segunda-feira, 27 de julho de 2015

Heróis do passado: Charles Barkley

Começo da história
   A nossa série vai homenagear um dos 50 melhores jogadores da história, membro do Dream Team, amigo de Jordan e um dos melhores ala/pivôs da liga, hoje vamos contar a história de "Sir" Charles Barkley. Ídolo dos Sixers, Suns e Rockets, tem uma história brilhante na liga.
   Barkley nasceu e foi criado em Leeds, Alabama, onde tentou jogar no Leeds High School, mas como junior de 1,78 m e 98,8 Kg, foi nomeado como reserva. No verão cresceu e foi a 1,93 m e no seu último ano tornou-se o titular da equipe, com médias de 19.1 pontos e 17.9 rebotes, levando sua equipe as semifinais estaduais com recorde de 26-3. Só aí foi visto por olheiros universitários, quando anotou 26 pontos contra o melhor jogador do recrutamento Bobby Lee Hurt. Um assistente do treinador de Auburn viu Barkley e disse, sobre um cara gordo que joga como o vento, ele foi recrutado por Sonny Smith e conclui administração em Auburn.
   Ele jogou por três temporadas em Auburn, sempre lutando para controlar seu peso, ele foi o reboteiro da SEC em todas suas temporadas. Ele conquistou os fãs, pegando rebotes e dando tocos compensando o seu físico, e como sua marca pegava rebotes defensivos e finalizava com uma enterrada no "coast to coast". Durante sua carreira universitária jogou como pivô, mais baixo que a média dos demais pivôs com 1,98 m. Ele é membro da equipe Auburn All-Século e detém até hoje o recorde de percentual de arremesso da carreira com 62,6% de aproveitamento. Ele ganhou vários prêmios, foi Jogador do ano da SEC, três vezes All-SEC, mais tarde foi nomeado Jogador da Década de 1980 da SEC. Em seus três anos teve médias de 14.8 pontos, 68,2% de aproveitamento, 9.6 rebotes, 1.6 assistências e 1.7 tocos. Em 2001 teve a camiseta número 34 aposentada em sua homenagem.
5° escolha do Draft de 1984
   Sua carreira na NBA começou no Draft de 1984, quando foi escolhido na quinta posição geral pelo Philadelphia 76ers. Em sua primeira temporada sobe a tutela de Moses Malone, foi capaz de gerir seu peso e se condicionar de forma adequada para a NBA. Nessa temporada foi eleito para a equipe All-Rookie, com médias de 14 pontos e 8.6 rebotes por partida, ainda chegaram aos playoffs e perderam nas finais de conferência para o Boston Celtics. Na temporada seguinte tornou-se o líder da equipe em rebotes e o segundo cestinha, com médias de 20 pontos e 12.8 rebotes por jogo e se tornou titular da equipe, perdendo nas semifinais de conferência. 
   Na temporada 1986/87 tornou-se o líder da equipe com a saída de Moses Malone, ano em que foi o líder da liga em rebotes (14.6 por jogo) e em rebotes ofensivos (5.7). De quebra teve média de 23 pontos e 59,4% de aproveitamento, sendo eleito para o All Star Game pela primeira vez. Na temporada seguinte com a saída de Doctor J., Barkley tornou-se o jogador da franquia, fazendo dessa a sua temporada mais produtiva da carreira, com médias de 28.3 pontos, 11.9 rebotes e 58,7% de aproveitamento, sendo novamente All Star e All NBA First Team. Ele seguiu jogando em alto nível nas temporadas seguintes, na temporada 1989/90 ficou em segundo na votação para MVP, levou a equipe a 53 vitórias mas novamente caíram na pós temporada contra o Chicago Bulls. 
   Em sua sétima temporada e no quinto All Star Game, ele liderou o Oeste a vitória com 17 pontos e 22 rebotes, maior marca desde Wilt Chamberlain com 22 rebotes em 1967, sendo nomeado o MVP. A temporada de 1991/92 foi a última de Barkley com os Sixers, onde jogou com o número 32 em homenagem a Magic Johnson que havia se retirado por causa do HIV, teve médias de 23.1 pontos e 11.1 rebotes, com 55,2% de aproveitamento, encerrou a carreira na franquia como 4° maior cestinha, terceiro em média de pontos, terceiro em rebotes, oitavo em assistências e segundo em percentual de aproveitamento. Foi o líder em rebotes e percentual de aproveitamento por sete temporadas seguidas, e seis vezes em pontuação. No final dessa temporada foi negociado com o Lakers, mas o Sixers voltou atrás e ele foi oficialmente apresentado pelo Suns em 1992.
MVP chegou na temporada de 92/93
   A troca foi boa para Barkley e o Suns, ele levou a equipe ao melhor recorde da liga com 62-20, tendo médias de 25.6 pontos, 12.2 rebotes, 52% de aproveitamento e a média mais alta da carreira em assistências com 5.1 por jogo. Com isso foi eleito o MVP e tornou-se o terceiro jogador na história da NBA a ser MVP no ano seguinte a troca de franquia, sem contar que levou as Finais da NBA pela primeira vez desde 1976. Mas novamente nas finais foi derrotado por Jordan. A temporada seguinte foi conturbada por lesões, mas mesmo assm Barkley anotou 56 pontos em um jogo dos Playoffs contra os Warriors, a terceira maior marca da NBA. A temporada de 1995/96 marcou sua última como membro dos Suns, ele foi o líder da equipe em pontos, rebotes e roubos de bola, 23.3 pontos, 11.6 rebotes e 77% de aproveitamento dos lances-livres, sua melhor marca na carreira. Ele se tornou o décimo jogador da história a anotar 20000 pontos e 10000 rebotes na carreira, e após a eliminação na primeira rodada dos Playoffs foi negociado para o Houston Rockets. 
Última tentativa de vencer a NBA
   Sua ida para Houston foi sua última tentativa de vencer a NBA, juntando-se a Hakeem Olajuwon e Clyde Drexler na temporada 1996-97. Em seu primeiro jogo, já teve a melhor marca da carreira em rebotes com 33. Ele continuo a lutar contras as lesões e jogos apenas 53 jogos, ainda assim foi o segundo cestinha da equipe com 19.2 pontos de média e 13.5 rebotes, mas perderam nas finais de conferência para o Utah Jazz. Na temporada de 1997/98, Barkley novamente sofre com lesões e o Suns foi eliminado na primeira rodada dos Playoffs contra o Jazz. Ainda nesse ano, ele se tornou o segundo jogador na história a acumular 23000 pontos, 12000 rebotes e 4000 assistências na carreira. A temporada derradeira de sua carreira foi 1999/00, quando teve médias de 14.5 pontos e 10 rebotes por jogo, se despedindo das quadras dia 19 de abril de 2000 contra o Vancouver Grizzlies. 
   Além disso, na sua carreira Barkley foi duas vezes campeão olímpico, com o Dream Team de 1992 e depois em Atlanta 1996. Em ambas campanhas foi o líder em pontos e percentual de arremessos, detentor do recorde olímpico de pontuação com 30 pontos em 1992. 
   Barkley marcou o basquete com seu jogo físico, que lhe renderam os apelidos de Sir Charles e The Round Mound off Rebound, além disso, suas posições fora das quadras as vezes controversas o fizeram uma figura marcante da história da NBA. Ele terminou sua carreira com 16 temporadas jogadas, com 22.1 pontos, 11.7 rebotes e 3.9 assistências de média por jogo, 1 x MVP, 11 x All Star, 1 x MVP All Star Game, 5 x All NBA First Team, eleito como um dos 50 melhores jogadores da história, tem seu número 34 aposentado por Sixers e Suns. Detentor de dois recordes da temporada regular, com maior número de rebotes em um tempo (13) e maior número de rebotes ofensivos em um período (11), e outros três em playoffs, com o maior número de lances-livres convertidos em um tempo (19), mais lances-livres cobrados em uma série de sete jogos (100) e mais erros em uma série de sete jogos (37). E mesmo com todos esses feitos não conseguiu sequer um título, entra no grupo dos grandes astros que não venceram a NBA.
   A carreira desse monstro foi consagrada com a entrada no Hall da Fama em 2006, e atualmente Barkley é comentarista da TNT e faz um trabalho muito bom diga-se  de passagem. Por tudo que fez e ainda faz pelo basquete, Sir Charles merecia ser homenageado. 


Postar um comentário