domingo, 16 de agosto de 2015

Heróis do passado: Clyde Drexler

Tempos de Universidade
   Hoje nossa série vai contar a história de uma lenda do Portland Trail Blazers, membro do Dream Team e um dos melhores alas da história. Vamos lembrar a carreira desse astro da liga.
   Clyde Drexler nasceu em New Orleans, mas foi criado em Houston no Texas. Como estudante do segundo ano, jogou beisebol e tentou ser um atleta da equipe de basquete sem sucesso. Como senior,com 1,98 m ele jogou como pivô. E começou a receber a atenção dos treinadores universitários quando jogou um torneio de Natal em 1979, anotando 34 pontos e 27 rebotes.
   Após se formar em 1980 Drexler recebeu propostas de Universidade Estadual do Novo México, Universidade Técnica do Texas e da Universidade de Houston, sendo que a última o selecionou graças a Michael Young, seu amigo que falou para o técnico Guy V. Lewis que Drexler havia sido o melhor jogador contra quem tinha jogado no ensino médio. Aliado a amizade dos dois e o desejo de ficar em casa, Drexler foi para Houston. Drexler e Young, juntaram-se a Larry Micheaux e Hakeem Olajuwon, ganhando atenção nacional por seu jogo acrobático e plástico. Houston fez duas aparições no final-four, a primeira em 1982, onde perderam para os campeões North Carolina, onde Drexler obteve médias de 15.2 pontos e 10.5 rebotes por jogo. 
  No ano seguinte, chegaram ao Final-Four como a número um do país e enfrentaram a número dois, Louisville, em um jogo memorável onde Drexler anotou 21 pontos, 7 rebotes e 6 assistências. Na final, novamente contra North Carolina, não pode fazer muito, já que chegou a quatro faltas antes do intervalo do jogo. Ainda assim, sagrou-se campeão da NCAA e se elegeu para o Draft de 1983, deixando Houston com médias de 14.4 pontos, 3.3 assistências e 9.9 rebotes, sendo nomeado o Jogador do Ano da Conferência Southwestern e nomeado All-American. Até hoje é o único jogador da história de Houston a combinar 1000 pontos, 900 rebotes e 300 assistências na carreira, além de ser o líder de todos os tempos em roubos de bola com 268.
Enterrada na cabeça de Isiah Thomas pelas finais de 1990
   A sua carreira começou na NBA em 1983, quando foi o 14° colocado do Draft selecionado pelo Portland Trail Blazers. Ele teve médias baixas em sua temporada de novato, com 7.7 pontos em 17.2 minutos em quadra de média. Em sua segunda temporada teve médias de 17.2 pontos, 6 rebotes, 5.5 assistências e 2.2 roubos de bola por jogo. Na temporada seguinte foi All-Star pela primeira vez, com médias de 18.5 pontos, 5.6 rebotes, 8 assistências e 2.6 roubos de bola.
   Na temporada de 1989/90, levou o Portland até as Finais da NBA, mas perderam para o Detroit Pistons. Ele obteve médias de 26.4 pontos e 7.8 rebotes. Na temporada seguinte liderou sua franquia aseu melhor recorde, com 63 vitórias e 19 derrotas, mas sucumbiram nas finais da conferência oeste para o Lakers. A temporada de 1991/92 foi All-NBA Primeiro Time e terminou em segundo na votação para MVP. Levou os Blazers para as Finais da NBA, mas perdeu para o Chicago Bulls de Michael Jordan. Na série contra os Bulls, em seis jogos teve médias de 24.8 pontos, 7.8 rebotes e 5.3 assistências. Em 1992 foi membro do Dream Team e campeão olímpico em Barcelona.
No Houston Rockets, onde sagrou-se campeão da NBA
   Longe da disputa de um título o Portland ouviu o pedido de Drexler e o trocou para o Houston, que era um candidato real ao campeonato por Otis Thorpe no meio da temporada de 1995. Mesmo terminando a temporada regular em 6° na Conferência Oeste com recorde de 47-35, mas que ainda assim impulsionado por Drexler e Olajuwon, foi bi-campeão da NBA, de forma improvável varrendo o Orlando Magic. Na sua terceira aparição nas finais, Drexler teve médias de 21.5 pontos, 9.5 rebotes e 6.8 assistências por jogo. Em 1996 foi nomeado um dos 50 melhores jogadores de todos os tempos, e em 1998 se aposentou.
   Drexler é um dos grandes jogadores que já pisou na quadra, com uma grande facilidade em enterrar e com um arremesso muito bom, dominou as quadras e é o grande nome da história do Portland. Seus tempos de Houston também foram de excelência e por isso, tem o seu número aposentado por ambas as franquias. Deixou a NBA com médias de 20.4 pontos, 6.1 rebotes e 5.3 assistências por partida, 1 x Campeão da NBA, 10 x All Star, 1 x All NBA Primeiro Time, teve seu número aposentado por Rockets, Portland e pela Universidade de Houston. 
   
Postar um comentário