domingo, 17 de janeiro de 2016

Heróis do passado: Ben Wallace

Big Ben o ídolo de Detroit
   Hoje nossa série irá homenagear um dos melhores jogadores defensivos que vi jogar, um dos melhores, senão o melhor da história. Um cara que fez o seu jogo defensivo torná-lo um astro, um All-Star e um campeão da NBA, vamos falar de Big Ben Wallace, astro que teve seu número aposentado nessa semana pelos Pistons.
   Wallace naseu em White Hall, Alabama, uma pequena cidade no Lowndes County, sendo o décimo filho da família de onze. No ensino médio frequentou Central High School em Hayneville, onde recebeu todos os prêmios estaduais no basquete, beisebol e futebol americano (linebacker). O ex-jogador Charles Oakley foi seu mentor, tendo descoberto Wallace em um acampamento de basquete em 1991, e depois recomendando-o para sua antiga faculdade, Virginia Union.
   Sua carreira universitária começou em Cuyahoga Community College, em Cleveland, onde começou a demonstrar o seu potencial defensivo, com médias de 17 rebotes e 6.9 tocos por partida. Depois, transferiu-se para Virginia Union da NCAA Divisão II onde teve médias de 13.4 pontos e 10 rebotes, levando a universidade ao Final Four e um recorde de 28-3. Em seu último ano foi nomeado para o primeiro time All-CIAA e All-American (divisão II). Ganhou honras All-State em futebol americano, basquete, beisebol e atletismo. Mesmo com um bom potencial, não foi selecionado para a NBA, indo para a Itália jogar no Viola Reggio Calabria.
Um dos tocos mais impressionantes de sua carreira
sobre Shaq
   Na NBA teve oportunidade em 1996/97 onde jogou pelo Washington Bullets em 34 partidas, mas sem ter muitos minutos. Na temporada seguinte jogou 67 partidas e começou 16, mas com médias baixas 3.1 pontos e 4.8 rebotes. Junto com 1.1 tocos por partida, mas sua defesa se solidificou na temporada de 98/99 ano do lockout, onde começou 16 partidas de 46 com médias de 6 pontos, 8.3 rebotes e 2 tocos por partida. Em agosto de 1999 foi negociado para o Orlando Magic, e se solidificou, iniciando 81 partidas com médias de 4.8 pontos , 8.2 rebotes e 1.6 tocos onde os Magics ganharam 41 partidas. Infelizmente a franquia de Orlando não foi aos Playoffs e negociou Wallace e Chucky Atkins com os Pistons em negociações por Grant Hill.
   A negociação com Grant Hill foi considerada como um negócio unilateral, bom somente para o Magic, mas Big Ben iria provar o contrário. Em duas temporadas seguia em evolução, na sua segunda temporada em Detroit (2001/02) foi líder da liga em rebotes (13) e tocos (3.5) vencendo assim o título de Jogador Defensivo do Ano e nomeado para o All-NBA Primeiro Time de Defesa. Os Pistons venceram 50 partidas e a Divisão Central, chegando as semifinais e perdendo para os Celtics. Nos Playoffs Big Ben teve 3 partidas onde pegou 20 rebotes ou mais.
   Na temporada 2002/03 foi novamente Jogador Defensivo do Ano e Primeiro Time de Defesa, melhorou ainda mais sua defesa com médias de 15.4 rebotes por partida. Mais uma vez os Pistons levaram a divisão com 50 vitórias, mas caíram nas finais de conferência para os Nets, mesmo com Big Ben com médias de 16.3 rebotes e com 4 partidas de 20 ou mais rebotes. A temporada seguinte foi maravilhosa, com a chegada do novo técnico Larry Brown, e com a aquisição de Rasheed Wallace que melhorou a defesa e a pontuação da equipe, levando-os as finais da NBA. Nas finais enfrentaram os Lakers de Kobe e Shaq, e provaram que uma defesa sólida traz campeonatos. No último jogo, o jogo 5 em casa, Big Ben teve 18 pontos e 22 rebotes, sendo o terceiro título da franquia desde 1990. Toda vez que Ben Wallace fazia ponto ou pegava um rebote, emitia-se o som do Big Ben, em alusão ao monumento de Londres. 
Maior briga da história
   A temporada seguinte foi marcada pela maior briga da história entre Wallace e Artest, Big Ben foi suspenso por 6 jogos e seu irmão David Wallace teve um ano de condicional e trabalho comunitário por perfurar jogadores dos Pacers nas arquibancadas. Nesse ano foi novamente o Jogador Defensivo do Ano e Primeiro Time de Defesa, e novamente chegaram até as finais para defender o título, desta vez contra o San Antonio Spurs e sucumbiram a Tim Duncan e o ataque da franquia texana. A temporada seguinte foi a última nos Pistons, ele foi pela quarta vez seguida All-Star, foi novamente Jogador Defensivo do Ano e pela quinta vez consecutiva Primeiro Time de Defesa, além de ser o líder da liga em rebotes ofensivos com 301. Com 64 vitórias e líderes da Conferência Leste chegaram até as finais da NBA contra o Miami Heat, mas desta vez perderam com Big Ben caindo de produção. Ao final da temporada ele testou a agência livre e encerrou uma era, onde era o âncora da defesa e dos rebotes da franquia de Detroit.
   Como agente livre foi jogar no Bulls, onde era o motor defensivo da franquia, e chegando novamente aos Playoffs contra o Heat. Os Bulls surpreenderam e varreram o Heat, pegando em seguida os Pistons, antiga equipe de Wallace. Os Pistons abriram 3-0, os Bulls encostaram mas caíram no jogo 6. Na temporada 2007/08, foi trocado após 50 partidas indo para o Cleveland Cavaliers. Em seus quase dois anos como membro dos Bulls sofreu com lesões no joelho e teve médias de 5.7 pontos, 9.7 rebotes, 1.9 assistências e 2 tocos. Nos Cavaliers atuou como ala/pivô, tendo médias de 4.2 pontos, 7.4 rebotes e 1.7 tocos, chegou até as finais de conferência mas perdeu para os Celtics em 7 jogos. Ele foi negociado para os Suns, onde nem chegou a atuar.
   Em 2009 retornou aos Pistons com um contrato de uma ano, depois reassinou por mais dois anos em 2010 e tornou-se o 34° jogador a alcançar a marca de 10000 rebotes na carreira em uma partida contra o Orlando Magic. Ainda em 2010 atingiu a marca de 1000 partidas, sendo o 95° atleta a alcançar o feito e em 2012 passou Avery Johnson para o maior número de partidas para um atleta não draftado. Ontem teve seu número aposentado pelos Pistons.
   Apesar de seu tamanho para ala/pivô, Big Ben atuou como pivô em toda carreira praticamente, é um dos únicos cinco jogadores a ter mais tocos do que faltas, e o único que tem mais roubos de bola que erros. Ele tem o pior percentual da história de aproveitamento nos lances-livres com 42%, o que o fez ser alvo de faltas no último período (parecido com o hack-a-shaq).
Camiseta aposentada pelos Pistons
   Ele foi 1 x Campeão da NBA, 4 x All-Star, 4 x Jogador Defensivo do Ano, 6 x All-NBA Primeiro Time de Defesa, 5 x All-NBA Segundo Time, 2 x Líder da liga em rebotes, 2 x Líder da liga em rebotes ofensivos, único jogador da história a ter 4 temporadas consecutivas com 1000 rebotes, 100 tocos e 100 roubos de bola, um dos três jogadores a ter 150 tocos e 100 roubos de bola em sete temporadas seguidas, um dos cinco da história a liderar a liga em tocos e rebotes na mesma temporada, um dos três a ter médias de 15 rebotes e 3 tocos em mais de uma temporada, único jogador não selecionado na história a ser votado para ser titular no All-Star Game, um dos dois jogadores a receber quatro vezes o título de Jogador Defensivo do Ano, líder dos Pitons em tocos.
   Para um jogador que não foi selecionado o Big Ben é um mito, jogou realmente muito bem, um dos melhores defensores que atuou na liga e com uma voracidade absurda. Fica aqui nossa singela homenagem e dois vídeos, o primeiro sobre sua carreira e o segundo da cerimônia de ontem da aposentadoria de seu número.









Postar um comentário