terça-feira, 13 de março de 2018

Mock Draft atualizado

   Após os torneios de conferência da NCAA algumas coisas mudaram nos Mocks do Draft de 2018, e a tendência é que continuem mudando com tantos atletas das primeiras posições disputando o March Madness. 
  A escolha número parece estar praticamente solucionada, temos o retorno de Michael Porter Jr. e a queda de Trae Young. Uma equipe inesperada pode ter a chance de pegá-lo mais para o meio da tabela. Trago aqui as cinco primeiras posições, baseados nos Mocks do dia 12 de março e publicado pelo Bleach Report.
   1° Deandre Ayton, pivô, Arizona - Memphis Grizzlies
   A decisão de Ayton como o número um parece mais fácil essa semana, durante o torneio Pac-12 ele anotou um total de 64 pontos e pegou 32 rebotes em duas partidas em vitórias sobre UCLA e USC. Ele dominou todos seus adversários, marcou cestas fáceis, arremessou sem conseguir ser marcado e foi eficaz do perímetro. Com Lua Doncic machucado até o final de março, a posição número 1 lhe foi assegurada, até porque tem jogado o fino da bola nessa reta final de temporada. Ainda que Gasol renove, eles não deixariam um pivô escapar se a franquia tiver um projeto de renovação, aparentemente Ayton será o número um independente de quem tiver essa escolha. 
   2° Luka Doncic, armador-ala/armador, Eslovênia - Phoenix Suns
   Os Suns podem querer explorar algumas trocas em pontos fracos da equipe, procurando uma perspectiva defensiva podiam selecionar Mohamed Bamba ou Jaren Jackson Jr. Entretanto esse posto de 2° escolha parece ser muito alto pra eles, cada um a sua maneira preencheria uma necessidade, enquanto as fraquezas de outros prospectos poderiam ser ainda mais problemas para os Suns. Eles podem selecionar Doncic como seu novo armador, se bem que um combo seria sua melhor definição, dado a qualidade, estilo e versatilidade para desempenhar as funções das posições 1 e 2. O jovem esloveno é um armador de 2,03 m, com extrema facilidade de facilitar os arremessos e pontuando depois de um corta luz, os Suns podem pensar em sua evolução em passe e Q.I de basquete ao lado de Devin Booker.  De todos, ele é o prospecto mais comprovado por sua experiência, produção e impacto em uma liga profissional.
   3° Jaren Jackson Jr., pivô, Michigan State - Atlanta Hawks
   Com John Collins na 4, o Atlanta Hawks poderia construir a franquia em volta de uma âncora defensiva no centro. Bloqueando 5.7 arremessos por partida, Jackson Jr. é o segundo do país no plus/minus defensivo, além de acertar 1.2 bolas de três por jogo (39,6% de aproveitamento), e mesmo estando bruto ofensivamente ele anota 1.2 pontos por período em arremessos de post-up (98%). O torneio Big 10 expôs suas dificuldades em criar o próprio arremesso, mas seu potencial defensivo é muito atraente, um dos melhores do Draft, assim como a sua habilidade de criar espaços. Ser o prospecto mais novo deve aliviar as preocupações com sua produção ofensiva.
   4° Marvin Bagley III, ala/pivô-pivô, Duke - Orlando Magic
   Bagley III foi muito produtivo para se preocupar com sua defesa e fazer o Magic deixá-lo passar da 4° escolha. Mesmo sem muitas habilidades ofensivas, Bagley tem médias de 21.1 pontos em 60,5% de aproveitamento, ele continua pontuando com seu jump rápido, impulsão, rebote e controle corporal nos dribles. Sua intensidade é incrível, é algo que o Magic vai bancar, mesmo que sua criação de arremessos e arremessos nunca decolem. Mas ele ainda têm 18 anos, mostrou bastante flashes de seu arremesso (20 bolas de três) e qualidade no jogo de costas para a cesta. A equipe não possuí um elenco com uma identidade formada, e não procura ninguém específico para preencher qualquer lacuna, Bagley será o melhor jogador possível, e combiná-lo com Aaron Gordon e Jonathan Isaac será interessante. 
   5° Mohamed Bamba, pivô, Texas - Cleveland Cavaliers (via Nets)
   Bamba poderia ser a melhoria que a defesa dos Cavaliers precisa, número 28 da temporada segundo a espn.com. Com seus 3.7 tocos por jogo, Bamba força seus adversários a mudarem sua maneira de arremessar e atacar, fazendo de Texas a 10° melhor defesa do país. Ele ainda arremessa 74,3% do garrafão, dificultando a vida de seus marcadores, além de ser um finalizador em rebotes ofensivos com 1.3 pontos por período em putbacks. Ainda que possam haver atletas como Michael Porter Jr., os Cavs devem selecionar Bamba pelo seu poderio ofensivo, ponto fraco da equipe.

Postar um comentário