quarta-feira, 12 de junho de 2013

Anotaram a placa?

Lebron zoado novamente ao sumir no jogo
   Com "atropelamento" no Texas o Heat perde e vê a série ficando complicada, mais uma vez Lebron jogou como nos velhos tempos e sumiu no segundo tempo. Além do mais, a história foi feita, nunca na história uma equipe acertou tantas bolas de 3 como os Spurs de ontem (16).
   Em noite inspirada, os Spurs não tomaram conhecimento dos atuais campeões e dominaram todo o jogo. Destaque para a dominância nos rebotes 52 contra 36, muito em função de Tin Duncan com 12 pontos e 14 rebotes e Kawhi Leonard com 14 pontos, 12 rebotes e 4 roubos de bola. Mais uma vez Tiago Splitter foi titular e jogou muito bem, com enterradas fortes e imponência no garrafão, terminando o jogo com 8 pontos, 5 rebotes e 2 roubos de bola. Mas a noite foi de Danny Green que tornou-se o primeiro jogador da história a acertar 5 ou mais bolas de três em dois jogos de finais, fazendo 27 pontos e conseguindo sua maior pontuação em um jogo de Playoffs. E também de Gary Neal, que mesmo vindo do banco acertou seis bolas do perímetro e terminou o jogo com 24 pontos.
Infernal, Gary Neal e seus 24 pontos
      A diferença foi muito grande no segundo tempo, 28 a 19 no terceiro período e 35 a 14 no último período. Combinados Gary Neal e Danny Green anotaram 51 pontos, a mesma pontuação alcançada por TODOS os titulares de Miami juntos. Na vitória de ontem, o aproveitamento dos arremessos fez toda diferença, já que, com 50% dos arremessos do perímetro (16/32) os Spurs foram abrindo vantagem, conseguindo a terceira maior diferença de placar na história dos Playoffs. Sem contar que foi a maior derrota do Miami na era Big Trhee, a outra vez que haviam perdido por 36 pontos em 2010, apenas Wade estava na equipe.
Entrando para história com suas bolas de três
 e seus 27 pontos
     Bem, falando do Miami devemos ressaltar novamente Lebron James, nas vitórias e derrotas é ponto chave, mas dessa vez muito mal, sumido como nos tempos de Cleveland e algumas temporadas atrás, mostrando-se indeciso em momentos cruciais e que deveria chamar a responsabilidade para si. The King terminou o jogo com um duplo, 15 pontos e 11 rebotes, além de 5 assistências, mas nada mais, teve um lapso bom ao anotar 9 pontos em 1 minuto, mas parou por aí. Chris Bosh anotou 12 pontos e 10 rebotes, Dwayne Wade conseguiu 16 pontos, 5 assistências e 4 roubos de bola, mas o destaque foi Mike Miller que conseguiu 100% de aproveitamento do perímetro pela segunda noite seguida, acertando 5/5. Outro ponto do jogo foi a insistência de Erik Spoelstra em deixar em quadra Mario Chalmers que jogou muito mal toda a partida, terminando o jogo zerado. 
      Deve-se ressaltar a cara de espanto do banco do Heat a cada ponto dos Spurs, todo pedido de tempo era um show de atletas apavorados, reflexo de uma equipe que não tem um técnico. Em contrapartida, mesmo com vantagem de 30 pontos Gregg Popovich pedia tempo e xingava seus atletas em desperdícios de bola ou faltas bobas, isso ganha jogo. Michael Jordan disse uma vez: "Um bom atleta ganha partidas sozinho, mas uma equipe ganha títulos." O que vemos na final é uma equipe e um time de um homem só, que se joga mal não assusta ninguém.
      Porém, deve-se salientar que o Heat não perde dois jogos seguidos desde 8 e 10 de janeiro, e que sempre que perdia uma partida nos Playoffs, na seguida ganha por uma diferença de 20 pontos. O próximo jogo será quinta-feira as 22 horas.











Postar um comentário