quinta-feira, 24 de julho de 2014

Lições de vida

   A NBA surpreendeu mais uma vez. Lembram de Isiah Austin, o jovem prospecto de Baylor que teve de encerrar sua promissora carreira em função de uma síndrome? Pois bem, ele foi homenageado na noite do Draft desse ano, sendo selecionado pela NBA, só isso já era o bastante, mas a NBA fez mais. 
   Provando que "nós cuidamos dos nossos", a empresa NBA ofereceu uma proposta de emprego para Austin, para que o mesmo trabalhasse no NBA Cares, nas ações sociais realizadas pelas entidades, auxiliando nos treinamentos e tudo mais. O jovem respondeu que após terminar a graduação vai tomar sua decisão, já que seu ex-técnico, Scott Drew, o convidou para trabalhar como treinador de sua antiga equipe. Austin tem boas opções de emprego para após a graduação, e vai poder decidir sobre o seu futuro, podendo ingressar na NBA, não como jogador como seu sonho, mas fazendo a diferença.
   Esse tipo de ação nos diz muito sobre o esporte americano e a forma como eles pensam e trabalham, deveria servir de exemplo para o nosso basquete e até mesmo para as nossas vidas, nesses dias de individualismo, da era digital, das relações humanas quase vazias, praticamente virtuais, ações como essas demonstram o amor pelo próximo. Quando soube da notícia lembro que me abalei, como disse em outro texto (clique aqui), era o fim de uma carreira que nem havia começado e parecia o fim, mas com a homenagem o comissário Adam Silver prometeu que não deixaria Austin desamparado e não o fez.
   Quem dera em todos os esportes coisas assim acontecessem, esse é o mais puro exemplo de humanidade e compaixão que já tomei conhecimento, e deve ser seguido por todos. Parabéns a NBA por essa iniciativa. 
Postar um comentário