terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Heróis do passado: Bob Love

   Hoje nossa série vai relembrar a carreira de um ídolo do Chicago Bulls, antes de Michael Jordan aparecer por lá quem comandava a franquia era Bob Love, um excelente ala que pontuava como ninguém e defendia com muita qualidade. Pra quem nunca ouviu falar na fera confere aí, vale a pena.
Love fez sucesso no Bulls
   Love começou sua carreira de sucesso na Morehouse High School em Louisiana, antes ir para a Universidade Southern onde foi All-American duas vezes em 1963 e 1965. Em 1965 foi selecionado na quarta rodada pelo Cincinnati Royals, mas foi jogar na LBL (Liga de Basquetebol do Leste), onde anotou 25 pontos de média e foi eleito o novato do ano e assim chegou aos Royals. Love atuou pela franquia de Cincinnati por duas temporadas, basicamente como um reserva com médias de 6.5 pontos e 3.4 rebotes, em 1968 com a expansão da liga, foi selecionado pelo Milwaukee Bucks no Draft de expansão e trocado para o Chicago Bulls.
   No Bulls treinado por Dick Motta seu jogou fluiu, teve grande destaque na NBA, logo na sua primeira temporada foi titular e teve médias de 21 pontos e 8.7 rebotes. Nas temporadas seguintes médias de mais de 25 pontos, tornou-se All-Star e viveu seus melhores anos na liga. Enquanto atleta do Bulls foi 3 x All-Star, 2 x All-NBA Segundo Time e 3 x All-NBA Segundo Time de Defesa, por sua passagem em Chicago teve o número 10 aposentado, sendo o segundo atleta da franquia a receber essa honra.
Superou a gagueira para trabalhar 
   Love passou ainda por New York Knicks e Seattle SuperSonics. Depois de deixar as quadras teve dificuldades de conseguir um emprego devido a seu problema de gagueira, trabalhou lavando louça de um restaurante e fez uma terapia para falar. Após isso, trabalhou no Chicago Bulls como diretor de relações com a comunidade em 1993, tornou-se um orador motivacional e falava com crianças nas escolas com frequência. 
   Love teve uma carreira respeitável, com boas médias, 17.6 pontos, 5.9 rebotes e 1.4 assistências, sendo uma ala que pontuava bem e marcava bem, um dos grandes nomes da história do basquete e do meu amado Chicago Bulls e incrivelmente não está no Hall da Fama.


Postar um comentário