segunda-feira, 26 de agosto de 2013

O triste fim de um MVP

Triste fim para um All Star
   Estou escrevendo agora sobre algo que ocorreu semana passada, mas por motivos pessoais, eu fiquei alguns dias incrédulo sobre a aposentadoria de um dos meus ídolos e um dos melhores armadores da história da liga. Na quinta feira passada (22/08) foi confirmada a aposentadoria de Allen Iverson "The Answer" , aos 38 anos o atleta decidiu deixar as quadras, desde 2010 não atuava na NBA e desde 2011 não jogava por uma equipe, fazendo apenas jogos de demonstração.
   O armador foi selecionado na primeira posição do draft de 1996, sendo eleito o rookie do ano, com médias de 23.5 pontos e 7.5 assistências por jogo. Já mostrando todo seu potencial, inclusive entortando Michael Jordan com seus crossovers assassinos, o que tornaria sua marca registrada em toda carreira. Iverson defendeu os Sixers por 12 temporadas, tornando-se um dos maiores ídolos da história da franqui, arrebatando fãs pelo mundo que gostavam do seu jeito atrevido de jogar.
2001- O ano de ouro
   The Answer ainda defendeu outras franquias (Nuggets, Pistons, Grizzlies), mas nada comparado aos anos de Philadelphia, onde foi o líder em pontos da liga em quatro oportunidades (1999, 2001, 2002, 2005), foi o maior ladrão de bolas em três oportunidades (2001, 2002, 2003) e seu maior feito individual foi o MVP da liga de 2001, no ano de ouro de sua carreira, quando levou os Sixers as finais da NBA contra os Lakers de Kobe e Shaq. Pela seleção americana foi bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004 e ouro no Campeonato das Américas de 2003. Obteve em sua carreira médias de 26.7 pontos, 6.2 assistências e 2.2 roubos de bola por partida, encerrando a carreira com 24368 pontos, 3394 rebotes e 5624 assistências.
   Infelizmente, Iverson não foi o exemplo de ídolo que todos esperavam, dizia que não gostava de treinar, faltava a alguns treinamentos e tinha problemas com técnicos constantemente, tendo problemas de agressão com alguns deles. Teve problemas com sua família, em relação aos seus filhos e o pagamento de pensão para a ex-mulher. Depois de tudo isso foi jogar na Turquia, no Besiktas, mas nunca mais chegou a ser o mesmo Iverson, terminando sua carreira de forma apagada.
   Mas mesmo assim, Iverson foi um ídolo, mesmo com esse temperamento e problemas pessoais, foi e sempre será, o melhor driblador da liga, ninguém conseguia controlar a bola como ele e nem fazer crossovers como ele, a arte do crossover é oriunda de Iverson, o rei do crossover/jump shot. Fica aqui a minha saudade em vê-lo jogar e lógico que Iverson mudou a liga, depois deles muitos atletas começaram a treinar mais e mais crossover, mas nunca chegando perto dele.
   Abaixo um vídeo que mostra a arte que Iverson "introduziu" ou aperfeiçoou na NBA.
Este é o link se der erro: 
Postar um comentário