terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Heróis do passado: Tracy McGrady

Começo de carreira discreto
   Hoje nossa série relembra a carreira de um grande ala da NBA, jogador dominante que fez um dos jogos mais impressionantes da história. O cara que anotou 13 pontos em 35 segundos para uma vitória impossível, estou falando de T-Mac, primo de Vince Carter e um dos jogadores mais empolgantes que já vi jogar.
   Nascido em Bartow, Florida, jogou basquete e beisebol no Ensino Médio em Auburndale, por três anos. Então se transferiu para Mount Zion Christian Academy, Durham, Carolina do Norte. Suas habilidades causaram um impacto nacional, T-Mac foi eleito pelo USA Today o melhor jogador do ensino médio, depois de sua performance no ABCD Adidas Camp. Ele afirmou posteriormente que se não tivesse ido para a NBA jogaria pela Universidade de Kentucky.
   Sua carreira profissional começou em 1997, quando foi a 9° escolha do Draft pelo Toronto Raptors. Na maior parte de sua temporada de estréia T-Mac teve pouco tempo de jogo, atuando em média 13 minutos sobre o comando de Darrell Walker. Ele descreveu seu ano de estréia como um inferno, sentindo-se solitário chegava a dormir 20 horas por dia. Ao final da temporada Walker saiu, e com a chegada de Butch Carter começou a jogar mais, tendo que melhorar a sua ética de trabalho.
   Antes do lock-out doa temporada de 1998/99, os Raptors contrataram o primo distante de T-Mac, Vince Carter. Eles se tornaram inseparáveis, juntos na temporada 1999/00 deram uma amostra de sua capacidade atlética num dos mais famosos concursos de enterradas do All-Star Weekend. Com T-Mac jogando uma boa quantidade de tempo, era concorrente ao prêmio de sexto homem do ano e jogava com muita força na defesa. Com McGrady e Carter comandando, a franquia chegou a um recorde de 45-37, participando pela primeira na história de uma fase de Playoffs. T-Mac teve médias de 15.4 pontos, 6.3 rebotes e 3.3 assistências, com a média mais alta da carreira em tocos 1.9, mesmo assim os Raptors foram varridos na primeira rodada dos Playoffs.
   Após os Playoffs de 2000, assinou um contrato de 6 anos com o Orlando

MIP de 2001
Magic como agente livre. Por três motivos, primeiro por estar a sombra de Vince Carter, segundo por poder voltar para Florida e terceiro para poder jogar com outro agente livre, Grant Hill. Infelizmente Hill jogou apenas em 47 partidas na temporada, forçando McGrady a ser o líder da franquia. Calando a boca de muitos críticos e descrentes, ele surgiu como um dos melhores jogadores da liga, sendo selecionado pela primeira vez ao All-Star Game, com médias de 26.8 pontos, 7.5 rebotes e 4.6 assistências, também selecionado para All-NBA Segundo Time, e foi eleito o MIP. Na temporada seguinte teve médias de 25.6 pontos, 7.9 rebotes e 5.3 assistências, sendo eleito para o All-NBA Primeiro Time. A temporada 2002/03 marcou o primeiro título de cestinha, com médias de 32.1 pontos, 6.5 rebotes e 5.5 assistências, tornando-se o sétimo na história um índice de 30 PER em uma temporada. A temporada seguinte foi tumultuada, Doc Rivers foi demitido após um começo de 1-10, T-Mac tinha problemas de relacionamento com John Weisbrod, Gerente Geral do Magic. Com muitos problemas de lesões o Magic terminou a temporada com o pior registro do Leste, mesmo com McGrady sendo o cestinha da liga com 28 pontos, 6 rebotes e 5.5 assistências, anotando sua maior pontuação da carreira contra os Wizzards (62 pontos).
Fazendo história em 35 segundos
   Em junho de 2004 T-Mac, Juwan Howard, Tyronn Lue e Reece Gaines, foram negociados para Houston em troca de Steve Francis, Kelvin Cato e Cuttino Mobley. No momento parecia um negócio justo, mas T-Mac foi All-Star inumeras vezes pelos Rockets e duas temporadas depois Steve Francis era negociado pelo Magic. Com boas contratações, contando com Yao Ming, os Rockets terminaram a temporada em 5° na conferência com recorde de 51-31. Mas infelizmente foram eliminados em sete jogos pelos Dallas Mavericks. A temporada 2005/06 foi de muitos problemas nas costas, lhe tirando de 18 partidas, das quais os Rockets venceram apenas 2. Ainda assim, foi eleito para o All-Star Game. A temporada seguinte começou igual a primeira, com lesões nas costas que lhe tiraram um pouco de sua explosão, mas ainda assim, com Yao afastado por lesão dominou o time e levou o Houston a quinta posição. Na temporada 2007/08 as lesões assombraram os Rockets, pegando Yao e T-Mac, ainda assim chegaram aos Playoffs para pegar os Jazz, mas T-Mac teve de jogar com joelho e ombro enfaixados, fazendo drenagem e tomando analgésicos em todas as partidas. Infelizmente um esforço em vão. Em maio de 2008 McGrady teve de passar por artroscopia no joelho e ombro esquerdo.
2013- Última temporada
   A temporada de 2009 foi perdida, ele teve de fazer uma nova cirurgia no joelho, e já havia perdido 18 partidas antes do All-Star Game. Ficando de fora da temporada, viu os Rockets lutar e perder para os Lakers no jogo 7. Na temporada seguinte atuou apenas em 6 jogos, sendo negociado para os Knicks. Com o time de Nova Iorque teve médias de 9.4 pontos, 3.9 rebotes e 3.7 assistências, e suas médias seguiram caindo, sendo de 8 pontos com os Pistons e a pior da carreira 5.3 com os Hawks. Em 2012 foi jogar na China, no Qingdao Eagles, tendo médias de 25 pontos, 7.2 rebotes e 5.1 assistências. Pouco depois da temporada acabar, assinou com os Spurs para os Playoffs de 2013, perdendo as finais para o Miami Heat. 

   Infelizmente T-Mac foi um dos grandes jogadores da NBA que não venceu um título, jogava muito bem e fez um dos jogos mais impressionantes da história com 13 pontos em 35 segundos, a atuação mais clutch da história provavelmente. Foi 7 x All-Star, 2 x All-NBA Primeiro Time, 3 x All-NBA Segundo Time, 2 x Cestinha da liga, MIP de 2001 e tem seu número aposentado pelos Qingdao Eagles. Teve médias de 19.6 pontos, 5.6 rebotes e 4.4 assistências, se não fossem as lesões com certeza teria jogado mais tempo na NBA, foi um dos jogadores mais explosivos da liga e um cara que dava gosto de ver atuando.
   Abaixo dois vídeos sobre a carreira do craque:




Postar um comentário