segunda-feira, 27 de junho de 2016

Heróis do passado: Tim Duncan

Wake Forest o início de tudo
   Hoje nossa série vai contar a história de um futuro Hall da Fama, não sabemos ainda se ele se aposentou ou não, mas merece muito ser lembrado. Para um cara que queria ser nadador profissional nas Ilhas Virgens, sua terra natal, o basquete foi a melhor opção que teve após um furacão. Vamos exaltar hoje a grandeza de Tim Duncan, um veterano da liga que é um mito.
   Duncan nasceu e se criou em Christiansted, Saint Croix, uma das principais ilhas que compõem as Ilhas Virgens. Ele se destacou na natação assim como uma de suas irmãs, Tricia, tendo como objetivo competir nos Jogos Olímpicos de 1992 pela equipe americana. Infelizmente, em 1989 o Furacão Hugo destruiu a única piscina olímpica da região e Duncan teria de treinar no mar, mas seu medo de tubarões o impediram. 
   Aos 14 anos, a mãe de Duncan faleceu lhe fazendo prometer que terminaria os seus estudos, o que explica o porque de entrar na NBA somente após sua graduação. Aconselhado pelo irmão, Timmy começou a jogar basquete como uma forma de aliviar a dor que sentia, no começo teve dificuldades de se adaptar, mas como senior na St. Dunstan Episcopal High School, com médias de 25 pontos por jogo começou a demonstrar potencial. Várias universidades demonstraram interesse, mas posteriormente selecionou Wake Forest, onde o treinador necessitava de um cara alto e físico, e logo percebeu que Duncan seria atleticamente talentoso e um rápido aprendiz. 
   Sua carreira no basquetebol universitário o fez ser eleito como o melhor jogador da história da NCAA, seu começo no entanto foi lento, demorando a se adaptar ao jogo. Na sua primeira partida terminou sem anotar uma cesta, mas sua evolução coincidiu com o recorde da equipe de 20-11. Timmy com seu estilo de jogo simples foi muito eficaz, combinando movimentos de low-post, arremessos de média distância e uma defesa forte. Ao fim de sua primeira temporada já era considerado uma escolha top, mas mesmo assim ele optou por terminar a graduação. Ele liderou a equipe ao título da ACC, chegando as finais da NCAA mas perdendo, ainda assim Duncan anotou 12 pontos, pegou 22 rebotes e deu 8 tocos, terminou o ano com médias de 16.8 pontos, 12.5 rebotes, foi nomeado o Jogador Defensivo do Ano e tornou-se o terceiro melhor bloqueador da história da NCAA com 3,98 tocos por partida. 
   Na temporada 1995/96 com uma equipe inexperiente, liderada por Tim Duncan perdeu apenas quatro partidas, venceu a ACC novamente e chegou a final da NCAA com médias de 19.1 pontos e 12.3 rebotes, mas ficou de fora a partir do Sweet 16 por uma gripe. Foi eleito novamente o Jogador Defensivo do Ano e Jogador do ano da ACC.  A temporada seguinte foi ainda melhor para Duncan com médias de 20.8 pontos, 14.7 rebotes e 3.2 assistências, com 60,6% de aproveitamento, sendo eleito pela terceira vez seguida o defensor do ano, Jogador do ano da ACC, Naismith Jogador do Ano, Prêmio John Wooden. Sua carreira universitária é absurda, sendo que 1996 tornou-se o primeiro jogador da história a liderar a ACC em pontos, rebotes, tocos e aproveitamento, terminou a carreira como reboteiro da história. É um dos apenas 10 atletas com 2000 pontos e 1500 rebotes, foi o primeiro jogador da história a chegar em 1500 pontos, 1000 rebotes, 400 tocos e 200 assistências. Encerrou a era universitária com médias de 19 pontos, 10.8 rebotes e 3 assistências, e finalmente se inscreveu ao Draft.
1997: 1° escolha
   A carreira na NBA começou em 1997, quando foi a primeira escolha pelo San Antonio Spurs. Após uma temporada péssima, a chegada de Duncan associada a David Robinson impulsionou os Spurs , a dupla conhecida como as Torres Gêmeas dominou a liga. Duncan mostrou ao que veio logo em sua chegada, na primeira temporada teve médias de 21.1 pontos, 11.9 rebotes, 2.7 assistências e 2.5 tocos por jogo, sendo eleito para o All-NBA Primeiro Time e sendo o Novato do Ano, sendo o novato do mês durante toda a temporada. Nesse ano foram aos Playoffs mas perderam na segunda rodada para o Utah Jazz.
   Na temporada seguinte, em 1998/99, chegando as finais e levando o título com Duncan sendo o MVP das Finais, com médias de 23.2 pontos e 11.5 rebotes, com atuações decisivas para bater os azarões New York Knicks. Ele continuou evoluindo o seu jogo, amentando suas médias de pontos, rebotes, assistências e tocos, mas dessa vez sendo eliminados na primeira rodada dos Playoffs por 3 a 1 pelos Suns. A temporada 2001/02 marcou o começo da queda de produção de Robinson, e os Spurs foram superados pelo Lakers de Kobe e Shaq pelo segundo ano consecutivo. Na temporada seguinte, mais um título da NBA, mais uma vez como o MVP das finais, após conseguirem passar pelo Lakers em 6 jogos, bateram o Nets nas finais e junto com Robinson foram eleitos os atletas do ano pela Sports Ilustrated.
   A partir da temporada 2003, Duncan tornou-se o líder da equipe, com as chegadas de Manu Ginobili, Tony Parker, Bruce Bohen, Hedo Turkoglu, Hobert Horry, Malik Rose, Kevin Willis e Rasho Nesterovic. Com Duncan aprendendo a ser líder, os Spurs perderam nas semifinais de conferência para os Lakers no jogo 5, com aquele arremesso impressionante de Derek Fisher a quatro décimos do fim do jogo. Na temporada seguinte, Duncan conseguiu assumir o seu papel de liderança, levando os Spurs a 59 vitórias e classificando como segundo lugar na Conferência Oeste para a pós-temporada. Ele foi fundamental na trajetória até as finais contra o Detroit Pistons, onde enfrentou o Jogador de Defesa do Ano, Ben Wallace. Depois de duas vitórias convincentes, os Pistons forçaram Duncan para longe da cesta e empataram a série em 3 a 3, mas no jogo decisivo ele dominou com 25 pontos e 11 rebotes, assim sendo pela terceira vez o MVP das Finais.
   Na temporada 2005/06 sofreu com uma fascite plantar, o que diminuiu suas médias para 18.6 pontos, 11 rebotes, 3.2 assistências e 2 tocos, voltando em forma nos Playoffs. Infelizmente perdendo para o Dallas MAvericks no jogo 7, mesmo anotando 39 pontos. Mas as coisas melhoraram, 2007 veio mais um título da NBA para o currículo, ganhando do Nuggets por 4 a 1, do Suns por 4 a 2, e do Utah Jazz por 4 a 1, enfrentando o Cleveland Cavaliers nas finais e varrendo a equipe. Pelas temporadas seguintes, os Spurs sempre chegaram aos Playoffs e algumas marcas foram alcançadas por Timmy, ele se tornou o maior pontuador  e o atleta que mais atuou pelos Spurs em 2011, em 2012 tornou-se o jogador com o maior número de tocos na história dos Playoffs, passando Abdul-Jabbar. Em julho de 2012 tornou-se o único atleta a ter 500 tocos nos Playoffs, nas finais contra o Miami Heat, quando foram derrotados no jogo 7. Na temporada 2013/2014 foi novamente campeão da NBA, vencendo por 4 a 1, Timmy juntou-se a John Salley como únicos atletas a serem campeões em três décadas diferentes. Em 2015 passou John Stockton e se tornou o atleta com maior número de vitórias com a mesma equipe, tornou-se o terceiro jogador da história com 1000 vitórias na temporada regular, o sexto da história em rebotes, o quinto da história a alcançar 3000 tocos.
2015/16 o fim da carreira?
   Nessa temporada chegou novamente aos Playoffs, onde teve a suas piores médias na história com 5.9 pontos, 4.8 pontos e 1.4 assistências em 10 partidas, sendo muito dominado por pivôs mais jovens e jogo rápido dos Clippers que venceram os Spurs por 4 a 3 na série. Essa temporada foi a de médias mais baixas de sua carreira, com 8.6 pontos, 7.3 rebotes e 2.7 assistências em 61 partidas atuadas. Não se tem uma nota oficial que Duncan irá se aposentar, ele te até o dia 29 de junho para aceitar um contrato de 6,39 milhões para a próxima temporada, até lá somente especulações.
   De qualquer forma, esse mito do basquete merece a homenagem, o cara é um membro certo do Hall da Fama, é um monstro desde os tempos de Wake Forest e entrou na NBA com tudo, sendo sempre constante. Foi 5 x Campeão da NBA, 3 x MVP das Finais, 2 X MVP da NBA, 15 x All-Star, 10 x All-NBA Primeiro Time, 8 x All-NBA Primeiro Time de Defesa, tem o número 21 aposentado por Wake Forest. Na minha opinião foi o melhor ala/pivô da história, com um jogo muito refinado e com uma defesa forte e constante, sua seriedade sempre foi uma marca e Duncan merece todas as honras possíveis.

   
Postar um comentário