segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Heróis do passado: Bill Laimbeer

Laimbeer na NCAA
   A nossa série homenageia, não sei bem que se um herói ou vilão da NBA, para os torcedores dos Pistons um herói, para os torcedores de outras franquias um vilão. Falo de um pivô, talvez o mais violento da história do basquete, Bill Laimbeer, um dos membros dos Bad Boys,apelido carinhoso do Detroit Pistons de 1989/1990.
   Teve uma carreira não muito significativa no basquete universitário, atuando por Notre Dame Fighting Irish, tanto que foi escolhido na 65° posição do draft pelo Cleveland Cavaliers em 1979. Laimbeer foi jogar profissionalmente na Itália por um ano, pelo Basket Brescia, antes de retornar aos Cavaliers em 1980. Em fevereiro de 1982 foi negociado para o Detroit Pistons, onde ficou pelo restante de sua carreira.
   Sua carreira na NBA foi notória, embora amado pelos torcedores dos Pistons, ele era odiado e desprezado pelos torcedores adversários por cometer faltas duras. Para os demais torcedores, o jogo extremamente físico de Laimbeer ofuscava as suas qualidades técnicas. Ele foi um dos melhores pivôs arremessadores de bolas de três de sua geração, convertendo mais de 200 bolas de três e se destacou com o pick and pop com Isiah Thomas e Joe Dumars. O então técnico Chuck Daly, utilizou das habilidades de Laimbeer para tirá-lo para fora do perímetro ao invés de infiltrar para a cesta. 
Bad Boy 
   Por diversas vezes terminou entre os líderes da liga em rebotes e percentual de arremessos dos lances-livres, sendo o líder da liga em rebotes na temporada 1985/86. Foi titular nos anos dos títulos dos Pistons (1989/1990), Laimbeer e seus companheiros de equipe são os únicos a ter um registro de vitórias em Playoffs contra as lendas Larry Bird, Magic Johnson e Michael Jordan. O pivô atuou por 14 temporadas, 12 delas com os Pistons, ele se tornou o 19° jogador da história a acumular mais de 10000 pontos e 10000 rebotes. Laimbeer foi um monstro em rebotes defensivos, de 1982 a 1990 ninguém somou mais rebotes na defesa que ele. Possuí a quinta maior série de jogos consecutivos da história, 685 que foi interrompida por uma suspensão. Teve o seu número 40 aposentado pelos Pistons e é o líder de todos os tempos da franquia em rebotes.
Tri campeão da WNBA como técnico
   Após abandonar as quadras em 1993/94, tornou-se comentarista e seguiu acompanhando os Pistons. Na temporada de 2002 da WNBA tornou-se o técnico principal do Detroit Shock, já na temporada seguinte liderou a equipe ao título e foi a primeira vez, na história da WNBA que uma equipe diferente de Houston ou Los Angeles venceu o campeonato, e ele foi eleito o técnico do ano. Ainda no Schock, levou a franquia aos títulos de 2006 e 2008. Depois disso, em 2009 deixou o Detroit Schock por problemas pessoais e visando também a NBA, sendo então contratado como assistente técnico do Minnesota Timberwolves. Em 2012 retornou a WNBA pelo New York Liberty como treinador e gerente geral, posto que ocupa até hoje.
   Na NBA foi 4 x All Star, 2 x Campeão da NBA, 1 x Líder em rebotes, tem o seu número aposentado pelos Pistons, aposentou-se com médias de 12.9 pontos e 9.7 rebotes. O que marcou a carreira desse Bad Boy foi o seu jogo físico, as vezes até mesmo sujo, que o tornou uma das figuras mais odiadas da história da liga, e que foi o pesadelo de Michael Jordan por alguns anos. Laimbeer e os Pistons de 1989/90 provaram que defesa e um pouco de jogo sujo podia levar a NBA, fatos que o caracterizam como um "vilão" do passado. Mas mesmo assim, ele merece ser lembrado, abaixo um pouco da carreira da fera.



Postar um comentário