sábado, 21 de fevereiro de 2015

Heróis do passado: Julius Erving

Tempos de ABA
   A nossa série hoje vai contar a história de uma das lendas mais respeitadas e conhecidas da NBA, o Doctor J., um dos maiores astros da história dos Sixers e um dos melhores alas da liga. Um dos únicos jogadores da história a ser campeão da NBA e da ABA, liga concorrente a NBA.
   Julius Winfield Erving II nasceu em Nassau County, Nova Iorque, aos 13 anos começou a jogar basquete pela equipe de Roosevelt High School, e foi quando ganhou o seu apelido. Em 68 começou a jogar na NCAA, como atleta da Universidade de Massachusetts, em suas duas temporadas obteve médias de 26.3 pontos e 20.2 rebotes por jogo, tornando-se um dos seis atletas da história da NCAA a ter médias de 20 ou mais pontos e rebotes por partida. 
   Na época, começo dos anos 70, o basquetebol era dividido em duas ligas (ABA e NBA) e existia uma rotatividade muito grande dos atletas por essas ligas. Em 1971 Erving começou a jogar pelo Virginia Squires como um agente livre não draftado, rapidamente se firmou como dunker e jogador de força. Em sua primeira temporada teve médias de 27.3 pontos, foi selecionado para o segundo time da liga, primeiro time dos novatos, líder em rebotes ofensivos, e segundo lugar atrás de Artis Gilmore (monstro) no prêmio de novato do ano. No ano seguinte, tornou-se elegível para o draft e foi selecionado pelos Bucks (12° posição), dessa forma jogaria junto com Oscar Robertson e Kareem Abdul-Jabbar, porém Doctor J. assinou um contrato antes do draft com os Hawks, sendo orientado por seu agente que passará a trabalhar com os Squires. O caso foi a justiça, e enquanto os advogados das equipes procuravam um acordo, Erving treinava com os Hawks ao lado de Pete Maravich, e segundo Doctor J. foram bons momentos com a equipe de Altanta. Ele chegou a jogar três partidas de exibição, mas por uma liminar da justiça teve de retornar aos Squires e os Hawks foram multados em $75.000 dólares pelas partidas em que Doctor J. jogou, pois seus direitos eram dos Bucks.
   Com seu retorno a ABA, obteve sua melhor temporada na carreira com 31.9 pontos por jogo, e no ano seguinte foi vendido para o New York Nets pois sua equipe estava com problemas financeiros. Pelos Nets ele ficou ainda melhor como atleta, liderando-os ao título da ABA de 74, batendo o Utah Jazz. Erving se estabeleceu como o jogador mais importante da ABA, seu jogo tornou os Nets em uma potência, fez a liga crescer e trouxe fãs para as partidas. A temporada de 75/76, marcou a fusão entre ABA e NBA, nas finais da ABA os Nets derrotaram os Nuggets, na pós-temporada obteve médias de 34.7 pontos e foi eleito o MVP dos playoffs, terminando a temporada entre os 10 da ABA, em pontos, assistências, rebotes, roubos de bola, tocos, percentual de lances livres, lances livres feitos, lances livres tentados, percentual de bolas de três e bolas de três convertidas. Em suas cinco temporadas na ABA, Doctor J. foi duas vezes campeão, três vezes MVP, três vezes o cestinha e quatro vezes selecionado para o time ideal.
   Os Nets e outras franquias ingressaram na NBA em 1977, e para ingressar a franquia teve de negociar Erving, os Knicks o queriam mas lhe propuseram um slário baixo, em seguida os Sixers pagaram 6 milhões para ficar com o astro, número que seria de sua camiseta e que combinava com o nome Sixers. Rapidamente tornou-se o líder dos Sixers, levando-os a uma temporada de 50 vitórias, ele tinha um papel menor na equipe, concentrava-se apenas em pontuar, mas isso o deixou desinteressado. Ainda assim, foram até as finais contra os Trail Blazzers de Bill Walton, abriram 2 a 0 na série, mas perderam o título após quatro derrotas consecutivas. O astro continuava a fazer sucesso, mas dessa vez fora das quadras, sendo um dos primeiros jogadores a ter produtos e um tênis com seu nome, gravou um filme e diversos comerciais. Enquanto isso a franquia montava um time em torno dele, é bem verdade que demorou alguns anos, algumas derrotas para os Celtics nas finais de conferência (1981 e 1985) gerando a rivalidade com Bird, uma das maiores da liga, duas derrotas nas finais para os Lakers (1980 e 1982), mas finalmente conseguiram com a chegada de Moses Malone, formando uma das duplas pivô/ala mais fortes e imparáveis da liga, perdendo apenas um jogo em todos os playoffs e vencendo os Lakers na final de 82/83. No ano de 1986 Erving anunciou que iria se aposentar, fazendo com que todos os jogos fossem lotados de fãs querendo se despedir, e o mais interessante é que foi homenageado por seus maiores rivais em seus estádios, os Lakers e os Celtics.
Mito dos Sixers
   Doctor J. teve uma carreira fantástica, um fato muito legal e que poucos sabem se deve a ele, a distância entre a tabela e o aro foi aumentada após o campeonato de enterradas de 1976 da ABA quando ele bateu a cabeça na tabela após uma enterrada. Foi o primeiro atleta da história a enterrar saltando da linha do lance livre. Seus números são de 24.2 pontos, 8.5 rebotes e 2.0 roubos de bola por partida, 2 títulos da ABA (1974/ 1976), 1 título da NBA (1983), 3 vezes MVP da ABA (1974-1976),  1 vez MVP da NBA (1981), 11 vezes NBA All Star, 5 vezes ABA All Star, 5 vezes All NBA First Team, 4 vezes All ABA First Team, Campeão de enterradas da ABA (1976), selecionado para o ABA All Time Team, teve o número 32 aposentado pelos Nets e o número 6 aposentado pelos Sixers.
   Doctor J. foi um dos melhores jogadores de todos os tempos, um homem que mudou o jogo com sua bandeja reversa e sua jogada no base-line, além de ser um ícone do basquete. Sem dúvidas um dos atletas mais conhecidos e reconhecidos da história do basquete, merece nosso respeito e admiração.
Postar um comentário