sábado, 21 de março de 2015

Heróis do passado: Bob Pettit

Lenda da LSU
   Hoje a nossa série vai contar a história de um grande franchise player, um cara que defendeu apenas uma equipe em toda sua carreira e que fez muita história com os Hawks, jogando por 11 temporadas e sendo um dos melhores ala pivô/ pivô de sua história, estou de falando de Bob Pettit.
   Diferente de muitos astros da história, Pettit teve um começo de carreira lento, sendo cortado da equipe da escola como calouro e como segundo anista. Influenciado pelos treinos de quintal de seu pai, o Xerife Robert, e jogando na liga da igreja, cresceu cinco centímetros e melhorou suas habilidades consideravelmente. E deu certo, Pettit virou titular e levou Baton Rouge ao título estatual pela primeira vez em 20 anos, e de quebra foi selecionado para um All -Star Game de Leste contra Oeste. 
   Graças as suas habilidades, o jovem jogador recebeu 14 propostas de universidades, optando por jogar na LSU. Nos seus três anos como atleta universitário, deteve médias de 27.8 pontos por jogo, foi três vezes All-Southeastern Conference e duas vezes All American. Na sua primeira temporada foi o cestinha da equipe com 25.5 pontos por jogo, e o terceiro reboteiro do país com 13.1 rebotes de média, sendo vice-campeão e com um recorde de 17-7. As coisas só melhoraram, no ano seguinte foram 24.9 pontos e 13.9 rebotes de média, campeão da conferência SEC e da NCAA, e para fechar a carreira universitária foram 31.4 pontos e 17.3 rebotes por jogo, mais um título SEC, recorde de pontos em um jogo com 60 e tornou-se o segundo jogador em seu último ano a ter médias de 30 pontos na temporada. Seus feitos foram tão relevantes que foi o primeiro atleta da história da LSU a ter sua camiseta aposentada, o número 50 deixou de ser usado em 1954. 
   Como era esperado entrou para a NBA, foi selecionado na 2° posição do draft de 1954 pelos Milwaukee Hawks, assinando até então o contrato mais caro para um novato, por $11.000 dólares. Logo em seu primeiro ano já teve que encarar mudanças, deixou de jogar como pivô e virou ala/pivô (posição que defendeu na LSU), pois era muito franzino para a posição, e deu certo, foi o novato do ano e teve médias de 20.4 pontos e 13.8 rebotes por jogo, mas ainda assim sua equipe foi a última de sua divisão, tornando-o o segundo novato a vencer os prêmios da liga e defender uma franquia que ficou em último. No final dessa temporada a franquia mudou-se para St.Louis. Na sua segunda temporada, Pettit ajustou seu jogo para sofrer muitas faltas e conseguir lances-livres, prejudicando os adversários, tornou-se um reboteiro ofensivo fenomenal (talvez o melhor da história) e com um instinto ofensivo de dar inveja, foi o MVP da temporada, cestinha e o reboteiro com médias de 25.7 pontos e 16.2 rebotes. O jogador continuava em constante evolução, levando a equipe ao título da NBA de 1958 contra os Celtics (seus algozes das finais de 1957), com 50 pontos em uma partida, o recorde de pontos de um jogo de playoffs. Em 1959 foi MVP da temporada, mas a melhor temporada de sua carreira foi 1960/1961, quando teve médias de 27.9 pontos e 20.3 rebotes por jogo, tornando-se um dos três atletas a quebrar a barreira dos 20 rebotes em uma temporada. A temporada de 1965 marcou sua aposentadoria, mesmo no pico de seu basquete, após perder 30 partidas e ter média de 31.1 pontos decidiu por parar. Foi o primeiro atleta a chegar a 20000 pontos e seus 12849 rebotes eram a segunda melhor marca da história, com sua média de 16.9 rebotes sendo a terceira melhor. Pettit detem uma marca histórica, ele e Alex Groza são os únicos atletas que marcaram mais de 20 pontos em todas as suas temporadas na liga.
Um dos melhores ala/pivôs da história
   Pettit possuí recordes do All Star Game, com o maior número de rebotes em uma partida 26 (1958) e 27 (1962) e a segunda maior média de pontos, com 20.4 por partida. Virou um membro do Hall da Fama em 1970, foi nomeado um dos 50 melhores jogadores de todos os tempos, com médias de 26.4 pontos e 12.8 rebotes por jogo, Campeão da NBA (1958), 2x MVP (1956 e 1959), 11x All Star (todas suas temporadas de 1955 a 1965), 4x All Star MVP (1956, 1958, 1959, 1962), 10x All NBA First Team (1955-1964), Novato do Ano (1955), 1x All NBA Second Team (1965) e 2x Cestinha da NBA (1956 e 1959).
   Sem dúvidas foi um dos grandes ala/pivôs da liga, que aposentou-se podendo jogar muito mais e ainda assim foi Hall da Fama e é um dos 50 melhores jogadores da história, esse é o monstro Bob Pettit.
Postar um comentário