terça-feira, 4 de outubro de 2011

CBB e BS+B: como perder adeptos para o voleibol


O amor é a melhor herança, cuide da criança!
Uma galera que trabalha com o basquete resolveu levar seus alunos/atletas para verem a seleção brasileira de basketball na copa Tutto Marchand, em Foz do Iguaçu. Alegria total, no grupo e na cidade. Lembram desse torneio, né?
A alegria dos jovens em estar perto de seus astros, dos seus ídolos, das estrelas do basquete brasileiro, enfim, dos espelhos que tanto cobramos que sejam os atletas de ponta em cada uma das modalidades.
Na entrada, os jovens fardaram-se e fartaram-se com camisetas e foram para as arquibancadas. Esperaram, pacientes; torceram, exaustivamente. Queriam autógrafos no material adquirido ali e no que levaram de casa.
Infelizmente após o jogo os atletas simplesmente saíram de quadra em direção ao vestiário, passaram pelos jovens que pediram autógrafo e não mais voltaram - para a Globo (sportv) eles pararam e deram entrevistas, com os logos dos patrocinadores ao fundo. Mas para a torcida... As favas com a torcida!!! O que importa é a mídia espontânea sem dar atenção, o lucro, o dinheiro que não sabemos para onde vai...
E as crianças? Bem, segundo minha fonte, elas ficaram tristes, frustradas e voltaram muito cabisbaixas para sua cidade.
De quem foi a ideia idiota dos atletas não falarem com a torcida? É óbvio que isso foi determinação de alguém da CBB, eu diria que foi daquele que não pode ser nomeado II (já que o primeiro é do COB), mas como o marketing é terceirizado, minhas suspeitas precisam recair nos ombros daquela empresa que não preparou uma recepção no aeroporto para a seleção após conquistar a vaga para Londres 2012. Ainda bem que recebem por êxito, por conquistas e não por popularidade, pois perderam DUAS grandes oportunidades: agregar valor ao basquete motivando crianças e jovens e fortalecer a modalidade com uma recepção melhor que a da Espanha. Espero que façam ações com crianças nos treinamentos e na volta do Pan.
Para a Brunoro Sport Bussiness e Confederação Brasileira de Basketball, deixo um poeminha bobo e infantil, mas que tinha esse objetivo mesmo: preservar as crianças. E, como queremos massificar o basquete, que essas idiotices não se repitam. O volei, assina até o corpo dos fãs e os jogadores de basquete, com certeza orientados, fogem de criancinhas...



Maltratar as criancinhas 
É coisa que não se faz 
Mesmo sendo o Diabo 
Disto nem eu sou capaz 
Malvadeza com crianças 
Não, não 
Isso só pode ser coisa 
Do tal do Bicho-Papão 
Peraí, vai devagar 
Cuido bem dos meus papõezinhos 
Criança maltratada 
É coisa da Bruxa-Malvada 
Que calúnia 
Minhas bruxinhas trato bem 
É assim, nunca se esqueça 
Isso só pode ser coisa 
Da Mula-sem-Cabeça [...]



Postar um comentário