domingo, 28 de agosto de 2011

Enquanto isso na seleção feminina...


A comissão técnica cortou a pivô Isis de Melo Nascimento, 2,02m, de Araçatuba. Não se corta uma mulher de 2,02m... Pelo menos é rebote em momentos importantes e as médias de rebotes na Liga de Basquete Feminino (10,5) e do Paulista (6,63) já mostraram isso. Vamos somar os tocos? 2,7 por jogo. São bloqueios fundamentais para uma seleção ter bom desempenho defensivo.
Vocês lembram-se da Semenova? Tinha 2,13m e defendia a URSS. Alguns são muito jovens, mas existe youtube e google. Pesquisem! Mas eu pensei nela quando li sobre o corte da Isis. Semenova era horrível, mas o rebote era certo, certíssimo! E com o tempo ela até melhorou... A Érika já foi ruinzinha e teve chances pela altura. Alessandra também era fraca no início. O basquete feminino é diferente...
As pivôs que ficaram entre as dezoito, com exceção da Érika (2,00m), têm:
  1. Damires e Franciele, 1,92m;
  2. Nádia, 1,94m;
  3. Gilmara, 1,85m; e
  4. Clarissa , 1,84m.

A Isis tem 27 anos e a Gilmara 30 anos. Quem estar em melhores condições em 2016? Pois é, o imediatismo faz optarem por um time baixo e não treinarem a jogadora mais alta do momento para o êxito em 2012.
Por isso que o voleibol garimpa tanto com base no biótipo e os times estão mais altos. E o basquete perdendo oportunidade e rastejando...

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Revista Mais Basquete


Amigos perdoem a demora em postar minhas opiniões sobre o basquete brasileiro nesses últimos dias. A ausência foi por uma causa importante para o nosso esporte.
Há anos eu tenho buscado construir uma revista sobre basquete. Troquei ideias com jornalistas do centro país, propus que buscássemos elaborar um periódico voltado a divulgação do conhecimento, mas sem excluir notícias e a memória esportiva.
Tudo em vão. Diziam: “é muito caro”. “Impossível ter notícias no mundo veloz da internet”. “Não tem mercado”. “Os técnicos não contribuirão”.
Bom, passei a buscar uma forma de fazê-la. E vai ser uma revista eletrônica. Com site? Com blog? Impressa ou só eletrônica? Não, vamos fazer em portable document format, ou seja, PDF. O interessado baixa do site, imprime se quiser e devora o conhecimento ali exposto. E o sujeito cresce com isso. Gostando ou não, ele forma sua própria linha de ação.
Bem, eu não acredito em impossível. Eu acredito em mais fácil e mais difícil de fazer. E resolvi arriscar. Escrevi para pessoas, para técnicos, para jornalistas ligados ao basquete e alguns não compraram a ideia, mas outros - e são muitos - colocaram-se a disposição, desde que respeitadas as suas agendas de trabalho. Ou seja, que o prazo fosse razoável.
Eu também gosto de números e eis o que me motiva: um artigo por estado a cada mês. Serão vinte e sete artigos por mês, algo acima de 100 páginas e sem falar em notícias, divulgação de eventos, colunas... Há espaço para que o conhecimento que circula velozmente pela internet, seja distribuído.
Eu sei que lá na Bahia há um técnico que faz basquete e que consiga transformar em escrita suas experiências. Ele tem que escrever para a Revista Mais Basquete! Essa experiência interessa a todos nós, desde a parte administrativa, o apoio da federação local, a forma que atinge o empresariado e, principalmente, como desenvolve o trabalho na quadra, com os jovens. Queremos aprender e não ensinar!
A circulação desses conhecimentos contribuirá para a permanente circulação da Revista Mais Basquete, sendo que hoje ela é um pequeno passo para que o Brasil use toda a potencialidade que temos na massificação do esporte.
Os blogs, inclusive o meu, são opinativos e a ideia da revista é que seja formativa.
Visitem, façam o download – é indolor e gratuito! Sigam no twitter, deem sugestões e escrevam!
Agradeço aos que contribuirão com esse primeiro número da revista. Sei de seus afazeres e da vontade em multiplicar a prática do basquete exponencialmente. Juntos, conseguiremos. Tenho certeza disso.
Revista Mais Basquete

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Mais Basquete pelo mundo


Universíade Shenzen 2011
Como tudo na China é livre e democrático, as fotos são reduzidíssimas, os vídeos enaltecem o país e os jogos a serem transmitidos pelo site da FISU já estão agendados. Quem esta lá me relatou não poder usar facebook, ler os blogs no Brasil e etc. Então, a foto para ilustrar a postagem é uma das SEIS disponíveis dos eventos masculinos.
O basquete masculino do Brasil jogou com a Alemanha na madrugada dessa quarta-feira. O Brasil perdeu de 61 a 53, o que demonstra que fez um bom jogo. República Tcheca e Romênia venceram também, ou seja, tudo decidir-se-á amanhã, na última rodada. O Brasil só tem um único caminho para seguir na competição: vencer a República Tcheca.
O basquete feminino passou para as quartas-de-final em segundo lugar do grupo e jogará com Taipei às 20h30min do dia 18/8, ou seja, aqui no Brasil amanhã de manhã, lá pelas 9h30min.
Para quem pediu a lista de atletas do basquete na universidade, estou disponibilizando os nomes e as universidades que a CBDU informou a FISU ao fazer a inscrição do atleta no evento. Clica aqui e acesse a listagem oficial.
UNIVERSIDADES
FEMININO
MASCULINO
ALUNOS
ATLETAS
%
ATLETAS
%
TOTAL
%
FTC
7
58,33
9
75,00
16
66,67
undeclared
3
25,00
0
0,00
3
12,50
UCB
0
0,00
2
16,67
2
8,33
UNICAMP
1
8,33
0
0,00
1
4,17
PUC- Campinas
1
8,33
0
0,00
1
4,17
UNIP
0
0,00
1
8,33
1
4,17
TOTAIS
12
12
24
100,00
Tenho que parabenizar a Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC), pois  a ação gerencial e de marketing atraiu, nesses dois últimos anos, muitos atletas para seus quadros – creio que com destaque para os cursos em EaD. Só no basquete ela detém quase 67% da delegação. Será que tem mais nas demais modalidades? Isso é curioso...

London Olympic Test Event
Esta sendo realizado em Londres, desde o dia 16/8, o Torneio que testa as instalações da Arena de Basquete. O local tem capacidade para 12 mil pessoas, mas somente 3 mil ingressos por dia estão sendo disponibilizados.
O site informava que os jogos seriam transmitidos, mas até agora... Nada! O jornal inglês The Telegraph fez uma matéria que você pode assistir nesse link
O mesmo diário informa que transmitirá com exclusividade China 43 x 71 Austrália, que foi ontem. De repente, de hoje até o dia 21/8 eles passam algum jogo. Anote o link e visite lá pelas 9h30min, 12h e 14h30min pelo horário do Brasil. The Telegraph Live.


AfroBasket
Hoje começa o Campeonato Africano de Basquete, onde será disputada uma vaga para Londres 2012 e duas para o Pré-Olímpico Mundial que ocorrerá em julho/2012, também em Londres. São dezesseis países na competição, divididos em quatro grupos. Você ver a distribuição e buscar mais informações no site da FIBA sobre o AfroBasket.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Universíade 2011: Basquete do Brasil vencendo


Na China a seleção brasileira universitária vem obtendo resultados positivos, depois de alguns amistosos onde as coisas não foram muito bem.
Na manhã de hoje (no Brasil) a seleção venceu a China por vinte e sete (27) de diferença. No primeiro dia, ao vencer por apenas três pontos da Romênia e na prorrogação não fiquei muito satisfeito, mas no momento parece que estamos crescendo na competição, mesmo considerando que os Emirados Árabes não um adversário de peso e os outros, com exceção da Alemanha, tem vacilado e contribuído com a confortável posição que temos hoje.

O grande adversário será a Alemanha na manhã de quarta-feira, já que nessa terça (noite de segunda aqui no Brasil) o grupo folga, mas o Brasil deve treinar em dois turnos. Se vencer, garante a vaga para as quartas-de-final e o primeiro lugar do grupo. Se perder, disputará a vaga, na última rodada, com a República Tcheca que precisa vencer os próximos dois jogos (Emirados Árabes e Brasil) e torcer para que a Romênia (China e Emirados Árabes) perder um de seus jogos, o que acredito ser difícil.
Eu sei que o “jogo é jogado e o lambari é pescado”, ou seja, que em basquete o jogo decide-se na quadra, mas em tese, é difícil que a Romênia perca seus próximos jogos. Acontecendo isso o Brasil necessita vencer a Alemanha ou República Tcheca. Uma vitória em duas partidas e seguimos adiante. Se for a Alemanha, será primeiro do grupo e se for a República Tcheca será segundo do grupo.
Se o Brasil perder os dois jogos e Romênia e República Tcheca vencerem seus dois jogos, teremos um triplo empate, do qual o Brasil sairá perdedor em função do cesta average, pois o saldo da Romênia é de treze (+13) pontos positivos, o Brasil tem três (+03) positivos e a República Tcheca dezesseis (-16) negativos.
Então República Tcheca tem que vencer o Brasil de trinta (30) de diferença para ficar com a vaga e a Romênia precisa que o Brasil perca seus dois jogos para garantir a própria passagem de fase.
Mas o Brasil vai passar. Em qual situação? Quem será nosso adversário? Independente se primeiro ou segundo em seu grupo, não dá para prever o adversário do Brasil, já que o grupo “B” tem cinco (5) equipes e só teve quatro jogos realizados, nos quais Canadá lidera com duas vitórias (Turquia e Sérvia), mas Austrália, Turquia e Sérvia podem complicar as coisas nas próximas três rodadas.
Amanhã a situação já estará mais clara...
Nesse prognóstico estou desconsiderando a China que perdeu dois de seus três jogos realizados e venceu dos Emirados Árabes por apenas cinco (05) pontos. Mas e se a China vencer a Alemanha ou a Romênia ou vencer ambas? As coisas enrolam-se, mas ficará mais fácil para nós a classificação...
--------------------
Quer ganhar um livro de John Wooden? Mais Basquete e Editora Évora sortearão um exemplar aqui no Mais Basquete e dois exemplares no Centro Esportivo Virtual. Leia e participe: http://maisbasquete.blogspot.com/2011/08/mais-basquete-sorteara-livro-de-john.html.

sábado, 13 de agosto de 2011

Mais Basquete sorteará livro de John Wooden


Há meses estou negociando um acordo com a Editora Évora para sortear títulos ligados ao basquete e ao esporte nas diferentes mídias que atuo. Pois bem, fechamos um bom acordo.
Inicialmente iremos sortear o “A pirâmide do sucesso” de John Wooden, distribuído da seguinte maneira: aqui no Blog Mais Basquete (um exemplar), na Comunidade Basquete do Centro Esportivo Virtual (um exemplar) e para os tocadores de Comunidades do Centro Esportivo Virtual (um exemplar) – são mais de 130 comunidades no CEV sobre diversos temas. Isso mesmo serão três livros!

Como fazer para ganhar aqui no Mais Basquete?
Basta tornar-se um seguidor do blog, enviar nome completo, e-mail e vínculo com o basquete (técnico de rendimento ou escolar, atleta, professor universitário da modalidade, torcedor, etc.) para o e-mail do blog (blogmaisbasquete@gmail.com) com o assunto: Mais Basquete Sorteia Livro de John Wooden. Eu responderei o e-mail na ordem que chegar à minha caixa postal e informarei o número com o qual concorre o inscrito. Em 19/08 publicarei nome e número que cada inscrito concorre (visível a todos em prol da transparência, aquilo que temos conversado por aqui).
Resumindo (repetindo!):
  1. Inscrições até às 24h de quinta-feira, dia 18/08/2011;
  2. Encaminhe e-mail para blogmaisbasquete@gmail.com com nome completo, e-mail e vínculo com o basquete (técnico de rendimento ou escolar, atleta, professor universitário da modalidade, torcedor, etc.)
  3. Torne-se seguidor do Blog Mais Basquete;
  4. No dia 19/08/2011 eu publicarei o nome e número de sorteio de cada um (será por ordem de inscrição e a partir do número 001 e essa divulgação será apenas para que todos vejam quantos concorrem ao livro);
  5. Valerá o resultado da Loteria Federal de 20/08/2011.

Tem um detalhe importante: temos que chegar a um mínimo de cento e vinte (120) seguidores para valer o sorteio de 20/08, pois é uma função que eu tinha desativado (veja na barra da esquerda). Abaixo de 120 seguidores faremos novo período de inscrições (até 25/08), divulgação de nome/número em 26/08 e sorteio em 27/08/2011. Certo?
Então, aqui queremos mais basquete, mais leitores, mais gente informada e instruída nesse país. O que pudermos fazer para contribuir, arregaçamos as mangas e vamos à luta. Ainda bem que a Editora Évora preocupa-se em promover seus títulos, mas permite brindarmos nossos leitores com bons livros.

Gostou? Corre lá, te inscreve e depois avisa tua rede de amigos... Mas agora leia a resenha clicando na imagem da capa de A Pirâmide do Sucesso: para a excelência na liderança.
Quer concorrer em dobro? Entra na Comunidade Basquete do Centro Esportivo Virtual e segue as orientações que estarão na comunidade e boa sorte.


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Ninguém é contra o basquete brasileiro


Aqui, pelo que me consta, ninguém é contra o Brasil. Refiro-me a maioria dos blogueiros de basquete, ex-atletas ou professores que escrevem da modalidade ou mesmo os membros do Clipping do Basquete, comandado pelo Alcir Magalhães. Aqui há vários pontos de vista e há várias formas de fazer a coisa funcionar, onde cada um de nós acredita que a sua proposta é a melhor existente. O que fazemos é provocar o debate, defender propostas e argumentar ao ponto de convencer o interlocutor de nossas ideias.
Por isso eu penso que não há desunião no basquete de forma geral, mas há pontuais desentendimentos e não tem como ser diferente em um universo tão amplo, com diferentes interesses envolvidos. Também há uma desorganização dos atletas (sindicato) e dos técnicos (associação) que interessa apenas a quem quer manter o poder, pois sendo cada um por si fica difícil o surgimento de qualquer oposição organizada.
Independente das forças politicas antagônicas, ninguém é contra a CBB ou vibrará com a desclassificação do Brasil no Pré-Olímpico. Pelo contrário, nós adoramos o basquete e mesmo tendo muitos que são profissionais de outras áreas, estes continuam colaborando com o debate e com a busca de soluções para o caos vigente. Há na CBB alguns dirigentes que acreditam que o indivíduo que deixou de ser atleta (ou técnico ou dirigente) deve se afastar do basquete. Ora, passamos uma parte significativa da vida no basquete e podemos, agora, contribuir com nossa experiência. Se no Brasil não temos a cultura americana de contribuir financeiramente com nossas ex-equipes, tenho certeza que somos torcedores ávidos por vitórias. Mas quando participam de jogos amistosos insignificantes e a diretoria da CBB, através do site e da assessoria de imprensa, começa a divulgar isso cotidianamente como se fosse um grande feito, começamos a nos incomodar com a situação por que a história mostra um Brasil vencedor na véspera do pré-olímpico e derrotado nos jogos que têm validade e importância.
Portanto, se inteligentes fossem e se quisessem dividir responsabilidades, os gênios da CBB criariam um conselho de ex-jogadores, com reuniões mensais, com gente de todos os estados, para absorver as ideias que circulam, multiplicar o campo de ação e elevar a credibilidade da entidade nas cinco grandes regiões do Brasil (anote essa dica, Sr. Carlos Nunes).
Trabalho fechado, escondido mesmo, todos os técnicos fazem. Independente da modalidade. Mas ninguém faz por 60 dias seguidos! E amistoso fechado, como o de ontem? Nunca ouvi falar disso: amistoso secreto! O adversário sabe mais da seleção do que nós, brasileiros.
Penso que isso é uma reserva de mercado que promove a centralização de ações, de conhecimentos, de metodologia de trabalho e reduz a chance dos técnicos brasileiros evoluírem, já que o Sr. Magnano é "O Cara" e todos nós somos insignificantes que não conseguem dirigir a seleção e manter a hierarquia sobre a equipe - não citem o Nezinho, aquilo foi coisa de guri mimado e pai culpado que não soube dar o castigo lá nos tempos de Ribeirão Preto e estourou na seleção. Sei bem como é isso.
Portanto, o planejamento da CBB não está tão bom assim, pelo contrário, pois os problemas com seguros não deveriam ter sido escondidos. Mais ainda: não deveria ter ocorrido. Já terminaram? Leandrinho e Nenê não teriam sido convocados, pois avisaram a CBB que não jogariam. Se fosse um grande planejamento, os treinos estariam ocorrendo em São Sebastião do Paraíso, pelo que me consta a CBB esta pagando pelo uso da estrutura que esta vazia nesse momento (ou estou errado sobre isso?) e os técnicos, brasileiros, teriam livre acesso aos mesmos. Afinal, queremos evoluir com o que o Big Coach Magnano tem a ensinar (ou ele não quer ensinar e perpetuar-se no cargo?).
Por isso o planejamento esta aquém do que deveria ser e do que esperávamos dessa gestão, afinal a grandiosa Brunoro Sports Bussiness é a grande avalista dessa gestão e o que fez constar na Revista da ESPN de que é construtora do "projeto de governo" da CBB a coloca como co-responsável por tudo isso que temos visto e falado (desde a prestação de contas até essa questão do seguro). Aliás evidente mesmo apenas que a Approach é empresa contratada da BS+B e não da CBB (basta olhar o rol de clientes no site da Approach). Por quê?

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Seguro fechado, mas não para todos...


A agência Approach acaba de informar que os seguros dos atletas Paulo Prestes, Augusto Lima e Rafael Luz foram pagos e que eles estão aptos a continuar na seleção. Ainda informaram que o seguro do Marcelo Huertas já foi informado pelo Barcelona e que as tratativas estão em andamento com a seguradora.
Sobre o tema o presidente da CBB, Sr. Carlos Nunes, se manifesta na nota da Approach (muito bem, o próprio presidente falando): 
Efetivamos os pagamentos dos seguros dos atletas na terça-feira (09 de agosto). Os valores alcançaram o montante total de R$440 mil, sendo R$40 mil da NBA e R$400 mil da Europa” e acrescentou que “o pagamento dos atletas vinculados ao basquete europeu não pôde ser efetuado antes devido à demora da comunicação dos seus respectivos clubes sobre o valor da apólice, que chegou a esta Confederação no dia 05 de agosto, às 15h00. O seguro do Marcelo Huertas só nos foi informado na terça-feira (09 de agosto), às 02h30 da manhã. O valor total foi encaminhado para uma instituição financeira, que leva até 48 horas para processar a operação.
Boa postura, mas:
  1. O diretor de seleções faz o que mesmo na CBB?
  2. Os demais atletas não possuem seguros?
  3. Ao pagar o seguro do Rafael, do Paulão e do Augusto Lima, a CBB confirma que estes atletas serão utilizados na Copa América, ou seja, Nezinho e Raulzinho estão fora da Copa América/pré-olímpico?
  4. E Splitter, já foi firmado o seguro dele?
  5. Assim como tivemos atletas lesionados na seleção sub-19 que foram cortados na véspera da viagem para o mundial e que não tiveram qualquer suporte da seleção durante o processo de recuperação (pagaram a fisioterapia do próprio bolso), isso ocorrerá com quem se lesionar na seleção adulta? Principalmente os sem-seguros;
  6. Vanderlei disse que não querem fazer seguro para atletas no Brasil? Mas um dos patrocinadores da seleção não é também uma seguradora? 

Criamos duas classes na seleção brasileira: os jogadores que atuam no exterior e tem garantido seus contratos e tratamentos, em caso de lesão, através da pressão exercida pelos clubes que jogam e os jogadores brasileiros, que mesmo no ápice da pirâmide, com conquistas e experiências internacionais, são tratados como atletas de segunda classe e seus clubes desrespeitados.
Mas imploro, me perdoem se estiver falando bobagens e TODOS os catorze atletas possuírem seguro e garantias para seus futuros e seus clubes.

É... Sempre tem uma perguntinha incômoda a ser realizada. Por quê?

Minhas perguntas?


Ontem no fim da noite o Alcir – Clipping do Basquete – divulgou a matéria do UOL sobre a questão dos seguros dos atletas, entre tantas mensagens que ele distribui em sua rede todos os dias. O link levava para a reportagem do Daniel Neves e hoje, mesmo em viagem, li e respondi para o Alcir. Trago para vocês o que coloquei no e-mail para o Alcir sobre o tema. A matéria em questão é CBB minimiza problemas com seguros e nega preocupação para o Pré-Olímpico e o detalhe para a hora que respondi o e-mail foi destacado na imagem abaixo (clique nela para ampliar). 
Reproduzo o e-mail com os erros da digitação mantidos (argentinas em vez de argentinos, européias em vez de europeias) para que o leitor do Mais Basquete entenda meu raciocínio e cronologia de cada tema que abordo aqui.
-----------------------------------------------------------------
Alcir,

engraçado isso. Os argentinas estão com o seguro pago há tempos, antes de começarem a treinar. Li isso no Olé, se não estiver enganado. E com seguradora aqui do lado ou nos EUA a CBB fica procurando seguradora na Europa? As seleções européias não farão seguros para seus atletas, especialmente os da NBA? Não existe seguradora especializada nisso? Só o basquete pede seguro? Engana bobo... Isso não era pra estar acertado antes da convocação? Vou convocar 20, preciso de 20 seguros, onde farei?

É muita desorganização. Ficam viajando pelo mundo (pelo visto vão bater o recorde do Lula) e não fazem o básico. E nós que somos chatos...
Forte abraço e fico na escuta...


Carlos Alex Soares
Pelotas-RS


-----------------------------------------------------------------
Então, meu povo, as questões aqui são:

  • O que faz o diretor de seleções na CBB?
  • E seu chefe direto, não deveria monitorar suas ações através de reuniões semanais?
  • Não deveria, o diretor, estar organizando os compromissos mais importantes do basquete masculino do Brasil deste ano (treinamento e pré-olímpico)?
  • Repito o que disse no e-mail para o Alcir: se iriam convocar 20 atletas, não deveriam ter providenciado 20 seguros, um para cada atleta?