terça-feira, 26 de setembro de 2017

Heróis do passado: Dan Issel

   Hoje relembramos a carreira de um grande atleta por onde passou, em especial no Denver Nuggets onde teve seu número aposentado, depois de aposentado foi um dos treinadores da liga. Vamos contar a história de Dan Issel, um dos grande ala/pivôs, pivôs da liga, não conhece ele? Chega junto!
Fez sucesso em Kentucky, um dos melhores da história
   Issel jogou basquete universitário pela tradicional Universidade de Kentucky, onde foi treinado pelo lendário técnico Adolph Rupp. O jogador atuou por quatro temporadas com a UK, de 1966 até 1970, onde teve médias incríveis, em seu primeiro ano teve médias de 20.8 pontos e 17.8 rebotes, mantendo médias de duplo-duplo em todas temporadas. Em seu último ano teve médias de 33.9 pontos e 13.2 rebotes, e saiu da NCAA com médias de 25.8 pontos e 13 rebotes, anotando um total de 2138 pontos e 1078 rebotes. 
Começou a carreira na ABA
   Em seu período em Kentucky foi titular por três temporadas e liderou a equipe a três títulos da Conferência Sudeste e estabeleceu 23 recordes. Um dos mais marcantes perdurou por 39 anos, o recorde de pontos em uma partida que foi estabelecido em 1970 ao anotar 53 pontos contra Mississippi que só foi batido em 2009. Ele foi duas vezes All-American em três possibilidades e teve seu número 44 aposentado pela Universidade de Kentucky.
   Sua carreira profissional começou em 1970 quando foi selecionado pelo Kentucky Colonels da ABA e pelo Detroit Pistons da NBA, na oitava rodada na 122° posição. O atleta optou jogar na ABA e já começou dominando a liga, em sua temporada de novato teve médias de 29.9 pontoa e 13.2 rebotes, liderando a liga nas duas estatísticas. Ele foi o novato do ano juntamente com Charlie Scott, foi selecionado para o All-Star Game e All-ABA Segundo Time.
   Na temporada seguinte ficou ainda melhor, melhorou sua média de pontos para 30.6, foi novamente All-Star e MVP do All-Star Game com 21 pontos e 9 rebotes, e de quebra foi All-ABA Primeiro Time. Na temporada de 1974/75 os Colonels conquistaram a ABA, contando com Artis Gilmore extremamente dominante e com apoio de Dan Issel e suas médias de 17.7 pontos e 8.6 rebotes fundamentais para a conquista.
   Issel jogou seis temporadas  com os Colonels sendo o cestinha da liga em três delas, com o recorde de pontos em uma temporada (2538) e sendo All-Star em todas elas. Na temporada 1975/76 foi trocado para o Baltimore Claws e em seguida negociado para o Denver Nuggets. Com a equipe de Denver foi mais uma vez All-Star e manteve-se sempre produtivo, com médias de 20 pontos em cinco das oito temporadas em que atuou. O atleta aposentou-se na temporada 1984/85 recebendo o Prêmio de Cidadania J. Walter Kennedy por seu excelente serviço comunitário. 
   Ele teve seu número 44 aposentado pelo Denver Nuggets, marcou na carreira 27000 mil pontos e quando aposentou-se ficava atrás apenas de Abdul-Jabbar, Doctor J e Chamberlain nesse quesito. Em suas 15 temporadas perdeu apenas 24 partidas, sendo conhecido como Cavalo pela saúde forte. Em 1993 tornou-se membro do Hall da Fama.
Um dos grandes nomes da história
   Depois de um tempo como comentarista dos jogos de Kentucky e posteriormente dos Nuggets, foi convidado para ser treinador do Denver em 1992. Dois anos depois levava a franquia aos Playoffs e fazia história, naquele ano os Nuggets tornaram-se a primeira equipe classificada na oitava posição a eliminar o primeiro colocado, Seatle SuperSonics em cinco jogos. Na temporada 1994/95 após ser criticado por seu estilo de treino, dizendo ter se tornado uma pessoa que não queria renunciou o cargo. Em 1998 retornou como presidente e gerente geral dos Nuggets, mas voltou as quadras em 1999 com inúmeras dificuldades, por conta de dificuldades para conseguir um novo dono e admitiu que isso estava atrapalhando seu trabalho como treinador.
   Em 2000 sofre um motim após criticar sua equipe em uma série de derrotas, os atletas simplesmente boicotaram o treino no dia seguinte a sua declaração. A equipe se encontrou mas terminou a temporada com um recorde de 40-42. Sua carreira como treinador acabou de maneira infeliz, em 2001 após uma derrota, um fã lhe criticou e Issel respondeu: "Vá beber outra cerveja, mexicano de merda". O incidente foi gravado por uma filial da NBC, ele foi suspenso por quatro jogos e se retratou no dia seguinte, mas a comunidade hispânica de Denver achava pouco a punição e pedia a sua demissão. Horas antes de retornar ao cargo, ele tirou uma licença para decidir sua situação e pediu demissão dia 26 de dezembro de 2000.
   Como treinador teve médias de 180 vitórias e 208 derrotas, com 46,4% de aproveitamento. Com exceção da vitória de 1993/94 sobre a equipe número de conferência, a carreira de Issel como treinador não teve muito brilho. Em contra partida como atleta, teve médias de 22.6 pontos, 9.1 rebotes e 2.4 assistências, foi 1 x Campeão da ABA, 7 x All-Star, 1 x MVP do All-Star Game, 4 x All-ABA Segundo Time, 1 x All-ABA  Primeiro Time, Novato do Ano, ABA-All Time de Todos os tempos, tem o número 44 aposentado pelos Nuggets.
   Com uma carreira tão boa essa homenagem é mais que merecida, abaixo um vídeo da carreira de Issel:

   
Postar um comentário