segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Heróis do passado: Dolph Schayes

Fazendo história por onde passou
   Hoje em nossa série relembraremos a carreira de Dolph Schayes, um dos grandes nomes do basquete dos anos 50 e 60, fez seu nome jogando pelo Syracuse Nationals e Philadelphia 76ers. Depois de atleta ainda atuou como treinador de sucesso, para quem não conhece essa lenda vale a leitura.
   Nascido no Bronx, Nova Iorque, filho de imigrantes Romenos começou a jogar basquete na escola por Creston Junior High School 79 e posteriormente por DeWitt Clinton High School, no Bronx em Nova Iorque onde foi campeão municipal. Na universidade jogou basquete por NYU, de 1944 a 1948, quando calouro tinha 16 anos e ajudou a equipe a chegar a final da NCAA. Ele concluiu o curso de engenharia aeronáutica, foi All-American e venceu o Prêmio Haggerty para o melhor jogador de basquete universitário de Nova Iorque do Ano. Seu treinador de NYU disse que era preciso tirá-lo do ginásio, pois em todo tempo livre que tinha ia para lá treinar.
Um dos melhores da história
   Sua carreira profissional começou em 1948 quando foi a 4° escolha do Draft da BAA pelo New York Knicks, e também pelo Tri-Cities Blackhawks da NBL. Os Blackkawks negociaram os direitos com o Syracuse Nationals, que lhe ofereceram um contrato de 7500 dólares (atuais 73900), o dobro que tinha sido oferecido pelos Knicks, o que influenciou sua ida para Syracuse.
   Já na sua primeira temporada foi eleito o Novato do Ano, com médias de 16.8 pontos, 4 assistências, na época os rebotes não eram contabilizados. Em sua segunda temporada os Nationals mudaram-se para a NBA, pela fusão de BAA e NBL. Nessa temporada teve média de duplo-duplo, algo muito constante em sua carreira, só não acontecendo nas suas duas últimas temporadas, ele teve médias de 17 pontos e 16.4 rebotes. Seus 2,03 m eram muito favoráveis, e lhe davam grande vantagem na época como pivô/ala-pivô, associados ao seu arremesso com um grande arco que era imparável, de sua infiltração e arremesso de longa distância. Sua maneira de jogar modificou a NBA, começando assim a surgir os jumpshots.
   Curiosamente ele quebrou seu braço direito lhe deixando uma temporada engessado. Porém, essa lesão melhorou seu jogo, pois ele aprendeu a arremessar com a mão não dominante, tornando-o um dos melhores e últimos arremessadores com ambas as mãos, o que lhe tornava extremamente difícil de ser marcado. Seu jogo sempre evoluiu e na temporada de 1954/55 foi campeão da liga com médias de 18.5 pontos e 12.3 rebotes na temporada regular e de 19 pontos e 12.8 rebotes nos Playoffs, sendo decisivo para o título.
   Seus feitos na NBA são inúmeros, foi o primeiro atleta a ultrapassar os 15000 pontos, foi o primeiro a acumular 30000 pontos+rebotes+assistências, jogou 706 partidas consecutivas, detêm o recorde de lances-livres consecutivos em uma partida (18) e liderou a liga três vezes em percentual dos lances-livres. Na carreira foi 12 x All-Star, 6 x All-NBA Primeiro Time, 6 x All-NBA Segundo Time, 1 x Líder em rebotes, por três vezes ficou perto de ser o MVP da liga, quando se aposentou em 1964 liderava a NBA em jogos (996), lances-livres convertidos (6712), lances-livres tentados (7904), faltas pessoais (3432), segundo em pontos (18438) e terceiro em rebotes (11256). Foi selecionado para a equipe da NBA 25 Anos como um dos 12 melhores da história, e é um dos 50 melhores jogadores de todos os tempos, membro do Hall da Fama e tem o número 4 aposentado pelo Philadelphia 76ers.
Cerimônia de aposentadoria de seu número
   Após a carreira como atleta tornou-se treinador, ainda como atleta em 1963 ocupou as duas funções até 1964. Depois de deixar as quadras como jogador seguiu mais três anos como técnico, em 1966 foi o treinador do Ano. De 1966 a 1970 trabalhou como supervisor de arbitragem da NBA. Podemos dizer de Schayes fez de tudo na carreira, desde ser um exímio atleta que mudou a forma de jogar até supervisor de arbitragem, e com uma trajetória tão brilhante e interessante, não poderia ficar de fora da nossa série.



Postar um comentário