sábado, 7 de fevereiro de 2015

Heróis do passado: Wilt Chamberlain

O recorde que jamais será batido
   Hoje na série heróis do passado vou falar sobre um dos melhores, e para muitos, o melhor pivô de todos os tempos, o cara que mais pontos fez em um jogo na história e que para mim é o recorde mais impossível de ser batido da NBA. Com vocês, Wilton Norman "Wilt" Chamberlain.
   O pivô nascido na Filadélfia, começou a jogar basquete após um período como atleta de atletismo, já que pensava que o basquete era um esporte para maricas, mas como ele mesmo disse, na Filadélfia era o rei dos esportes. Após começar a jogar basquete logo destacou-se, Chamberlain já era bem alto e dominava com facilidade seus marcadores, com seu talento para pontuar, bloquear arremessos e força física, recebeu seus três apelidos mais famosos, Golias, Wilt the stilt e o seu favorito, The Big Dipper. No high school jogou por Overbrook Panthers, em seu primeiro levou os times as finais da cidade e só perderam por uma marcação tripla que sofreu, o contendo em meros 29 pontos. Sua segunda temporada anotou o recorde de pontos de sua escola, 71  contra Roxborough, nesse ano sendo os campeões da cidade. Em seu último ano consegui anotar uma sequência de 74, 78 e 90 pontos, terminando sua passagem com dois campeonatos, levando a equipe a um recorde de 56/3 e tornando-se o maior cestinha da história do high school, com médias de 37.4 pontos por jogo.
   Nem preciso dizer que muita gente o queria na universidade, mas apenas 200 universidades demonstraram interesse, quem levou o cara foi a Universidade de Kansas (KU). Ele era um astro na Filadélfia e foi enfrentar muito preconceito em Kansas, em 1955 muitos lugares eram proibidos para negros, mas Chamberlain simplesmente ignorou o preconceito e disse que amava viver em Kansas. O pivô fez sua estreia em dezembro de 1956, anotando 52 pontos e 31 rebotes, quebrando os dois recordes de todos os tempos da universidade. A cada ano que passava o pivô aumentava seu repertório de arremessos e ações ofensivas, o que o tornava cada vez mais superior a seus adversários. Infelizmente, mesmo sendo dominante não conseguiu sagrar-se campeão da NCAA, mas foi duas vezes All-American nesse período, e foi eleito o Mais Proeminente Atleta do Final Four.  Por tudo isso teve seu número (13) aposentado pelos Jayhawks  em 1998.
Mestre do entretenimento
   Depois disso veio a carreira profissional, e o que o torna mais fascinante ainda é que começou como um Harleem Globetrotters. Chamberlain após um ano frustrante na Universidade queria tornar-se profissional, mas naquela época a NBA não aceitava atletas que não tinham concluído a faculdade. Sendo assim, ele optou por jogar com os Globetrotters, recebendo 50000 mil dólares, o que equivaleria hoje a 409 mil. Participou de uma turnê na União Soviética de muito sucesso em 1959, e quando estava no fim de carreira juntava-se aos Trotters na off-season para se apresentar e entreter o publico, sendo assim, teve o seu número (13) aposentado pelos Trotters. Em outubro de 59 ingressou na NBA, pelo Philadelphia Warriors, sendo uma escolha territorial, sendo a primeira vez na história que um jogador foi escolha territorial por sua fama pré universidade. Já em seu primeiro jogo como novato anotou 43 pontos e pegou 28 rebotes, ele era tão dominante que teve médias de 37.6 pontos e 27 rebotes por partida, sendo eleto o novato do ano e o MVP da temporada. Foi atleta dos Warriors até a temporada de 1964, quando retornou para a Filadélfia, sua terra natal e foi defender os Sixers onde ficou até 1968, em seguida jogou nos Lakers até 1973. Poucos sabem, mas ainda nesse ano o pivô foi atleta e treinador do San Diego Conquistadors da ABA, liga rival da NBA, porém foi impedido de jogar devido a um processo dos Lakers pois ainda havia um ano de contrato a ser cumprido. Assim, pode apenas ser o técnico, mas estava mais preocupado com sua biografia de modo que seu auxiliar técnico treinava a equipe mais que ele, em muitos jogos se ausentou para sessões de autógrafo e afins, e seu time perdeu nas semifinais de divisão daquele ano. Depois dessa passagem Wilt se aposentou do esporte profissional. 
Últimas temporadas da lenda
   Wilt foi um dos maiores nomes da história, duas vezes campeão da NBA uma com os Lakers e outra com os Sixers, MVP das finais de 72, quatro vezes MVP sendo três consecutivos de 66 a 68, 13 vezes All-Star, 7 vezes eleito para o time ideal da liga, 7 vezes seguidas o cestinha da NBA de 60 a 66, 11 vezes o líder em rebotes, 1 vez o líder em assistências, é o líder de todos os tempos da NBA em rebotes, fez o maior número de pontos em uma única partida (100), recordista de pontos em uma única temporada (4029), líder em pontos de todos os tempos do Philadelphia/San Francisco/ Golden State Warriors e tem sua camiseta aposentada por todos os times em que atuou. Terminou a sua carreira com médias assustadoras, 30.1 pontos, 22.9 rebotes e 4.4 assistências por partida, com certeza um dos melhores de todos os tempos e que possuí recordes impossíveis de serem alcançados, sua rivalidade com Bill Russell é uma das mais conhecidas da história do basquete e que talvez tenha sido a maior, devido a dominância de ambos em suas posições, certamente foi um herói do basquete e deve ser sempre lembrado.
Postar um comentário