terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Heróis do passado: Wendell Ladner

Campeão com os Nets
   Continuado com nossa série, hoje vamos relembrar a carreira de sucesso que foi encurtada por circunstâncias do destino. Iremos falar sobre Wendell Ladner, jogador que brilhava pelas quadras da ABA e que foi inspiração para um personagem de filme, teve sua carreira interrompida aos 26 anos em um acidente de avião. Não conhece? Vêm conferir.
   Ladner começou a jogar basquete por Hancock North Central High School em Kiln no Mississippi. De lá foi jogar basquete universitário na Universidade do Sul do Mississippi, antes de ir para a ABA em 1970. Ele entrou na liga sem ter sido selecionado no Draft, mesmo assim foi selecionado para o All-Rookie Primeiro Time com médias de 17 pontos, 11.4 rebotes e 2.1 assistências, provando ser uma ala de potencial atuando pelo Memphis Pros.
Um dos grandes defensores da época
   O ala jogou por cinco equipes diferentes, Memphis Pros, Carolina Cougars, Memphis Tams, Kentucky Colonels e New York Nets. Com 1,96m e 100 quilos, foi um dos grandes responsáveis pelo reforço do garrafão na liga, um ala forte e um dos pioneiros fazendo esse papel ao lado de Dan Issel em Kentucky e depois com Doctor J. nos Nets. 
   Foi duas vezes All-Star, foi ainda campeão da NBA em 1973/74 com o New York Nets, onde teve médias de 8.2 pontos e 5 rebotes por partida. Com um grande potencial, era muito bom defensor e um dos grandes reboteiros da época, mas teve sua carreira encurtada. Após oito temporadas na ABA, Ladner faleceu em um acidente de avião em 1975, só sendo identificado por usar seu anel de campeão da ABA. 
   Os Nets nunca aposentaram formalmente seu número (#4), porém por anos o número ficou inelegível. Apenas Rick Mahorn utilizou em sua passagem pela franquia, em respeito ao atleta o técnico Fritz Massmann não permitiu que nenhum atleta o utilizasse por 17 anos. Atualmente Jahlil Okafor joga com o número que foi de Ladner.

   O ala teve a carreira encerrada tragicamente, manteve médias de 11.6 pontos, 8.3 rebotes e 2.1 assistências por jogo e poderia ter sido ainda melhor. Doctor J. disse que Ladner foi seu companheiro mais engraçado, disse certa vez que o colega queria ser o Burt Reynolds com uma bola de basquete. Anos mais tarde no filme Semi-Pro, comédia sobre o basquete nos anos 70 retrata Will Ferrell utiliza-se desse esteriótipo para seu filem. 


Postar um comentário