domingo, 1 de fevereiro de 2015

Heróis do passado: Larry Bird

A lenda dos Celtics
   Hoje a série heróis do passado vai falar sobre, pra mim, o melhor jogador branco da história da NBA, Larry Bird. O ala de 2,06 m fez história na liga jogando por toda sua carreira, treze temporadas, pelo Boston Celtics e gravando seu nome para sempre. Foi três vezes campeão da NBA e infelizmente, aposentou-se por problemas crônicos nas costas quando ainda tinha muito basquete para jogar.
   Larry Joe Bird, nascido em West Baden, Indiana, usava o basquete como uma maneira de esquecer seus problemas familiares, já que seus pais se divorciaram quando estava no high school e seu pai Joe cometeu suicídio no ano seguinte. O astro fez sua estreia pela Springs Valley High School, anotando 31 pontos, 21 rebotes e 4 assistências e como senior tornou-se o cestinha de todos os tempos da escola. Em 1974 ganhou uma bolsa de estudos e foi para Indiana, porém após menos de um mês deixou o campus e foi para sua cidade natal, procurando uma adaptação para a população de sua pequena cidade e a gigantesca massa de estudantes. Em seu retorno matriculou-se em um colégio local e trabalhou por um ano até se matricular na Universidade do Estado de Indiana (Indiana State) em 1975. Pelos Sycamores conseguiu levar a equipe até as finais pela primeira vez na história e foi o destaque na final contra o Michigan State em 1979, jogando contra um armador que seria adversário da NBA, o famoso Magic Johnson. Nessa temporada foi nomeado o Atleta Universitário do Ano e em sua carreira universitária obteve médias de 30.3 pontos, 13.3 rebotes e 4.6 assistências por jogo. 
   Como era de se esperar, no draft de 1978  Bird foi selecionado na sexta posição, porém não jogou de imediato nos Celtics, até porque sua escolha foi para si uma surpresa. Bird voltou a Indiana e jogou sua última temporada, só depois disso que assinou seu primeiro contrato com os Celtics. Logo de imediato o jovem jogador mostrou seu potencial de estrela, em pouco tempo tornou-se titular ajudando os Celtics a melhor seu recorde em 32 vitórias, chegando as finais da conferência leste. Com médias de 21.3 pontos, 10.4 rebotes, 4.5 assistências e 1.7 roubos de bola por jogo, foi eleito para o All Star Game e ganhou o título de novato do ano. Em 1980 os Celtics fizeram movimentações fantásticas no mercado, ajudando Bird e a franquia, selecionaram Kevin McHale e adquiriram por troca Robert Parish, formando assim um dos melhores trios da história, um trio de jogadores do Hall da Fama. Nem preciso dizer quem venceu o campeonato né? Bird chegou ao seu primeiro título da NBA, com médias de 21.9 pontos, 14 rebotes, 6.1 assistências e 2.3 roubos de bola por jogo na pós-temporada, e nas finais médias de 15.3 pontos e rebotes, e 7 assistências por partida.
   A partir de 1983, Bird começou a passar por seu melhor momento na carreira e também o mais intenso, nesse mesmo ano foi o MVP da liga e levou os Celtics as finais contra os Lakers, e novamente para encontrar seu rival de universidade, Magic Johnson. O ponto alto foi o jogo quatro, onde após uma falta flagrante um briga generalizada ocorreu e acabou com os Lakers, os Celtics fecharam a série no sétimo jogo e Bird foi o MVP das finais com médias de 27.4 pontos, 14 rebotes e 3.6 assistências por partida. Novamente na temporada seguinte (1984) foi eleito o MVP e  novamente enfrentando os Lakers nas finais, porém perdendo no jogo seis. A temporada de 1985 fez Bird atingir outra marca histórica, tornando-se o terceiro atleta na história a ser o MVP da liga três vezes consecutivas. Para melhorar, com a chegada de Bill Walton por trocas, Bird liderou os Celtics as finais novamente, e contra o Houston Rockets levou mais uma taça, anotando 24 pontos, 9.7 rebotes e 9.5 assistências por partida na série. Aliás, este time, os Celtics de 1986 foram ranqueados como um dos melhores times da história da NBA. 
   Os anos finais da década de 80 não foram dos melhores, em 87 Bird chegou as finais pela última vez, perdendo para um Lakers muito dominante e que vinha de um retrospecto de 65 vitórias na temporada. No ano seguinte perderam as finais de conferência para os Bad Boys de Detroit, depois disso o astro começou a ter problemas de lesão. A primeira em 89 quando jogou apenas seis jogos e teve de retirar osteófitos dos ombros e calcanhares, tinha problemas nas costas há anos que começaram a piorar, passou por uma cirurgia para remover um hérnia de disco em 1991, mas os problemas persistiram e culminaram em sua aposentadoria. No dia 18 de agosto de 1992 Bird anunciou sua aposentadoria, anotando em média 24 pontos, 10 rebotes e 6 assistências por jogo, com 49,6% de aproveitamento dos arremessos, 88,6% dos lances livres e 37,6% dos arremessos de três pontos, por conta disso teve sua camiseta aposentada pelos Celtics.
O melhor jogador branco da história
   Após sua aposentadoria Bird trabalhou como assistente especial de 1992 até 1997, em seguida aceitou uma proposta para treinar o Indiana Pacers, mas disse que não o faria por mais de três anos. O ex-jogador mostrou seu dom para a carreira, em 1998 levou os Pacers ao melhor recorde da franquia (58-24) e nas finais de conferência e forçou os Bulls a uma suada vitória apenas no jogo sete. Nesse ano foi eleito o técnico do ano, tornando-se o único atleta a ter o título de MVP e técnico do ano. Em 2000 saiu do cargo, como havia prometido, assumindo o posto de presidente das operações de basquete em 2003, sendo responsável por supervisionar técnicos e jogadores, bem como planejar as seleções da equipe para o draft. Na temporada de 2011/2012, Bird ganhou mais um título sendo eleito o executivo do ano. Em 2013 Bird se tornou o presidente de operações dos Pacers, cargo que ocupa até hoje.
   Sua carreira foi premiada, tanto como atleta quanto técnico, administrador ou presidente, isso faz de Bird uma lenda inesquecível. Só para terminar esse texto falo do momento mais celebre de sua carreira o Dream Team de 1992, a primeira equipe com jogadores da liga profissional que participou dos Jogos Olímpicos e deu muito show, e fez muitos de nós amar o basquete. Por tudo isso e por seus 3 MVP da liga, 2 MVP das finais, 3 títulos da NBA, 12 x All Star, ser 2x membro do clube 50-40-90 (50% de aproveitamento dos arremessos de quadra, 40% da linha dos três e 90% do lance livre em uma temporada), devemos todo nosso respeito e admiração.
Postar um comentário