o número 10 para vestir, é um dos proprietários do Vancouver Whitecaps, equipe que disputa a Major League Soccer, e organiza peladas beneficentes com famosos em prol da sua fundação. Na última pelada realizada quem roubou a cena foi Joakim Noah, o grandalhão fez o gol da vitória de sua equipe e comemorou muito o gol marcado, roubando a cena da partida. 
   Nash na próxima terça-feira irá integrar a equipe da inter de Milão, em Nova Jersey. A equipe milanesa participa de um torneio que conta com Milan, Chelsea, Everton, Juventus, Valencia, Real Madrid e Los Angeles galaxy, que é o anfitrião do evento. Boa sorte Nash, tomara que demonstre um talento tão bom quanto o das quadras.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Orgulho do Rio Grande do Sul

Primeiro gaúcho da história a jogar na NBA
   A alguns dias mais um brasileiro entrou na NBA, mas mais especial que isso é o fato de Vitor Favarani ser gaúcho. Isso é tão importante que tornou-se um marco para carreira de Favarani, sendo agora o único atleta gaúcho da história a ingressar na melhor liga de basquete do mundo. 
   Vitor Luiz Faverani Tatsch, nasceu em Porto Alegre em 1988, morou em Paulínia até os 14 anos de idade, quando foi jogar na Espanha. Defendia as cores do Unicaja, até ser emprestado na temporada 06-07 para o CAI Zaragoza e na temporada 07-08 para o Bruesa GBC. No ano de 2009 tentou a sorte no draft, sendo o único brasileiro inscrito, sem sucesso. Retornou para a Espanha e jogou a Euroliga 2008-09 pelo Unicaja, ao final de 2009 rescindindo o contrato com o Unicaja e transferiu-se para o CB Murcia. Faverani fez praticamente toda sua carreira em solo espanhol, antes de chegar ao Valencia. Na temporada passada, o ala/pivô conseguiu médias de 9.7 pontos, 4.6 rebotes e 0.7 tocos por partida.
   Para o futuro Faverani acertou com os Celtics por três anos, e disse em entrevista que:
"Nenhum jogador pode dizer não a esta oportunidade, a um clube como o Boston, tão grande. A oportunidade me surgiu e não pensei duas vezes. Está claro que se não fosse assim não sairia do Valência, porque estava encantado. Mas mais do que mudar de equipe é realizar um sonho e creio que chegou o momento de fazê-lo."
Faverani tem a difícil tarefa de criar
seu espaço em Boston
   Para os conterrâneos de Faverani, ver um gaúcho chegar a NBA exalta a paixão do povo do Sul pelo basquete, uma vez que, o basquete é tradicional em nossa região e já tivemos muitas equipes fortes, e muita tradição no basquetebol nacional. Como gaúcho que sou, Faverani representará o sonho de todo garoto dos pampas que joga basquete e sonha chegar a NBA, além de ser mais um membro da nação verde amarela na liga. 
   O começo será complicado, se para Fab Melo que jogou na NCAA e conhecia o basquete norte-americano a sua adaptação foi complicada, imaginem para um atleta que vem de outra liga e que nem entrou no draft. Faverani terá de provar seu potencial e disputar vaga com Fab Melo, Kelly Olynyk , Colton Iverson e Chris Wilcox. Na sua primeira temporada na liga, Faverani terá de se superar e provar que pode jogar alguns minutos, tomará que tudo de certo e tenhamos mais um brasileiro, e gaúcho, fazendo sucesso na liga.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Por quê Bulls?

Vai fazer falta ao time da Cidade dos Ventos
   Voltando a ativa depois de alguns dias de férias, e longe de tecnologias, hoje me deparei com uma notícia que me deixou irritado e me fez levantar alguns questionamentos. 
   Eu não consigo entender como uma franquia vitoriosa, e que quer voltar a vencer campeonatos, o meu amado Bulls, me deixa um atleta  de grande valor para o grupo e que ajudou muito em uma temporada ir embora para outra franquia. Me refiro aqui a saída de Nate Robinson, que esperava uma renovação e que estava chateado com a sua offseason, pois até o dia 22/07 não havia sido procurado por nenhuma franquia. 
   O que me deixou indignado como torcedor, foi o fato da equipe dos Bulls nem fazer forças para renovar, Robinson foi importantíssimo para a temporada, já que foi o armador responsável por segurar a equipe sem Hinrich e Rose, e jogou muito bem, perdendo nos playoffs para os campeões Miami Heat. Não se pode compreender como um atleta assim é liberado, um jogador que obteve médias de 13 pontos 4,4 assistências por partida, além de um grande poder de persuasão aos companheiros de equipe, sempre motivando e elevando a vontade e qualidade defensiva ao entrar em quadra.
Nate e sua impulsão fenomenal
   Vejo a ida de Nate para o Denver, como um erro de planejamento dos Bulls, mesmo que o Rose volte a jogar, seus reservas são Marquis Teague (que não se firmou ainda) e Kirk Hinrich (que vive com lesões), dois bons armadores, mas que não estimulam a equipe tanto quanto Nate. Espero que ele consiga jogar bem em Dallas e se firme por lá, mas digo de antemão que fará falta em Chicago.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

O novo astro da NBA

Novo astro da NBA?
   O jovem atleta do Canadá, ainda nem entrou na NBA e já é cotado como a nova estrela da liga norte americana. O garoto de 18 anos joga demais, é um atleta que possui grande aproveitamento em seus arremessos, tanto de quadra quanto do perímetro. Além disso, é ,muito atlético e tem uma facilidade incrivel de enterrar, o garoto voa, simples assim, tanto que é um reboteiro nato, sabendo posicionar-se e ganhar a disputa com os demais atletas graças a sua impulsão e altura.
   Para se ter uma ideia do quão bom é o garoto, ele foi premiado com o troféu "Gatorade Player of the year", dado pela imprensa de isotônicos ao melhor atleta do colegial dos EUA. Coincidência ou não, em 2003 Lebron James ganhou esse prêmio, pouco antes de ingressar na NBA. Em seu último ano de high school o atleta anotou médias de 23,4 pontos e 11,2 rebotes por partida, o que comprova o porque já é cotado por especialistas como a primeira estrela do draft.
   Se a regra para ingressar na NBA fosse a mesma de alguns anos atrás, onde poderiam entrar no Draft atletas do High School, como Lebron, Carmelo e Kobe, Wiggins já teria entrado na NBA esse ano. Quem se deu bem com essa regra foi a Universidade de Kansas, que contará com a promessa em seu elenco, dando ainda mais motivos para acompanhar o campeonato universitário da próxima temporada. Além do prêmio citado acima, Wiggins possui duas medalhas de bronze em mundiais por sua seleção, sub 17 em 2010 e sub 18 em 2012, foi escolhido para a equipe Mc Donald's All American de 2013, Naismith Player of the year 2013 e Mr Basketball USA 2013. 
Quase confirmado como 1° escolha do draft 2013/2014 
   Bem, falamos muito do cara, mas o melhor ainda não falei, ele é alto e atlético como Durant, marca bem como Lebron, e ataca como Lebron e Kobe, possuindo uma facilidade de marcar pontos nunca vista. Eu acredito, mesmo ,que esse moleque será melhor que Lebron, Kobe, Carmelo, será o melhor atleta canadense de basquete de todos os tempos. Parece loucura mas ele é realmente muito bom.
   Quem se deu bem com essa história? Bem, quem tiver a primeira escolha do próximo draft óbvio, que pode escolher essa fera logo de cara, mas mais que isso, o atleta natural de Ontario, Canadá, disse em entrevista a ESPNEWS que gostaria de defender as cores do Toronto Raptors. O garoto disse que quer jogar pelo time da sua terra. De qualquer forma, espera-se que Wiggins seja um monstro na liga, vamos esperar. Até lá aqui vão alguns vídeos da promessa canadense.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Que trio é esse?

Será possível mesmo?
  Uma notícia hoje tomou conta dos bastidores da liga, na próxima temporada, 2014/2015, uma franquia já estaria tentando contratar os dois free agents mais disputados do mercado, Carmelo Anthony e Lebron James.
    O incrível é que realmente isso é verdade, a ESPN norte-americana confirma que os Lakers, a franquia mais vencedora da NBA, tentará contratar um ou até mesmo os dois para fazer a franquia ser campeã novamente. A ideia é formar uma equipe vencedora, assim como vez o Heat e seu big three. Mas imaginem o quão poderosa seria essa equipe com 3 dos melhores atletas da liga, seria a mesma coisa que ver o Barcelona jogando nas temporadas passadas. 
   Fato é que, o Heat levou Lebron com a proposta de vencer títulos, e conseguiu, nas últimas três temporadas, foram as 3 finais, vencendo duas e perdendo a outra. Seria quase impossível Lebron sair de Miami, falou-se em um retorno para Cleveland, que acredito será uma das franquias mais competitivas da liga nos próximos 5 anos, ainda mais com tantas escolhas de primeira rodada e jovens com talentos incríveis, um exemplo é Kyrie Irving. Porém, a ida de Carmelo para Los Angeles não é tão impossível assim, o atleta busca ainda um título na liga e jogando ao lado de Kobe e talvez Lebron, seria algo quase inevitável.  A proposta para Melo é muito mais atrativa que para Lebron, mas ainda assim é tentadora.
Melhor trio da história será ameaçado?
   Imaginem a força desse trio, em um momento final de jogo se tem três opções para ganhar a partida, sempre terão três atletas de alta qualidade jogando e dominando. A ideia de ver esse trio me anima muito, talvez seja o maior trio que se forme na história, melhor que Michael Jordan, Dennis Rodman e Scottie Pippen. Seriam sim, uma franquia imbatível, digna de vencer mais de 72 partidas em uma temporada e levar muitos anéis. O que se espera do futuro é que uma das estrelas vá para LA, mas qual delas?

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Será que vai?

Saindo de Boston?
   Na manhã de hoje fui surpreendido por uma notícia que dizia que os Pistons estão acertando com Rondo. O jornalista do Boston Globe, Gary Washburn, afirma que os Pistons estão interessados no armador dos Celtics, mas alguns problemas atrapalham a transação. A equipe de Detroit ofereceria o armador Brandon Knight e mais um contrato expirante 2013-2014. 
Provável atleta envolvido na
negociação com os Celtics
   Porém os problemas são, os Pistons não possuem mais escolhas de primeira rodada do draft, uma vez que já trocaram em negociações anteriores com o Charlotte Bobcats na troca que envolveu Ben Gordon. Além disso, para os Celtics apenas Knight não seria uma vantagem, seria necessário um atleta de mais qualidade, provavelmente um pivô, porém dificilmente a equipe dos Pistons cederia, mesmo tendo Josh Smith e Andre Drummond, o atleta envolvido na ação seria o promissor pivô Greg Monroe.
  Pelo lado dos Celtics, o dono da equipe já disse que não venderia ou negociaria Rondo de forma alguma, Danny Ainge afirmou que formará a equipe nova de Boston toda em função da estrela. O único remanescente da equipe campeã de 2010, Rondo deve ficar em Boston, mesmo que passe por um ano vergonhoso, uma vez que sua equipe deve amargurar as piores posições da próxima temporada. 

domingo, 14 de julho de 2013

Novos ares

Esperança dos Mavs
   Na última sexta-feira o free agent mais procurado da última off-season, Monta Ellis, mudou de franquia e assinou um contrato de três anos com os Dallas Mavericks por 25 milhões, podendo chegar a 30 milhões se algumas das exigências forem atingidas.  O ala chegar para o lugar de O. J. Mayo que, curiosamente, foi a para a antiga franquia de Ellis, o Milwaukee Bucks.
   Aproveitando o espaço na folha salarial a equipe de Dallas já contratou José Calderon e Devin Harris, e ainda negocia a contratação de um pivô, sendo o nome mais cotado de Samuel Dalembert. Com essas contratações a equipe de Dallas procura ser uma força na liga na próxima temporada. Ellis vem como esperança de renovação, na temporada passada obteve médias de 19,2 pontos, 3,9 rebotes e 6,0 assistências, sendo o destaque de sua equipe.
   Monta Ellis é um dos melhores alas da liga, bom arremessador e excelente passador, além de ser um jogador muito atlético, auxilia e bem na defesa. Por esses motivos, com certeza, foi o jogador mais procurado dos free agents, e é a grande esperança dos Mavs.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Ameaça a Varejão?

Chance de ouro para o gigante
   A temporada regular da NBA promete desafios para Anderson Varejão, com a chegada de Andrew Bynum o posto de titular está ameaçado? Eu duvido muito, o pivô em questão é um ótimo jogador mas não atua a um bom tempo, mais precisamente desde o dia 21 de maio de 2012 pelos Lakers. Bynum foi enviado para a Filadélfia na negociação que levou Dwight Howard para a Califórnia, porém ele nunca vestiu a camisa de sua nova franquia.
   Na temporada passada Bynum não pode jogar, tudo isso graças a lesões em ambos o joelhos. Desse ponto que me refiro, como uma franquia gasta 12 milhões em um "contrato de risco", que tem duração de um ano e pode prorrogar por mais um, se o cara é todo "bixado". Acho pouco lógico essa ação dos managers, até porque Varejão tem tudo para ser o melhor da liga esse ano, o cara jogou muito enquanto pode e era líder de rebotes da liga e cotado para ser All-Star. 
Estrela em Cleveland não deve ser ameaçado
por essa nova contratação
   Eu vejo a vinda de Bynum como uma forma de aliviar a pressão do Varejão, e um atleta com experiência que pode auxiliar o calouro sensação, Anthony Bennett, a ter um bom trabalho de pernas e trabalho de costa para a cesta. A temporada reserva para Bynum um desafio, o de provar que ainda é um grande pivô e que pode sim ser titular em Cleveland.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Um novo começo pro Superman, será?

Pelo twitter Howard confirma seu novo clube
   Na última sexta uma novela chegou ao fim na pós-temporada da NBA. O personagem Dwight Howard e o enredo, qual equipe será defendida pelo pivô na temporada 2013/2014. Pois bem, após muitas especulações envolvendo, Lakers, Maverricks, Rockets, Warriors e Hawks, o Superman fez sua escolha e foi para Houston.
   Ainda nem chegou na cidade e já tá gerando polêmica, Shaq, grande pivô da história dos Lakers e atualmente comentarista da tv norte-americana, disse que Dwight não aguentou a pressão de Los Angeles e que nem todo mundo consegue viver sobre o glamour da cidade. Completou ainda, dizendo que Houston é uma escolha segura, por ser uma cidade pequena e sem tanta pressão. Curiosamente Houston é a quarta maior cidade dos Estados Unidos, mas realmente a pressão não será a mesma.
Superman tenta alçar vôos em Houston
   Mas, quem não gostou nadinha da ida de Superman para Houston for Omer Asik, o pivô pediu sua transferência imediata da equipe que não acatou seu pedido. O turco foi destaque da equipe na temporada passada, obtendo médias de 10,1 ponto e 11,7 rebotes na temporada regular. Kevin McHale, treinador de Houston disse que os pivôs podem atuar juntos, só depende do trabalho realizado e do entrosamento entre eles. Afirmou ainda que Asik é importante para o grupo, mas quando se tem a oportunidade de ter Dwight Howard não se deve descartar. Caso queiram trocar Asik, o atleta seria envolvido em uma troca com os New Orlens Pelicans, recebendo o ala/pivô Ryan Anderson.
   Superman nem chegou e causou alvoroço, vamos ver se nessa temporada conseguirá jogar e se firmar na equipe de Houston. Na temporada passada não conseguiu jogar em Los Angeles e ainda sofreu com uma lesão no ombro que o tirou de muitos jogos.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Mercado da bola

   Novos ares para vários atletas, em muitas movimentações e especulações as equipes da NBA vão se reformulando e modificando. Grandes nomes saíram de suas franquias e foram buscar novas oportunidades ou melhores contratos em outras cidades. 
Pivô inteligente e forte, grande contratação
   All Jefferson, um grande pivô da liga, que defendia os Jazz foi para uma das franquias que mais perdeu na temporada passada, para os Bobcats. O pivô assinou um contrato de 3 anos e 41 milhões de dólares, em torno de 13,6 milhões por ano. O atleta estava atuando em Utah nas últimas três temporadas, com médias de 17,8 pontos e 9,2 rebotes. Para que Jefferson pudesse ir para Charlotte, os Bobcats anistiaram Tyrus Thomas, utilizando a clausula do contrato de Thomas, o atleta seguirá recebendo 18 milhões por dois anos, mas anistiado o valor não incidirá na folha de contrato, o que liberou espaço para a contratação. Os Bobcats procuram melhorar na liga, já que conseguiram draftar Cody Zeller, um pivô de futuro brilhante na liga e contam com Kemba Walker, jovem armador e promissor.
Especialista de três que vai ajudar
muito os vice-campeões
   Outro atleta que mudou de ares foi marco Bellinelli, o especialista em chutes do perímetro foi para San Antonio, reforçar a forte equipe dos Spurs. O italiano assinou um contrato de 6 milhões de dólares pelos próximos dois anos, os Spurs serão a sua quinta franquia. Na temporada passada obteve médias de 9,6 pontos e um aproveitamento de 38% dos arremessos de 3. A equipe do Texas conta ainda com nove estrangeiros no elenco, porém não se sabe se Splitter ficará, o brasileiro entrou no mercado de agente livre tentando buscar um salário mais alto, porém a diretoria dos Spurs não abre mão de Splitter. E acabo de ver que Splitter renovou por mais 4 anos.
Até o momento a melhor contratação
da pós-temporada
   A franquia de New Orleans também buscou um reforço, e conseguiu um bom atleta, Tyreke Evans, ex Kings. O ala/armador foi movido em uma ação conhecida como sign e trade, onde um atleta assina a renovação para ser imediatamente trocado. Evans assinou por 4 anos e 44 milhões, a troca ainda envolveu duas equipes. Os Pelicans enviaram Greiviz Vasquez para os Kings e o pivô Robin Lopez para Portland. Os Trail Blazzers participaram da negociação com dinheiro e uma escolha de segunda rodada para os Kings.  A troca será oficialmente anunciada no dia 10 de julho, após prazo estipulado pela NBA.  Dessa forma os Pelicans contam com uma equipe forte, com Jrue Holiday (trocado por Nerlens Noel), Eric Gordon, Tyreke Evans, Ryan Anderson e Anthony Davis. Vejo aqui uma franquia que pode entrar nos playoffs.
   Fora essas trocas confirmadas, ainda existem jogadores bons como agentes livres, Dwhight Howard, Josh Smith, Nate Robinson, J. R. Smith, entre outros. Essa época da NBA é uma loucura é um momento tão crucial quanto o draft, é a hora de montar uma equipe competitiva e que gere lucros e títulos. Algumas franquias correm riscos, a principal é o Boston Celtics, que perdeu paul Pierce, Jason Terry e Kevin Garnett para os Nets, e que corre riscos de perder Rondo para os Mavericks. Ainda assim, o dono do clube disse que não irão perder o máximo que poder para ter boas escolhas no próximo ano. Será?

terça-feira, 2 de julho de 2013

Quase esquecido

Futuro brilhante quase esquecido
    O draft da NBA trouxe uma surpresa para a liga, Peyton Siva, armador da Universidade de Lousville e que jogou demais, sendo destaque da equipe e principal nome. Além de marcar e muito Trey Burke, anotou muitos pontos e distribui assistências importantíssimas. O armador de 22 anos e 1,83 m por pouco não foi esquecido, mesmo sendo o maior ladrão de bolas da história de Lousville (236), e com médias de 8.4 pontos, 5.3 assistências e 1.8 roubos de bola por jogo.
    A surpresa ficou por conta da sua escolha, Siva foi selecionado pelo Detroit Pistons na posição número 56, umas das últimas, já que são 60 atletas selecionados. Mesmo com uma grande temporada, Peyton Siva não era cotado nem mesmo para entrar na NBA, o atleta nem era citado por sites especializados. O curioso disso tudo é que Siva é um atleta muito bom, excelente passador, com precisão nos arremessos de quadra e principalmente nos do perímetro. O único problema é que Siva foi considerado baixo e fraco fisicamente para ser armador, mas pensem comigo, dessa forma então Kevin Durant seria fraco para a posição, pois sempre marca caras maiores que ele como Lebron James.
    Com certeza Siva será um dos grandes pilares da equipe dos Pistons, equipe que precisa muito de um cara assim, que tem inteligência e capacidade de pontuar. Fico na torcida por Siva, e espero que venha a ser um grande atleta da liga.