segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Heróis do passado: Ray Allen

Lenda de Uconn
   Hoje nossa série vai relembrar a brilhante carreira de Ray Allen, o ala que anunciou aposentadoria na semana passada e vai deixar muitas saudades no coração dos fãs da NBA. Aos fãs do Boston Celtics e do Miami Heat, equipes onde Ray-Ray foi campeão, fiquem de olho, para quem ama o esporte vale a lembrança desse ícone do esporte.
   Filho de militar, Ray Allen cresceu mudando-se de endereço diversas vezes, nasceu em uma base aérea, morou na Inglaterra, Oklahoma, numa base aérea na Califórnia e na Alemanha. Estudou no ensino médio na Carolina do Sul, em Dalzell, onde liderou Hillcrest High School ao campeonato estadual. 
   Na uniersidade jogou pela Universidade de Connecticut de 1993 a 1996, recrutado por Karl Hobbs. Sua trajetória universitária foi brilhante, em 1995 foi eleito Atleta do Ano, foi All-American e ganhou o prêmio de melhor jogador do ano da conferência Big-East. Suas médias foram de 19 pontos, 6 rebotes e 2.4 assistência por partida, em 28.6 minutos jogados, o suficiente para torná-lo o terceiro maior cestinha da história de UConn com 1922 pontos e colocando o recorde de 115 bolas de três em uma única temporada, 115 em 1995/96. Em 2007 o seu número foi aposentado por UConn.
Chegou por troca aos Bucks e fez históra
   Com uma boa carreira universitária a NBA era uma certeza, em 1996 Ray Allen foi selecionado na quinta posição pelo Minnesota Timberwolves, sendo imediatamente trocado junto com Andrew Lang para o Milwaukee Bucks por Stephon Marbury, quarta escolha. Sua primeira temporada já foi como titular, sendo eleito para o Segundo Time dos Novatos, com médias de 13.4 pontos, 4 rebotes e 2.6 assistências. Duas temporadas depois de sua chegada o Bucks retornou aos Playoffs, sendo varrido na primeira rodada. A sua melhor temporada aconteceu em 2000/01, quando teve médias de 22 pontos, 4.6 assistências e 5.2 rebotes, foi campeão do torneio de três pontos, All-Star, eleito para o All-NBA Terceiro Time, formou um big three com Sam Cassel e Glenn Robinson nos Bucks e liderou-os as finais de conferência contra o Sixers de Allen Iverson que venceu no sétimo jogo. 
Brilhou nos Sonics
   No meio da temporada 2002/03 foi trocado para o Seatle SuperSonics juntamente com dois outros jogadores e uma escolha do Draft por Gary Payton e Desmond Mason. Depois de uma lesão na temporada 2003/04, ele foi nomeado All-NBA Segundo Time, e ao lado de seu companheiro Rashard Lewis liderou os Sonics as semifinais de conferência em 2005. Após a temporada 2004/05 assinou um contrato de 5 anos e 80 milhões com os Sonics, e no ano seguinte teve a melhor temporada da carreira com 26.4 pontos, 4.5 rebotes e 4.1 assistências. Com os Sonics viveu grandes momentos de sua carreira, anotou 15000 pontos, tornou-se o segundo maior cestinha de três da história, quebrou o recorde das bolas de três em um jogo, anotou a sua marca mais alta na carreira de 54 pontos, segunda maior pontuação da história dos Sonics. Logo depois passou por uma cirurgia nos dois tornozelos e perdeu o restante da temporada 2006/07.
Celtics e o primeiro anel
   Em junho de 2007 Allen foi trocado juntamente com Glen Davis, a 35° esclha do Draft, por Delonte West, Wally Szczerbiak e Jeff Green, 5° escolha do Draft. Depois de Allen chegar, os Celtics trouxeram Garnett dos Wolves e formaram um big three vencedor com Paul Pierce. Em 2008 foi ao All-Star Game substituindo Caron Butler que se machucará, e para muitos analistas, inclusive da TNT que narrava o jogo deveria ter sido o MVP, já que anotou 14 dos seus 28 pontos em 2 minutos e meio, no último período para selar a vitória do Leste.
   O Milwaukee Bucks o homenageou em 2008 como um dos 20 melhores atletas da história da franquia. Com os Celtics terminou a temporada com o melhor recorde da liga, mas a pós-temporada foi complicada, vencendo as duas primeiras rodadas por 4 a 3, as finais de conferência por 4 a 2 e as finais da NBA por 4 a 3 contra o Lakers. Os Celtics conseguiram ganhar um jogo após estarem perdendo pela maior diferença na história de uma final, 24 pontos, assumindo a liderança com uma bandeja de Allen a 16 segundos do fim. Nesse jogo Allen anotou 19 pontos e 9 rebotes jogando todos os 48 minutos de partida. No jogo 7 das finais igualou o recorde das finais em bolas de três com sete, conquistando seu primeiro anel da NBA.
   Em 2009 quebrou o recorde dos Celtics em lances-livres consecutivos feitos, 72, o recorde anterior era de Larry Bird. Em 2010, nas finais da NBA quebrou o recorde de bolas de três feitas (8), quebrou o recorde de MJ com 6 bolas de três na metade do jogo (7) e tornou-se o primeiro jogador da história com dois jogos de sete bolas de três nas finais. Em 2010 ele aceitou uma renovação de dois anos com os Celtics por 20 milhões, em 2011 contra o Lakers tornou-se o maior cestinha da história em bolas de três.
Heat e o segundo anel sendo decisivo
   Depois dos Celtics veio o Heat, sua última equipe, em 2012 assinou por três temporadas, onde voltou a ser o número 34 e ainda quebrou outro recorde, tornou-se o cestinha de bolas de três dos Playoffs com 322 cestas. Na temporada 2012/13 foi decisivo no título do Heat, fez uma bola de três a 5.2 segundos do final para levar o jogo a prorrogação que seria vencida pelo Heat., forçando o jogo 7 onde seriam campeões.
   Após a temporada de 2014 tornou-se agente livre, e ficou duas temporadas de fora. Em julho desse ano procurou Celtics e Bucks, mas depois de muita especulação decidiu se aposentar no último dia 1°.
   Allen deixa a carreira como 10 x All-Star, 2 x Campeão da NBA, 1 x All-NBA Segundo Time, 1 x All-NBA Terceiro Time, Líder da NBA de todos os tempos em bolas de três. Com tanto sucesso sua despedida é muita dolorosa, ainda mais pelo fato de ser membro da famosa classe do Draft de 1996, uma das melhores da história e Ray realmente foi um dos melhores.

Postar um comentário