sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Flamengo e "seu" ginásio...

Eu reclamo de Pelotas. Eu penso que é um desrespeito uma cidade com mais de 300 mil habitantes depender do SESI para ter um ginásio adequado a prática esportiva de alto nível no basquete. Jogos regionais e até estaduais temos opções, mas se quisermos fazer algo que atraía a região sul do Brasil ou clubes de ponta, dependemos do apoio do SESI. Se quisermos ter uma equipe de base, a situação complica de vez. Mas somos uma cidade pequena, com uma história também pequena em termos do basquete, mesmo que tenhamos jogadores nascidos por aqui na LNB e até em seleções brasileiras.
Entretanto, quando vi a entrevista do sr. Alexandre Póvoa, diretor do Flamengo, afirmando que "não tem um ginásio para jogar em uma cidade que vai sediar os jogos olímpicos", tive que rir.... Pensei, no momento: como pode, é o Rio de Janeiro?!?! Como pode um clube como o Flamengo depender da Arena, do Maracanãzinho e do Tijuca e reclamar dos jogos Olímpicos por sua desorganização? Como isso é possível, o maior clube do Brasil estar nessa situação?
Então, imediatamente eu penso no Corinthians de Santa Cruz do Sul - campeão com o time de Ary Vidal - e que não manteve a equipe competitiva, mas está na história. Os jogos daquela final ocorreram em Porto Alegre, pois o ginásio do Corinthians era pequeno para a ocasião. O que fez a cidade? Construiu um complexo magnífico! Santa Cruz do Sul tem em torno de 200 mil habitantes e tem mais um ginásio em ótimas condições. Recentemente, a cidade de Lajeado, sócia-fundadora da Liga Nacional de Basquete, também foi premiada com um moderno ginásio e deve ter pouco mais de 100 mil habitantes. E se parto para Porto Alegre, vejo que estamos com um Tesourinha em boas condições, mas com mais de 20 anos de vida e sem reformas que o modernizassem... Porto Alegre, gira em torno de 2 milhões de habitantes e o basquete sempre foi forte nos clubes, que possuem seus ginásio, como o do Grêmio Náutico União, que tem recebido jogos da Liga de Desenvolvimento, e o da SOGIPA.
Mas e o Rio de Janeiro, não possui infra-estrutura para o Flamengo jogar? O Flamengo não tem um ginásio que dependa da cidade e da boa vontade do Tijuca? Qual a população do Rio de Janeiro? Ora, construa um ginásio, maior clube do Brasil! O que é inaceitável foi a entrevista do Diretor do Flamengo. Mas se continuar dependendo, Ou jogue no moderno ginásio da ESEFEX, na Urca, mesmo local que Bernardinho comando os treinos e testes das seleções de voleibol e treina sua equipe feminina. Veja a imagem, ruinzinho o ginásio, né?

Novo ginásio da ESEFEX, na Urca, Rio de Janeiro.
Mas a choradeira de ontem não acabou. Com certeza a culpa é do COB e da CBB o Flamengo não ter ginásio próprio - estou especulando, já que a culpa por não providenciar a documentação solicitada foi da diretoria do Flamengo e não destas entidades e dos órgãos municipais e estaduais. O Flamengo foi comunicado, em setembro de 2014, que deveria cumprir com as exigências para o ginásio do Tijuca e teve 60 dias para cumprir com tais solicitações. Então, eu pergunto: o Sr. Alexandre jogou para a torcida? Empurrou para a LNB a culpa de sua INCOMPETÊNCIA ADMINISTRATIVA? A nota distribuída pela LNB na noite desta quinta-feira esclarece todos os fatos e mostra que as pessoas que administram o esporte brasileiro precisam aprender a se responsabilizar por seus erros e a solucionar os problemas dos seus clubes sem transferir para terceiros a responsabilidade.
Finalmente, devo parabenizar a LNB pela seriedade e profissionalismo que tem tratado o basquete brasileiro. Posso não concordar com tudo, mas reconheço que há uma linha de ação que determina as decisões da entidade. Isto é gestão. Precisamos aprender com isto e adaptarmos o que nos serve para nossa prática. 

Postar um comentário