terça-feira, 9 de agosto de 2016

Heróis do passado: Dave Bing

Astro na NCAA
   Hoje nossa série vai contar a história de Dave Bing, um dos 50 melhores jogadores da história da NBA, Hall da Fama do basquete e do basquete universitário, ídolo no Detroit Pistons e com boas passagens em outras equipes. Bing é o nosso craque de hoje.
   Bing jogava basquete na escola, mas os garotos mais velhos lhe diziam que era muito pequeno para jogar. Mesmo jogando basquete, o seu foco era no beisebol, o jogo principal dos bairrros, era um grande fã do Brooklyn Dodgers. Mesmo com uma visão difusa, ele se destacou em Spingarn High School, mas o treinador da escola lhe convenceu a voltar a jogar basquete. Bing aceitou e tornou-se um cestinha de dígitos duplos de média, conhecido por seu arremesso e qualidade de infiltrar, ainda assim ele continuava a jogar beisebol em seu último ano, mas teve de optar por um esporte quando os campeonatos das modalidades coincidiram de data. 
   Embora se sentisse melhor jogando beisebol, ele optou pelo basquete pelo fato da possibilidade de ganhar uma bolsa de estudos integral ser maior, ciente do caminho percorrido por Elgin Baylor, aluno de Spingarn que jogava no Lakers. No torneio levou sua equipe ao campeonato e foi MVP, em seus três anos foi sempre All-Inter High, All-Metro e All-East Member. Em 1962 foi destaque na revista Parade e foi All-American.
   Jogou no basquete universitário por Syracuse, foi um atleta em constante evolução, sendo sempre o cestinha da equipe. Ele teve médias de 22.2, 23.2 e 28.4 pontos respectivamente, sendo que em sua última temporada foi o 5° cestinha da NCAA. Em 1965 foi o primeiro jogador de Syracuse a ser All-American em 39 anos, foi All-American Primeiro Time e foi o Atleta do Ano de Syracuse. Seu estilo de jogo era incomum para sua época, ele era um ala magro, atlético e explosivo, ele era um criador de jogadas, distribuía a bola, mas ainda assim pontuava mais que os outros jogadores de sua posição. 
Pistons melhor fase da carreira
   Começou a carreira na NBA em 1966, quando foi a 2° escolha do Draft pelo Detroit Pistons, onde chegou mostrando toda a sua qualidade. Em sua temporada como novato teve médias de 20 pontos e 4.1 assistências, foi eleito o Novato do Ano e foi membro do All-Rookie Primeiro Time. Na temporada seguinte foi o cestinha da NBA, com médias de 27.1 pontos e 6.4 assistências, levando os Pistons aos Playoffs, perdendo por 4 a 2 para o Boston Celtics na primeira rodada. 
   Bing foi um atleta bem constante, apenas na temporada de 1971/72 ficou fora por dois meses e meio, jogando apenas 45 partidas, por conta de um descolamento de retina na pré-temporada contra o Lakers. Em seus anos como jogador dos Pistons, foi 7 x All-Star e 2 x All-NBA Primeiro Time, com certeza os seus melhores anos na carreira, chegando aos Playoffs em três oportunidades.
Bullets ainda como jogador decisivo
   Ao deixar os Pistons foi atuar no Washington Bullets, onde nas duas temporadas que jogou levou a equipe aos Playoffs, foi All-Star mais uma vez e 1976, sendo eleito o MVP da partida. Na sua última temporada juntou-se ao Boston Celtics, onde teve médias de 13.6 pontos e 3.8 assistências.
   Dave Bing foi coroado por uma carreira brilhante com a aposentadoria do seu número por Syracuse (22) e o número (21) pelo Detroit Pistons, foi 7 x All-Star, 2 x All-NBA Primeiro Time, 1 x All-NBA Segundo Time e 1 x Cestinha da liga, aposentou-se com médias de 20.3 pontos, 3.8 rebotes e 6 assistências. Bing é com certeza um dos grandes nomes da história, um dos melhores armadores que já jogou, com um tipo físico diferenciado e de qualidade absurda.

Postar um comentário