segunda-feira, 30 de maio de 2016

Heróis do passado: Marcus Camby

UMass sucesso e polêmica
   Hoje vamos relembrar a história de um grande defensor que passou pela liga, de um passado não muito distante e que deixou marcas nas equipes onde atuou. Vamos falar hoje sobre Marcus Camby, um grande pivô que fez sucesso no Denver Nuggets e New York Knicks.
   Camby começou sua carreira no Ensino Médio em Conrad High Schoool, depois mudou-se para Hartford Public High School, onde conclui seu ensino médio. Na sua última temporada teve médias de 27 pontos, 11 rebotes, 8 tocos e 8 assistências, sendo campeão estadual com um recorde de 27-0, de quebra foi eleito o Gatorade Connecticut Jogador do Ano.
   Após o ensino médio, jogou no basquete universitário por UMass Minutemen onde fez história. É o segundo da história em tocos com 336 e o quarto na história da universidade a ter 300 tocos na carreira, logo em seu primeiro ano registrou 105 tocos, recorde dos novatos (freshman), sendo nomeado o Calouro do Ano da Atlântico 10. Na sua segunda temporada, 1994/95, chegou a Elite-8 e foi nomeado para o primeiro time da conferência. 
   No ano seguinte ganhou os prêmios John Wooden e Naismith Jogador Universitário do Ano, quando levou a UMass ao torneio da NCAA como número um do país e chegando ao Final Four. No torneio da NCAA ele marcou o recorde do torneio em tocos, 43 bloqueios em 11 jogos e ao final do campeonato renunciou o último ano de faculdade e se inscreveu para o Draft da NBA. Infelizmente de nada valeu todo esforço da UMass no tornio, a participação foi oficialmente anulada pela NCAA quando descobriram que Camby aceitou 28 mil dólares de dois agentes esportivos. Como pena a universidade teve de devolver 151.617 dólares em receitas do Torneio da NCAA de 1996, esse montante foi reembolsado por Camby posteriormente. Os dois agentes, segundo a Sports Illustrated de 1997 tinham esperanças de serem contratos por Camby quando ele fosse profissional, dizia também na matéria que o jogador havia ganho de jóias, carros de aluguel e prostitutas dos agentes.
Chegada na liga com qualidade
   Para fechar a controvérsia de sua passagem na NCAA, em 2010 teve seu número aposentado pela UMass, em meio a críticas pela revogação das conquistas do Final Four e de reconhecimento como um dos maiores atletas da história da universidade.
   Sua carreira na NBA começou em 1996, sendo a segunda escolha do Draft e com o pé direito, sendo All-Rookie Primeiro Time com médias de 14.8 pontos, 6.3 rebotes e 2.1 tocos por partida. Na temporada seguinte foi o líder da NBA em tocos, com média de 3.7 bloqueios por partida. Em 1998/99 foi negociado para os Knicks, para ser um backup de Patrick Ewing e foi muito bom para a franquia. A equipe de Nova Iorque classificou-se em 8° lugar para os Playoffs, e os companheiros e amigos Camby e Latrell Sprewell firmavam-se na equipe principalmente nas duas primeiras rodadas. Com uma lesão que tirou Ewing do final da temporada, Camby afirmou-se com médias de duplo-duplo e virou a série contra o Indiana Pacers, tornando os Knicks o primeiro oitavo colocado a chegar as finais da NBA, mas sendo derrotado pelos Spurs.
Bons momentos na Big Apple
   Na temporada 1999/00, Camby voltou a ser reserva e teve uma temporada digna de um Sexto Homem do Ano. Foram até as finais da Conferência Leste mas perderam para o Idiana Pacers. No ano seguinte, a temporada de Camby foi marcada por uma briga com Danny Ferry do San Antonio Spurs. Depois de ser atingido no olho e como o jogo parado, ao tentar acertar Ferry o treinador Van Gundy interviu, tomando uma cabeçada de Camby e levando 15 pontos na cabeça. Pelo incidente Camby foi suspeso por cinco jogos e multado em 25 mil dólares. 
   Em 2003 foi negociado e começou a jogar no Denver Nuggets, já na primeira temporada ao lado do novato Carmelo Anthony, levaram a franquia de volta aos Playoffs. Na temporada 2005/06 teve médias de 12.9 rebotes por jogo, sendo 9.6 defensivos, 1.4 roubos de bola, 12.8 pontos e foi o líder da liga em tocos com 3.3, quando os Nuggets foram campeões da Divisão Noroeste. No ano seguinte, provavelmente foi o melhor de sua carreira, foi eleito o Jogador de Defesa do Ano, com médias de 3.3 tocos, 11.7 rebotes e 1.24 roubos de bola.
Nuggets e bons números
   Nas temporadas seguintes ele manteve-se como um dos grandes defensores do jogo, com alguns feitos, tornou-se o quarto jogador desde 1990 a ter pelo menos 20 pontos, 20 rebotes, 6 assistências e 6 tocos, tornou-se apenas o terceiro jogador desde 1973/74 a ter pelo menos 24 rebotes e 11 tocos, atingiu a marca de 1000 tocos em 2008 e conseguiu um triplo-duplo em apenas 27 minutos, que é o recorde da liga. Ele foi negociado para o Los Angeles Clippers em 2008, e Camby se dizia infeliz, que sua saída foi como se ele fosse um bode expiatório pelo insucesso dos Nuggets na pós-temporada. Em 2010 foi novamente trocado, indo jogar no Portland Trail Blazers, depois em 2012 para o Houston Rockets e novamente para os Knicks em 2013, foi negociado para os Raptors que o dispensaram, assinando com os Rockets e sendo novamente dispensado, encerrado de vez sua carreira.
Rockets: o fim da linha
   Camby foi um grande defensor, um dos melhores que passou pela liga, em suas 17 temporadas aposentou-se com médias de 9.5 pontos, 9.8 rebotes e 2.4 tocos por partida. O pivô foi 1 x Jogador de Defesa do Ano, 2 x All-Primeiro Time de Defesa, 2 x All-Segundo Time de Defesa e 4 x Líder da NBA em tocos. Quando se fala em defesa, Marcus Camby deve ser lembrado.
   Abaixo dois vídeos, o primeiro da briga famosa e o segundo sobre a sua carreira.



Postar um comentário