segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Heróis do passado: Lenny Wilkens

Lennu Wilkins, mito por onde passou
   Hoje nossa série relembra Lenny Wilkens, um dos grandes nomes da história do basquete, três vezes membro do Hall da Fama, e que fez muito sucesso como jogador e treinador. 
   Wilkens nasceu e foi criado em Bedford-Stuyvesant, um bairro do Brooklyn. No ensino médio estudou e jogou por Boys High School, jogando basquete com um futuro astro da MLB, Tommy Davis. Na universidade jogou basquete por Providence College, levando a equipe para a NIT e as finais da NIT pela primeira vez. Foi duas vezes All-American, e quando se formou deixou a equipe como o segundo maior cestinha da história com 1193 pontos, durante sua trajetória de três anos teve médias de 14.9 pontos e 7.3 rebotes, tendo o seu número 14 aposentado em 1996, o primeiro aluno da história a ter essa honra.
   Sua carreira na NBA começou em 1960, quando foi a 6° escolha do Draft pelo St. Louis Hawks, que perdeu a final da NBA para o Boston Celtics. Com Wilkens a equipe chegou constantemente aos Playoffs, em todas as temporadas em que esteve com franquia, mas nunca conseguiu vencer um título. Na temporada de 1967/68 ficou em segundo lugar na votação de MVP, perdendo para Wilt Chamberlain, quando teve médias de 20 pontos, 8.3 assistências e 5.3 rebotes. 
Última parada
   Ele foi trocado por Walt Hazzard e foi jogar no Seatle SuperSonics, onde passou quatro temporadas e foi All-Star em três delas. Em sua chegada já marcou boas médias, 22.4 pontos, 8.2 assistências e 6.2 rebotes, na sua segunda temporada com a equipe foi nomeado treinador principal e atleta. Mesmo sem chegar aos Playoffs enquanto Wilkens tinha um papel duplo na franquia, as médias melhoravam a cada temporada, chegando a 47 vitórias em sua última temporada com a equipe (1971-72), na temporada seguinte foi trocado de forma inesperada para o Cleveland Cavaliers, e a equipe dos SuperSonics caiu para um recorde de 26-56 sem o armador.
   Pelos Cavaliers atuou por duas temporadas, onde teve médias de 18.5 pontos e 7.7 assistências, depois foi para o Portland Trail Blazers onde terminou a carreira e teve as suas piores médias, 6.5 pontos e 3.6 assistências aos 37 anos. Deixou as quadras como jogador mas continuo como treinador, de 1969 a 1972 foi treinador dos SuperSonics, no Portland também foi técnico e atleta ao mesmo tempo. Quando se aposentou foi treinador em tempo integral de Portland, depois de uma temporada voltou aos SuperSonics para substituir Bob Hopkins, ele chegou e ganhou 11 dos primeiros 12 jogos, levando a equipe as finais e perdendo para o Washington Bullets em sete jogos.
   Como treinador levou os SuperSonics ao seu único título da NBA em 1979, passou por Cavaliers, Atlanta, Toronto e New York em 2005, onde se aposentou do esporte. 
Brilhante como treinador
   A brilhante carreira no esporte o tornou três vezes membro do Hall da Fama, como atleta, como treinador e como membro do Dream Team onde era o auxiliar técnico. Como treinador foi ouro em Atlanta 1996, é membro do Hall da Fama de Providence e do Hall da Fama Universitário. Deixou o basquete, como atleta, com médias de 16.5 pontos e 6.7 assistências, aposentou-se como o segundo maior passador da história, foi 9 x All-Star, 1 X MVP do All-Star Game, teve o número 19 aposentado por Seatle e é um dos maiores jogadores da história, como treinador foi 1 x Campeão da NBA, 1 x Treinador do Ano, 4 x Treinador do All-Star Game e um dos 10 melhores treinadores da história. 
   Fica aqui a nossa singela homenagem a esse multitarefas do esporte, parabéns pela brilhante carreira.
Postar um comentário