sábado, 4 de junho de 2016

Livingston como uma Fênix

Shaun Livingston renasceu para o basquete

   Exitem histórias na NBA que são de superação, seja pela infância, problemas que tiveram fora das quadras, ou por problemas que enfrentaram durante a carreira. Shaun Livingston, o herói do jogo 1 das finais desse ano não é diferente. Quando jovem sofreu uma das piores, se não a pior, lesão possível a ponto de uma amputação ter sido pensada para solucionar os efeitos da mesma. Depois disso, ele ressurgiu, vou contar um pouco da trajetória dele.
   Livingston jogou no ensino fundamental para Concordia Lutheran School, levando a escola a dois campeonatos estaduais consecutivos em 1999 e 2000. No ensino médio jogou por Richwoods por dois anos, depois indo jogar para Peoria Central levando a equipe a dois títulos estaduais em 2003 e 2004, sendo nomeado Illinois Mr. Basketball em 2004. Nesse mesmo ano foi All-American e nomeado Co-MVP da partida.
   Considerado como um jogador cinco-estrelas para o recrutamento, sendo o armador número 1 do país e o jogador número 2 do país. Ele foi convidado para jogar na Universidade de Duke, mas optou por entrar diretamente na NBA. 
   Assim, foi a 4° escolha do Draft de 2004 pelo Los Angeles Clippers, sendo um jogador alto e com uma envergadura elevada para a posição de armador, e com Sam Cassel no elenco acabou sendo o ala da equipe. Nas suas duas primeiras temporadas jogou 91 partidas, com média de 6.3 pontos, antes de se lesionar e perdeu 39 partidas. Infelizmente as lesões marcaram o três primeiros anos de sua carreira, perdendo 101 de 246 jogos.
   Em 2007, numa partida contra o Charlotte Bobcats , ao errar uma bandeja caiu de mal jeito sobre a sua perna esquerda, acarretando em uma lesão em quase todos ligamentos do joelho, rompendo o ligamento cruzado anterior, o cruzado posterior, o menisco lateral, torção severa do ligamento medial colateral, deslocando a patela e a junta tibio-fibular. Supostamente, sua perna poderia ser amputada e sua carreira ter se encerrado.

   Em 2008 seu contrato com o Clippers acabou e como nenhuma oferta foi feita, tornou-se um agente livre irrestrito. Em junho de 2008 foi autorizado a retornar as atividades com basquete, ele assinou um contrato com o Miami Heat. A partir de então começou uma maratona, negociado e dispensado pelo Memphis Grizzlies, foi jogar no 66ers Tulsa da D-League, que era propriedade do Oklahoma City Thunder, assinou posteriormente com o Thunder e foi dispensado. Passou por Wizards, Bobcats, Bucks, Rockets, novamente Wizards, Cavaliers, Nets e finalmente chegou ao Golden State Warriors. 
   Chegou em 2014 aos Warriors, assinando por três anos, vindo do banco foi importante na caminhada rumo ao título da NBA, o primeiro de uma carreira que deveria ser muito promissora, mas que quase acabou. Novamente tem chances de ganhar um anel da NBA, e dessa vez ajudando e muito no primeiro jogo da série, atingindo 20 pontos e nenhum desperdício de bola, marca que somente Jordan, Magic, Bird, Parker e Pippen conseguiram. Já podemos dizer que Livingston é uma Fênix, renascendo das cinzas e alcançando a glória.
Postar um comentário