domingo, 31 de maio de 2015

Heróis do passado: Jerry West

O começo da lenda
   A nossa série lembra a história de um Laker,  o The Logo, Jerry West um dos melhores jogadores da história da NBA e de feitos absurdos, de um começo de vida difícil a uma lenda, essa é a vida de West.
   Quinto filho de uma família de seis irmãos, foi um menino introvertido e tímido, tão pequeno e fraco que necessitou de injeções de seu médico e ser banido das atividades físicas na escola. Ao crescer, caçava e pescava com frequência, mas seu principal passatempo era arremessar em uma cesta de basquete da casa de seu vizinho, de todos os ângulos possíveis, não importando-se com lama, neve ou em apanhar de sua mãe por chegar horas atrasado para jantar, ele jogava com tanta vontade que a NBA o reconheceu como obsessivo.
   West cursou o ensino médio na East Bank, West Virginia, entre 1952 e 1956, onde começou no basquete como um atleta vindo do banco em seu primeiro ano, muito em função de sua falta de altura. O técnico Duke Shaver enfatizou a importância da defesa e do condicionamento, o que inspirou West, que na temporada seguinte já tornou-se titular com suas melhoras e seu estirão de crescimento chegando a 1,83 m, rapidamente estabeleceu-se como um dos melhores jogadores da West Virginia de sua geração. Foi nomeado All-State consecutivamente entre 1953 e 1956, All-American em 1956, quando foi o Jogador do Ano da West Virginia, tornando-se o primeiro jogador do ensino médio a marcar 900 pontos em uma temporada, com média de 32.2 pontos por jogo. Seu arremesso de meia distância tornou-se sua marca registrada, muitas vezes utilizada para pontuar quando sobre pressão adversária. West levou a East Bank ao título Estadual, e seu feito fez a escola mudar de nome para West Bank High School a cada aniversário do título, até seu fechamento em 1999.
Mr. Clutch, Mr. Outside e The logo, as faces da lenda
   Após o ensino médio, West tinha mais de 60 universidades lhe querendo, mas ele escolheu West Virginia. Em sua primeira temporada liderou um esquadrão de calouros até um recorde perfeito de 17-0, com médias de 17.8 pontos e 11.1 rebotes, com 49.6% de aproveitamento dos arremessos de quadra e com 73.2% dos lances-livres, ganhando inúmeros prêmios, sua equipe terminou com recorde de 26-2 perdendo para Manhattan na pós-temporada. No ano seguinte, como Junior, aumentou suas médias para 26.6 pontos e 12.3 rebotes por jogo, obteve o recorde da NCAA em pontos com 160 em 5 partidas (32.0 pontos de média) e liderou em pontos e rebotes todas as partidas da temporada pela West Virginia. Na última temporada conseguiu melhorar ainda mais, com 29.3 pontos e 16.5 rebotes por jogo, tendo nesse ano 30 duplos-duplos e 15 partidas de 30 pontos ou mais. Em sua carreira universitária, totalizou 2309 pontos e 1240 rebotes, ele obteve médias de 24.8 pontos e 13.3 rebotes, detém 12 recordes de todos os tempos da WVU. Ainda nesse ano, junto com Oscar Robertson, foi co-capitão e campeão olímpico em Roma.
   A carreira da NBA começou em 1960, quando foi a segunda escolha do draft do Minneapolis Lakers, pouco antes da franquia se mudar para Los Angeles. Seu técnico universitário foi contratado para treinar o Lakers, que o colocou como armador, diferente dos anos de universitário em que era um ala. West começou com problemas para se adaptar a função, mas com sua dedicação e trabalho logo ganhou a confiança de todos, obtendo médias de 17.6 pontos, 7.7 rebotes e 4.2 assistências por jogo em 35 minutos por partida, sendo a segunda opção do ataque. Na época a NBA comentou que o Lakers possuía o Mr. Inside (Elgin Baylor, o cestinha do low post) e o Mr. Outside (Jerry West, o atirador de longa distância). Em sua primeira temporada já foi nomeado All-Star, mas sua franquia sucumbiu na segunda rodada dos playoffs. No ano seguinte West assumiu as pontas no Lakers, já que Baylor teria de servir o exército e só jogaria 48 partidas, o armador botou a bola embaixo do braço e resolveu, com médias de 30.8 pontos, 7.9 rebotes e 5.4 assistências, sendo All-NBA First Team, ficando conhecido por arremessos decisivos, recebendo o apelido de Mr. Clutch, que lhe acompanhou até o fim de sua carreira. West conduziu o Lakers até as finais, perdendo no jogo 7 para o Boston Celtics, iniciando aqui a maior rivalidade da história da NBA. 
   O Boston continuou como uma pedra no calcanhar de West, que perdeu em 1962/63, 1963/64, 1964/65, 1965/66 e 1967/68, sempre jogando muito nos playoffs, tendo uma média de 40.6 pontos por jogo em 1964/65. As finais da NBA de 1969 foram de marcas inéditas, era a sexta final entre Lakers e Celtics em oito anos, West fez jogos absurdos, anotando 53, 41, 39, 26 pontos e no jogo 7, anotou um triplo-duplo com 43 pontos, 13 rebotes e 12 assistências e tornou-se o único MVP das finais de uma equipe que perdeu o título. Na temporada de 1969/70 perderam nas finais para o Knicks de Willis Reed, depois em 1970/71 perderam as finais de conferência para o Milwaukee Bucks de Robertson e Abdul-Jabbar e finalmente venceu o seu primeiro título da NBA na temporada 1971/72, ano em que foi líder da NBA em assistências, All-Star, All-NBA, All-Defensive First Team e MVP do All Star Game. Nesse ano no jogo 3 das finais tornou-se o jogador que mais pontos fez nos playoffs, e os Lakers obtinham o melhor recorde da história da liga com 69 vitórias, West finalmente foi campeão da liga. Na temporada seguinte foi novamente as finais e perdeu para os Knicks, e a temporada de 1973/74 marcou sua despedida, já com 36 anos, se aposentou por não conseguir fazer um acordo contratual e no momento de sua saída era o maior cestinha da história da franquia. 
Homenagem mais que merecida
   Após sair das quadras, foi técnico dos Lakers entre 1976 e 1979, levando a franquia as finais da conferência oeste de 1977. Depois trabalhou com scouts por três anos, antes de tornar-se gerente geral dos Lakers, na temporada 1982/83, sendo o responsável pela dinastia dos anos 80 que rendeu 5 campeonatos para a franquia (1980, 1982, 1985, 1987 e 1988). Também foi o responsável por reconstruir os Lakers nos anos 90, e por montar o time que levou o three-peat  dos anos 2000, com Kobe, Shaq e Phil Jackson. Depois trabalhou com o Memphis Grizzlies como gerente geral, se aposentando em 2011 e indo para o Golden State Warriors como consultor cabeça. 
   West teve seu número aposentado pela WVU, pelo Lakers e possuí uma estátua em sua homenagem no Staples Center, e claro, o logotipo da NBA é feito a partir de sua silhueta. Aposentou-se com médias de 27 pontos, 5.8 rebotes e 7.6 assistências, 1x Campeão da NBA, 1x MVP das finais, 1x MVP do All Star Game, 10x All NBA First Team, 2x All NBA Second Team, 4x All NBA Defensive First Team, 6x Campeão da NBA como executivo e 2x Executivo do ano e é um dos 50 melhores jogadores de todos os tempos. 
The Logo
   A carreira de West foi brilhante, e todos os apelidos que lhe deram fazem jus ao jogador que foi, aplicado e competitivo, de qualidade absurda e que soube como se manter entre os melhores por 14 anos. Um dos melhores armadores e arremessadores da história, West não poderia ficar de fora da nossa série, The Logo, merece todas as honras possíveis.
Postar um comentário