sábado, 17 de janeiro de 2015

Heróis do passado: Kareem Abdul-Jabbar

Duas lendas Abdul-Jabbar e Big O
   Começo hoje uma série aqui no Mais Basquete sobre os astros do passado da NBA, a cada sábado trarei a história de um craque da liga, na maioria membros do Hall da Fama, falarei sobre jogadores, técnicos e equipes sensacionais.
   O primeiro astro de quem vou falar é Kareem Abdul-Jabbar, o maior cestinha de todos os tempos com 38387 pontos em 1560 jogos na NBA. Mas vamos começar falando sobre o cara, seu nome de nascimento é Ferdinand Lewis Alcindor Jr., criado em Nova Iorque após converter-se ao Sunni Islam nos tempos de UCLA, trocou seu nome oficialmente para Kareem Abdul-Jabbar. Nos tempos de ensino médio jogou por Power Memorial, sendo três vezes campeão citadino de basquete (Nova Iorque) com 71 vitórias consecutivas e um recorde de 79/2, nessa época ganhou o apelido de "The tower from power", detem o recorde de pontos do ensino médio em Nova Iorque com 2067 pontos e foi três vezes campeão nacional no ensino médio (1967-1969), consequentemente nos mesmos anos eleito para o time All-American. Nessa época já mostrava todo o potencial que viria a melhorar, obtendo vários recordes, sendo eles: maior média de pontos na carreira (High School): 26,4 pontos; maior número de arremessos convertidos: 943; maior número de pontos em uma temporada: 870 (1967); maior média de pontos em uma temporada: 29.0 (1967); maior número de arremessos convertidos em uma temporada: 346 (1967); maior número de lances livres cobrados em uma temporada: 274 (1967); maior número de pontos em uma partida: 61 e maior número de cestas convertidas em um único jogo: 26 (1967). 
Tempos de Lakers e domínio dos anos 80
   Após o High School, foi convidado a ser integrante dos Harlem Globetrotters, com um contrato de $1 milhão de dólares, mas ele recusou pois no mesmo ano (1969) havia sido draftado como a primeira escolha pelo Milwaukee Bucks. No ano em que entrou na liga Bill Russel havia se aposentado e Wilt Chamberlain já estava com 33 anos, facilitando um pouco a vida de Abdul-Jabbar que foi o segundo cestinha com 28.8 pontos e terceiro reboteiro com 14.5 por partida, levando os Bucks a 56 vitórias e 26 derrotas, terminando em segundo no leste e levando merecidamente e incontestavelmente o título de novato do ano de 1969. Na temporada seguinte um armador que ficou muito famoso, Oscar "The Big O" Robertson foi draftado, ajudando o pivô a levar os Bucks ao recorde de vitórias consecutivas da franquia (20 jogos) e a ter o melhor aproveitamento da liga com 66 vitórias e 16 derrotas. Essa foi a primeira temporada em que Abdul-Jabbar venceu o MVP da temporada, o prêmio de cestinha e o MVP das finais. No ano de 1975 foi trocado para os Lakers juntamente com seu reserva, por outros quatro atletas e logo na chegada a Los Angeles teve uma temporada de 27.7 pontos de média e foi o líder da liga em rebotes, tocos e minutos jogados, obteve o recorde da liga em rebotes defensivos para uma temporada com 1111. Após esse período, em 1979 com a escolha de Magic Johnson os Lakers tornaram-se o time mais dominante da década de 80, chegando a oito finais e vencendo cinco. Mesmo sem ser o pivô dominante dos anos 70, Abdul-Jabbar conseguiu seu sexto título de MVP da temporada em 1980 e em 1985 conseguiu mais um título de MVP das finais, sem contar que em 1984 ultrapassou Wilt Chamberlain e se tornou o maior cestinha da história da NBA. Anunciou sua aposentadoria em 1989, deixando o basquete como o maior cestinha da história da NBA (38387 pontos), seis vezes campeão, seis vezes MVP da temporada, duas vezes MVP das finais, 19 vezes All-Star, 15 vezes escolhido para primeiro ou segundo time da liga, quatro vezes líder em tocos na temporada, duas vezes cestinha da temporada, líder em pontos na história dos Bucks, sendo o terceiro maior reboteiro de todos os tempos (17440 rebotes) e o terceiro maior bloqueador (3189 tocos), encerrando a carreira com médias de 24.6 pontos, 11.2 rebotes, 3.6 assistências e 2.6 tocos por partida. Ficou famoso também pelo seu arremesso de gancho, o qual executava com maestria com qualquer uma das mãos e que era impossível de ser bloqueado. 
   Em 1995 entrou para o Hall da fama do basquete, no ano de 1996 foi nomeado como um dos 50 melhores jogadores de todos os tempos, teve o número 33 aposentado pela Universidade da Califórnia (UCLA), pelo Milwaukee Bucks e pelos Lakers. Tornou-se assistente técnico de algumas equipes, e com os Lakers em 2009 e 2010, foi campeão da NBA. No ano de 2006 entrou para o Hall da fama do College Basketball. Sem dúvidas posso afirmar que Karrem Abdul-Jabbar foi um dos melhores pivôs da história, um dos grandes jogadores da liga e que sempre estará eternizado no passado dessa liga que acompanhamos e amamos. E você o que acha desse craque? Comenta aqui.
   
Postar um comentário